Claudia na Alemanha

Claudia na AlemanhaClaudia já vivi fora do Brasil há quase 20 anos, residiu em Zurique até 2008 e agora está em Berlin, onde mora com o marido e seus filhos.
De maneira realista, ela conta sobre sua experiência pessoal como expatriada, e também manda dicas para quem pretende se mudar para a Alemanha. Vale a pena conferir sua trajetória…

– Nome:
Claudia Bömmels

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Zurique e cresci no Brasil

– Em que país e cidade você mora?
Berlim na Alemanha

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Família

– Há quanto tempo você reside nesse local?
5 anos, mas já moro fora do Brasil desde 1994.
Claudia na Alemanha

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Sim, na Suiça até 2008.

– Qual sua idade?
39

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Após o término da faculdade de Administração eu fui para Zurique para aprender alemão e acabei ficando.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Aqui na Alemanha seguro saúde é obrigatório. Foi fácil.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Até final de 2011, eu trabalhava como autônoma na área de joias em pedras. Antes disso eu trabalhei na Suiça em um banco durante muito tempo. Aqui na Alemanha ainda não deu certo um emprego na minha área. Mas continuo tentando. O problema é que aqui, você precisa tomar cuidado ao escolher um emprego: se você faz um trabalho muito abaixo da profissão, a probabilidade de você ficar para sempre nesse nível é grande. Um bom exemplo, são os empregos em Call Centers. Isso não sou eu que digo. Eu já ví muitas reportagens na televisão sobre assunto e eu tenho uma amiga que trabalha no Seguro Desemprego e ela diz a mesma coisa. Então, estou tentando encontrar um emprego “mais ou menos”, vamos ver. Eu estudei Administração de Empresas no Brasil, mas trabalhei já no final da minha estadia na Suiça, com diagramação. Se não der certo, vai qualquer um mesmo.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Eu falo e escrevo alemão muito bem. Meu nível é o C1 que é bastante avançado. Ainda assim, os erros ortográficos são inevitáveis e isso é muito frustrante. Aprender a lingua, até mesmo antes de viajar para o exterior, é essencial. Eu aprendi o alemão depois de adulta quando me mudei para Suiça.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
A Alemanha é muito diversa no modo de pensar e agir nas diferentes regiões do país. Enquanto que no sul as pessoas são mais reservadas e conservadoras, eu encontrei em Berlim, pessoas muito abertas, mas também muito diretas. Certamente existe muitas pessoas que já vivenciaram situações de racismo ou de maltrato por serem estrangeiros. Eu felizmente não faço parte desse grupo. Os alemães que eu tive a sorte de conhecer, me receberam de braços abertos.
Claudia na Alemanha Claudia na Alemanha
– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Sim, eu tenho dois filhos, mas eles nasceram aqui. Então aqui é a casa deles e não o Brasil.

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sinto muitas saudades. Meus pais voltaram para o Brasil há nove anos e deixaram um “buraco” enorme. Mas por questão de sobrevivência, é preciso se acostumar. Eu escrevo muito para eles e telefonamos com frequência, isso ajuda.
Eu também me acostumei a viver sem os produtos brasileiros. Mas eu adoro as revistas, os livros, as séries de televisão, um bom churrasco, farofa…

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Nos finais de semana a televisão fica praticamente desligada, mesmo quando estamos em casa. Nós passeamos bastante por Berlim, que é uma cidade que oferece inúmeras opções para famílias com crianças. O mar também não fica longe daqui. Em três horas de viagem, já se está em uma praia. Fria. Mas praia.
Claudia na Alemanha

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
É bem provável que no futuro iremos ficar morando aqui na Alemanha. Mas para sempre é uma expressão que eu não gosto de usar. Eu não faço muitos planos para o futuro.
Morar no Brasil para sempre também está fora de cogitação para o meu marido, que é alemão. O ponto que mais o incomoda no Brasil é a violência.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
Como não encontramos ainda a cidade definitiva onde queremos ficar, nós alugamos uma casa com um jardim pequeno. O lugar onde eu moro fica à 2 minutos de Berlim , mas isso faz uma grande diferença no que diz respeito ao valor do aluguel. Nós pagamos cerca de 1000 euros com alguns custos incluídos, pagando por fora a energia e o gás. Comprar imóveis é algo muito comum na Alemanha. Onde eu moro, é possível se ter uma casa bonita com um jardim razoável por 250 mil euros. Já no sul da Alemanha uma casa mais ou menos custa meio milhão de Euros.

– Qual o custo de vida?
O custo de vida na Alemanha varia demais de acordo com a região em que você se encontra. Aqui em Berlim o custo de vida não é tão alto, mas os salários também não são lá essas coisas. Eu conheço muita gente que tem dois empregos para poder pagar as contas.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
De modo geral os pontos positivos para mim em morar aqui são :
– O sistema educacional, que não apoia de forma alguma o modo “decoreba” de se aprender, que tanto conhecemos no Brasil;
– O sistema de maternal, pré-escola e pós-escola, que facilita muito a vida dos pais que trabalham;
– Aqui o seu tempo vale muito e por isso os horários são cumpridos e os compromissos respeitados. Eu gosto muito disso. Acho que ser pontual e não desperdiçar o tempo do outro deixando-o esperando, por exemplo, é uma forma de respeito.

Os pontos negativos para mim :
– A Alemanha que eu conheco é “aficcionada” por diplomas e certificados. Se você não fez um determinado curso, será difícil você conseguir um emprego naquela área. Existem excessões naturalmente, mas de modo geral é assim que as coisas funcionam. O título de Doutor, e não falo dos médicos, tem um valor muito grande na sociedade alemã. Por isso, acho importante que os brasileiros que vierem para cá, venham conscientes de que precisarão provavelmente se reinventar, já que poucos trabalham na sua profissão original, fazendo muitas vezes, trabalhos mais “baixos” do que o que eles estudaram. Mas existem também muitas histórias de sucesso! Tudo depende da situação pessoal de cada um. Eu por exemplo, estou pensando em arrumar um “empreguinho” se tudo falhar, para financiar uma especiliazação. Outras pessoas precisam de fato sobreviver, então vale trabalhar em tudo!

Claudia na Alemanha

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Uma curiosidade aqui é o que eu chamo de mania do “frische Luft”, mania do ar puro. Não que eu ache errado ou ruim as pessoas sentirem a necessidade de sair para o “ar fresco” e sair quase que obrigatoriamente de casa quando o sol está brihando. Na verdade não poderia ser diferente, já que o sol não está aí todos os dias. Mas pra mim, que cresci em um lugar onde de manhã cedo já fazem 25 graus e o sol é de rachar, ficar no sol me “torrando” em um Café, não é de forma alguma uma necessidade. Gosto do sol? Sim. Gosto de ar fresco? Claro! Mas não me sinto na obrigação de ter que sair de casa por isso. Por outro lado, como eu já moro há quase 20 anos fora do Brasil, eu achei estranho quando fui de férias, ver quanto tempo as famílias passam dentro dos shoppings com ar-condicionado!

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Existem vários utensílios de cozinhas maravilhosos aqui. Tudo o que alguém que gosta de cozinhar possa sonhar! Mas para o dia a dia com as crianças eu acho uma coisa muito legal, que eu não sei se existe no Brasil: o cortador de maçã.
Cortador de Maçã

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
O que eu posso dizer para quem pensa em vir morar aqui, é que venha, mesmo que seja por amor, sem idelizar o país. A Alemanha é um país com gente de carne e osso, cheios de defeitos e qualidades, como em qualquer outra parte do mundo.
Se você fez faculdade no Brasil, entre com o processo de legalização do diploma já antes de vir, isso vai facilitar muito a sua vida. Para isso você precisa ter no mínimo o nível médio da lingua alemã. Mas essa seria mesmo a minha próxima dica: aprenda a lingua antes de vir da melhor maneira que você puder. Qualquer coisa é melhor que coisa alguma.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria? Felicidade

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Eu recomendo o meu blog Brasileiros mundo afora que trás histórias de Brasileiros de todo o mundo e também da Alemanha: http://www.brasileiros-mundo-afora.com/
Gosto muito do site Sair do Brasil, que é super informativo: http://sairdobrasil.com/
E também do site oficial da Alemanha em português com muitas informações úteis: http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/brasilien/pt/02__Brasilia/Botschaft.html
Minhas dicas de viagem encontam-se aqui: www.euseionde.com

6 Respostas

  1. Nossa! Descreveu minhas dores de morar na alemanha!!
    Sem tirar nem por.
    Sem exagero e respeitando a experiencia de cada um mas pra mim a alemanha eh isso mesmo.

    Obrigado por compartilhar esta historia que sejam tambem muitos felizes.

  2. Não estou fora do Brasil há tanto tempo como a Claudia, mas a questão de aproveitar ao maximo o tempo ao ar livre é algo que incorporamos à nossa rotina, e realmente me incomoda um pouco quando voltamos as pessoas nos convidarem para passear no shopping, preferimos alternativas como praças e restaurantes onde é possivel desfrutar da luz do sol, do tempo ao ar livre, porque passamos muito tempo trancados em casa/trabalho durante o inverno. Acabamos virando lagartixa quando vemos o primeiro raio de sol – que esquenta – despontar!

    A questão dos diplomas e estudos é parecida aqui na França, até pra incorporar uma experiência profissional adquirida em contextos que não sejam formações acadêmicas é preciso passar por um juri de validação de aquisição de experiência, e isso desencoraja muita gente, principalmente os jovens, que optam por formações curtas que dão rapido acesso aos empregos. Um ponto interessante é que as disparidades salariais não são gritantes e uma pessoa que tem nivel técnico, por exemplo, tem um bom padrão de vida comparado com pessoas que tem diplomas de formações mais longas.

    • Oi Natalia, a França é um muito parecida com a Alemanha, pelo do ponto de vista nosso de “estrangeiros”. O que eu gosto da França, mas meu conhecimento é puramente da televisão e noticiários, é que o governo tem grande interesse que as mulheres continuem trabalhando, oferecendo creches e jardins de infância para muitos. É assim mesmo? A questão do salário de quem estudou aqui é isso mesmo. Os cursos técnicos tb são bem remunerados. Bjs

  3. Obrigada Mirella por essa oportunidade de falar aqui no teu site! Foi um prazer. Bjs Claudia

  4. Parabéns, Claudia! Adorei seu depoimento sobre a vida na Alemanha, eu também me sinto muito feliz vivendo aqui e acho importante não idealizar o país (é claro). Mas sentir essa segurança e o respeito às regras que se sente aqui é maravilhoso🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: