Nós e Londres

Helo na InglaterraO sonho de viver em um outro país sempre acompanhou a Helo. Quando o marido recebeu uma proposta para trabalhar em Londres, eles não pensaram duas vezes, arrumaram as malas e partiram. O começou não foi fácil, especialmente quando ela teve que se “re-adaptar” na profissão, mas hoje, é com orgulho que diz “Eu amo Londres e sinto que aqui é minha casa“.

– Nome:
Heloisa Righetto

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em São Paulo e passei a maior parte da infância e adolescência lá, mas também morei em Joinville (SC) quando pequena e Recife (PE) na adolescência.

– Em que país e cidade você mora?
Londres, Inglaterra

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com o meu marido, Martin.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
4 anos e meio

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Não

– Qual sua idade?
32

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Minha irmã, quando eu tinha 17 anos (e ela 20) passou 3 meses na Austrália e Nova Zelândia, juntou todo o dinheiro que ela tinha e foi. Isso mexeu muito comigo e sempre ficou lá, no fundo dos meus pensamentos – eu precisava sair do Brasil e conhecer o mundão! Aí, quando casei com o Martin, começamos a nutrir esse sonho de viver fora juntos, mas queríamos alguma coisa concreta, pois não é do nosso perfil largar tudo e ir tentar a sorte. A oportunidade veio (oferta de emprego pra ele), e não pensamos duas vezes, não tivemos nenhuma dúvida. Fizemos as malas, embarcamos a mudança no container e cá estamos.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho? 
Não, foi tudo com ajuda do trabalho do Martin. E poucos meses depois de sair o visto, saiu minha cidadania italiana (que ficou impacada 10 anos na burocracia do consulado). Então trocamos o visto e hoje estamos aqui como cidadãos europeus, não dependemos mais do visto de trabalho dele.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Não, usamos única e exclusivamente os serviços de saúde pública daqui, o NHS. Só temos seguro viagem.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sim, trabalho – foi meio turbulento pra mim no começo, não consegui trabalho fácil não. Cheguei aqui querendo fazer o que eu fazia no Brasil (design de móveis), mas acabei trilhando um outro caminho e passei a escrever sobre design e decoração. No começo eu escrevia apenas para publicações brasileiras, como freelancer. Em 2009 comecei a colaborar com um site daqui, consegui contrato temporário e depois fui contrada full time. Estou nesse mesmo site até hoje. Ainda faço frilas eventuais pro Brasil, mas minha principal fonte de renda é o trabalho aqui (e o Martin continua no mesmo lugar que o trouxe até aqui)
Helo na Inglaterra

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Bom, como expliquei na resposta anterior, continuo na mesma indústria, digamos assim, mas fazendo outra coisa. Em vez de “fazer” design hoje eu escrevo sobre isso. É outro ponto de vista!

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim. Estudei inglês desde os 10 anos de idade mas só chegando aqui que vi como é na real! Não foi fácil – o sotaque, as gírias, tudo é estranho. Não dá mesmo pra chegar aqui sem falar inglês e tentar trabalhar. Se você quer estudar é uma coisa, mas pra viver aqui – ou seja, trabalhar, contribuir, ser um cidadão ativo – é preciso muito mais do que o básico. As pessoas estão acostumadas com estrangeiros, ninguém te destrata se você comete erros, mas a comunicação fica pela metade se o idioma é estranho. Eu estou aqui há 4 anos e meio, trabalho com ingleses, escrevo em inglês e ainda assim tenho problemas de comunicação eventuais. Falar no telefone, por exemplo, é uma das coisas que mais detesto. É uma prova de fogo.

– O que você  pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu amo Londres e sinto que aqui é minha casa – sei que posso mudar de ideia um dia, mas não conseguiria me ver em outro lugar. Aqui tem gente do mundo todo, até de países que eu nunca tinha ouvido falar antes, então você aprende a ser mais tolerante e a nossa cabeça dá um giro de 180 graus. É muito cultura misturada, muita informação. Claro que não existe um lugar perfeito e infelizmente tem gente – minoria – que torce o nariz para estrangeiros. Preconceito, racismo, desrespeito temos no mundo todo. Felizmente nunca aconteceu nada com a gente, mas eu acredito que é preciso aceitar pra ser aceito.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Eu sinto saudades sim, mas não sinto o banzo. Já morava longe dos meus pais e sempre morei longe da família (tios, primos, avós). Então nunca foi sofrido. Falo muito com os meus pais pelo skype, e eles sabem que sou feliz aqui – então não tem pressão de “quando você vem” ou coisa parecida. Dos produtos e comidinhas, a mesma coisa: claro que gosto de cozinha, pão de queijo e Nescau, mas não sofro não. Volta e meia alguma visita traz alguma coisa e fico super feliz, mas não é algo que tem que ter em casa sempre.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Aproveito o bairro que moro (Greenwich): passeio no parque, vou no centrinho, como em algum restaurante local. As vezes vamos pro centro de Londres, talvez uma vez por mês – mas como eu trabalho no centro, não sinto vontade de ir lá aos finais de semana. Gosto de curtir minha casa! Aqui, se o tempo está bom, todo mundo vai pro parque curtir o dia ou dar uma voltinha na rua.
Helo na Inglaterra

Helo na Inglaterra

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre? 
Não gosto de fazer planos a longo prazo. Como eu disse, nossa vida agora é aqui e não penso em sair. Mas vai saber o que acontece amanhã, ou mês que vem, ou ano que vem? Porém, admito que a ideia de ir pra outro país, mesmo pro Brasil, e começar tudo de novo – casa, carreira – me desanima. Agora minha carreira está firme aqui, amamos nossa casa, nosso estilo de vida. Se eu voltasse pro Brasil ficaria perdidinha!

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso?Comprar imoveis é algo comum nesse país?
É impossível dar ideia de preço em Londres. Não dá mesmo. É muito relativo: você quer morar no centro? Faz questão de muito espaço? Prefere morar mais afastado? Perto de metrô? Topa dividir apartamento? Quando cheguei, morei 2 anos em um apê alugado, pagávamos £1200,00 por dois quartos, um banheiro, sala com cozinha. Era um ótimo apê, não muito grande mas ideal para duas pessoas. E ainda tínhamos o segundo quarto para as visitas. Era perto de uma estação de metrô (DLR) e de trem. Como o aluguel ia aumentar, decidimos dar um passo importante e compramos outro apê, o que moramos hoje. Foi um grande investimento, colocamos nele todo o dinheiro que tínhamos guaradado no Brasil (apenas para dar a entrada) e pagamos o financiamento – que é praticamente o valor de um aluguel. O apê é maior, tem um banheiro a mais, amamos aqui. Comprar imóvel em Londres é caro, mas não é impossível! Tem burocracia? Sim. E ainda tem a dificuldade de conseguir o financiamento, já que depois da crise os bancos estão muito mais cautelosos (nós por exemplo tivemos o pedido de financiamento negado em um primeiro banco). Você também precisa ter crédito, ou seja, um bom passado financeiro – e se você teve imóvel no Brasil, eles não querem nem saber! Então, comprador de primeira viagem aqui sofre um pouco com isso – como granatir que você é um bom pagador? Então, minha dica é: fazer cartão de crédito, pagar tudo em dia, fazer uma poupança. Coisas básicas que dão pontos e fazem a diferença na hora de solicitar um financiamento.
Helo na Inglaterra

– Qual o custo de vida?
Taí uma coisa que e muito pessoal, assim como o gasto com aluguel/moradia. Depende! Você gosta de comer fora? Quer ter carro? Quer ter seguro saúde? Enfim, tudo isso conta. Mas posso dizer que temos uma vida boa aqui: saímos pra comer pelo menos a cada duas semanas, viajamos bastante, compro roupas com uma certa frequência. Mas só uso transporte público e não tenho seguro saúde, como eu falei lá em cima. Posso afirmar que aqui meu dinheiro vai mais longe mais do que ia no Brasil, tenho uma qualidade de vida melhor. Ganhamos praticamente o mesmo do que ganhávamos lá mas aproveitamos mais.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Bom, o negativo é que você é sempre um expatriado, acho que independente do país esse é sempre um porém. Não me sinto deslocada, mas minha base cultural não é como a deles. Então, independente de quantos anos você está fora, sempre tem coisa que é estranha, tem a piada que você perde. Pra mim, isso é um ponto negativo mais forte do que morar longe da família. E positivos acho que já falei bastante né? : ) Gostamos demais daqui, e adaptamos nosso estilo de vida. Usamos os parques, museus, aproveitamos os restaurantes e a multiculturalidade dessa cidade incrível.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Não sei se do país, mas de Londres: aqui é cada um no seu quadrado. Ninguém se importa com o que você está usando, como está seu cabelo. As pessoas são mais autênticas, não ficam se preocupando muito com que os outros vão pensar. Adoro isso!

– O país que você reside  tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Acho que a utilização do Rio Tâmisa é sensacional. Ele é “vivo”, é o coração da cidade. Imagina se o Rio Pinheiros e o Tietê em São Paulo fossem usados da maneira que o Tâmisa é usado aqui? Seria incrível poder pegar um táxi-barco pra ir do Morumbi até a Rodoviária do Tietê, por exemplo.
Helo na Inglaterra

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Leia muito, descubra todos os blogs de brasileiros em Londres. Treine o inglês, leia livros, escute músicas, veja a BBC na internet pra se acostumar com o sotaque. Venha de cabeça aberta, livre-se de preconceitos e jamais acredite que Londres é apenas cinza.
Helo na Inglaterra

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria?
Essencial

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
No meu blog pessoal tem uma coluna de links recomendados com outros blogs de brasileiros que vivem no Reino Unido. Também quero recomendar a página de Londres do Aprendiz de Viajante, blog de viagens que eu escrevo com a Claudia Beatriz Saleh e a Luciana Misura, que moram nos Estados Unidos. Outro site incrível é o Pra Ver em Londres, comandado por um casal de jornalistas.

9 Respostas

  1. Super bacana tua entrevista, Helo! Super beijo!

  2. Adorei esse seu blog, Mirella! Só conhecia o Mikix, não sei como nunca vim parar aqui… hehehehe
    Bem legal conhecer mais sobre a vida da Helô na Inglaterra…
    🙂

    Beijos

  3. Londres tem um lugar especial no meu coração: é a maior cidade que visitei até hoje, e nela eu vi as quatro estações em um dia: frio, chuva, vento, sol, calor, verde. Fui no inicio do verão com minha mãe, fiz happy hour em pub e assist a seleção inglesa ser derrotada pela italiana num outro pub, fiz turismo em double deck e caminhada no Hyde Park como se eu morasse ali🙂
    Fiquei encantada com a capital, mas também com o campo inglês: a paisagem do caminho até o Stonehenge me impressionou muito, e nunca na vida desejei tanto por um dia com nuvens quanto o dia que fomos ver o monumento. E tive a paisagem que desejei! Amei a ilha da rainha e o depoimento da Helô!

  4. Parabens pelas conquistas! que sejam sempre felizes! Tb ja morei ai, mas nada como o nosso sol,agua de coco,amigos, familia e nossa comida!!😀 boa sorte com tudo e muito sucesso.

  5. Super legal Helo😀

    Bem numa dessas a gente não acaba mudando para ai daqui uns 2 anos.. Londres e HK são dois lugares que a gente tem certeza que um dia ainda deve morar..

  6. Já visitei seu blog e leio suas matérias no blog da Clau e Lu e agora amei essa sua entrevista🙂
    Uma das coisas que me chamou atenção em Londres foi justamente isso que vc falou sobre a multiculturalidade e que o povo não se importa como vc se veste e tal…Amei isso! Aqui no RJ o povo se preocupa tanto com isso…Afe! rsrsrsr

    Bjos

  7. Adorei a entrevista Helo! Honesta e bem seu jeitinho! Abracos, Sophie x

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: