Na França não tem pão francês, mas tem baguette, petit pain….

Laura Martins na FrançaSem nenhuma intenção de algum dia morar fora, pedida em casamento por um francês, percebeu que ou mudava, ou mudava. Sendo assim, fez o obvio, mudou. Deixou o queijo minas por uma variedade infinita de outros queijos, vinhos, pães, museus, cheiros, sabores e sensações.

– Nome:
Laura Martins

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Uberlandia, Minas Gerais

– Em que país e cidade você mora?
Bordeaux, França
Laura Martins na França

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com a família que construí. Marido e filha.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Há 4 anos.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Nem nos meus sonhos mais distantes.

– Qual sua idade?
Preciso mesmo responder essa?? Heheh 28 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Na verdade nunca tive intenção, nem mesmo vontade de morar no exterior. Meu marido é francês, nos conhecemos durantes as férias em Salvador, depois vim passar minhas férias aqui na França e após pesar vários fatores (profissionais meu e dele) decidimos que seria melhor eu me mudar.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Difícil não, mas o processo não é muito simples. Como meu visto foi solicitado depois de eu estar casada, não foi difícil. Pra cada situação o processo é diferente e começa com a solicitação nos consulados franceses existentes no Brasil. Nem todos tem site especifico, mas aqui tem endereço, telefone e horario de funcionamento.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Sim. Tenho o seguro publico oferecido pelo governo e o que eles chamam de Mutuelle, que é o seguro complementar. Não foi difícil, por ser casada e ter o visto, foi simples de conseguir.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Ainda não. No momento estou estudando, mas também em busca de um emprego. O que por sinal está se mostrando bem mais difícil do que imaginei. Estou inscrita em um programa oferecido pelo governo que auxilia na busca, eles tem um site (http://www.pole-emploi.f) a nível nacional, onde podem ser encontradas as ofertas de emprego em todo o país.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim, falo, leio e escrevo francês. Acho que ter domínio da língua é algo de extrema importância, mesmo se os locais se esforçam para entender. Acho que enquanto somos turistas, com necessidades “simples” podemos passar sem falar, tendo apenas noções. Mas para morar, é fundamental. Nunca tive nenhuma situação critica enquanto não falava, como tinha intenção de continuar a estudar e trabalhar, aprendi logo. Ao contrario do que muita gente pensa, nem todo francês fala outro idioma, mas adoram conversar, então não falar pode dificultar o dia a dia.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu gosto muito daqui. Pouco a pouco tenho aprendido a gostar, a aceitar as diferenças e hoje até admiro muita coisa. Não sei como é a relação com outros brasileiros e franceses. Eu sempre fui muito bem recebida e normalmente quando perguntam “de onde vem esse sotaque” soltam um grande sorriso ao ouvirem a resposta. Mas sei de casos de preconceito contra magrebinos, africanos e europeus do leste. Nada é declarado (que eu tenho visto), mas…

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Sim, mas ela nasceu aqui. E tento manter o equilíbrio em relação aos meus costumes e aos costumes locais.

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sinto saudade, da família, dos amigos… Mas aprendi bastante a lidar com isso. Tem horas que bate o desespero, mas acredito que pelo fato de poder telefonar, se ver pela webcam, ver os recadinhos no facebook, trocar emails, tudo é mais simples. No começo sentia muita falta de tudo que era salgadinho, pão, doces, bebidas, produtos. Mas aos poucos fui aprendendo a substituir, encontrei uma loja de produtos portugueses onde vendem muita coisa brasileira e até mesmo quando vamos a Portugal, volto com um bom. O problema é que tem horas que da aquela vontade de tomar um açaí, comendo coxinha e assistindo novela, que num tem nada que de jeito.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados?
Quando tem sol saímos, passeamos, viajamos, comemos fora, convidamos os amigos, somos convidados, somos felizes. Quando não tem sol, ficamos mais em casa, convidamos mais e somos mais vezes convidados, mas a maioria das coisas dentro de casa.
Quais as atividades recreacionais existentes? Bordeaux é uma cidade bem localizada, linda e com muita atividade cultural, e como é uma região muito conhecida por conta dos vinhos, sempre tem algo relacionado. Aqui tem muito parque e também o Bassin d’Arcachon que é um amontoado de cidades em volta de um lago de águas salgadas aberto para o oceano.
Laura Martins na França

Não acho que nossas atividades (ao menos as minhas) se diferenciem muito das dos franceses, mesmo porque o comercio aqui não abre aos domingos então sem chances de querer ir bater perna em shopping (coisa que eu fazia muito aos domingos e feriados).

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Por enquanto nossos planos são de ficar aqui, mas no futuro a intenção é de procurar um país onde o custo de vida não seja tão alto.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Nossa casa é financiada. Mas falar de valor é complicado, pois cada setor da cidade o preço varia muito. Por exemplo, tenho uma amiga que mora no centro de Bordeaux, um apartamento antigo, um quarto apenas e paga um aluguel de 1.800,00 euros, enquanto outra mora a 20 minutos do centro, numa quase mansão, nova e paga 1.300,00. Então uma casa normal, nem lá longe, nem lá no centro uns 600 a 800 euros.
Laura Martins na França

– Qual o custo de vida?
É muito relativo, depende muito de onde mora, quantidade de carros, de filhos, nível de vida. Uns 2500,00 a 3000,00.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Pontos positivos: estar ha poucas horas do Louvre, acesso a cultura, localização, diversidade cultural, segurança, gastronomia, acesso a baixo custo as telecomunicaçoes, e uma vez por ano o verão que finalmente da as caras.

Negativos: Além do frio, marginalidade crescente, o que me incomoda é o fato de não fazer parte do paìs, ser meio peixe-fora-d’agua no sentido historico-cultural. Por exemplo, nem sempre entendo as piadas, e as vezes mesmo com alguém explicando não tem graça. Fico meio fora do assunto quando o tema é acontecimentos historicos locais, e por ultimo e não menos importante: o teclado. Sem acentos, com a disposiçao das teclas diferente…. Moro aqui ha 4 anos e demoro um seculo pra digitar qualquer coisinha.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Na França existe uma ajuda social que não se vê em nenhum outro lugar do mundo. A começar pelo sistema de saúde até ajuda para pagar o aluguel, sem contar as ajudas que eu nem faço idéia da existência. Com isso muita gente se acomoda e não trabalha nem se esforça pra ganhar mais ou para viver melhor. Ao contrario do que imaginamos, aqui também tem muita bandidagem por conta disso, pois não é nada raro ouvir falar estelionato contra o governo. Não que essa parte seja diferente do Brasil. Mas percebo que cada dia mais as pessoas preferem depender do governo.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Uma coisa que não sei se responde bem a pergunta; mas o preço de alguns serviços. Aqui em casa temos internet, telefone fixo e TV por 36 euros mensais, sendo que não pagamos adicional se ligamos para nenhum telefone fixo na Europa ou em mais sei La quanto países no mundo, agora pode ligar para celular na França e a TV tem uns 20 canais disponíveis. Seria legal se no Brasil os valores desses serviços pudessem ser mais acessíveis.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
É aquela historia, se conselho fosse bom… Organize tudo antes de vir, documentos, moradia, trabalho e se possível aprenda o idioma, ao menos o básico.
Laura Martins na França

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Meu blog: http://naotempaofrancesnafranca.blogspot.com/
http://www.mundopequeno.com/ No mundo pequeno tem uma lista com alguns blogs de pessoas que moram ou moraram na França e através desses blogs pode-se ter uma ideia do que encontrará por aqui.

Curta nossa página no Facebook:
http://www.facebook.com/EntrevistandoExpatriados

8 Respostas

  1. Laurita mandou super bem na entrevista🙂
    Amei tudo🙂
    Bjão

  2. Gostei da entrevista. A Laura é uma menina de quem gosto demais, mesmo sem conhecer pessoalmente.
    Não só a filhinha, mas ela também é um Docinho.

  3. Oi Laura.

    Adorei sua entrevista.

    Bjs.
    Elvira

    http://evipensieri.wordpress.com/

  4. Interessante a parte que ela escreveu:
    “Na França existe uma ajuda social que não se vê em nenhum outro lugar do mundo. A começar pelo sistema de saúde até ajuda para pagar o aluguel, sem contar as ajudas que eu nem faço idéia da existência. Com isso muita gente se acomoda e não trabalha nem se esforça pra ganhar mais ou para viver melhor”.

    Não precisamos ser um gênio em economia para perceber que a crise européia é justamente por causa disto.

  5. Parabens, Laurinha!!!

    Beijos e fiquem com Deus

    Barbrinha

  6. Adorei a entrevista!!!
    estou querendo ir para França em setembro, aluguei um imovel por temporada, espero que as coisas estajam mais tranquilas e que dê tudo certo!!!

  7. Valeu a dica Laura, pretendo trabalhar na França em Paris, e estou em dúvida se é a melhor opção.

  8. Legal o seu post e me ajudou bastante para saber algumas informações sobre a França e especialmente sobre Paris. Eu viajarei próximo mês para fazer um intercâmbio na França e essas informações foram muito úteis. No meu intercâmbio, eu vou tomar um curso de francês em Paris na Sprachcaffe e espero que seja maravilhoso como o meu último intercâmbio nos Estados Unidos. Obrigado pelas informações. Bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: