Sentindo-se em casa na Alemanha

Carina na AlemanhaCarina, uma catarinense que um dia ouviu a pergunta do, na época, namorado Alessandro: -Vamos morar comigo na Alemanha?, e ficou sem saber o que fazer. Depois de muito pensar, e cheia de dúvidas, desmontou seu consultório odontólogico, guardou na casa da mãe, pensando que em um ano voltaria para montá-lo, para seguirem uma vida normal no Brasil. Passaram-se mais de 8 anos, os planos mudaram, eles também e ela não se arrependeu nem por um segundo da decisão tomada.

Início da entrevista:

– Nome:
Carina

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Joinville, SC onde morei até ir fazer faculdade em Florianópolis, lá pelos anos 90, e para onde voltei depois de formada.

– Em que país e cidade você mora?
Nos arredores de Frankfurt am Main, na Alemanha.
Carina na Alemanha

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com meu marido, também joinvillense.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Moro há 8 anos na Alemanha, uns 5 anos nesta cidade, e no início, moramos 3 anos em Eisenach (outra cidade alema).

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Nao, só meu marido morou em Chicago (EUA) por 2 anos antes de vir para Alemanha.

– Qual sua idade?
35 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Meu marido, na época que namorávamos, foi fazer doutorado em Chicago, e lá uma empresa americana o contratou e o enviou pra Alemanha. Era para ser por um ano, mas se transformou em mais um, e mais um…
Carina na Alemanha

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
A empresa correu atrás de toda parte burocrática.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Também foi feito tudo através da empresa.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Meu marido é a fonte de renda principal. Quando vim pra cá tinha um visto de Reuniao Familiar, ou seja, poderia ficar morando aqui, para acompanhar meu marido, mas nao poderia trabalhar. Após 3 anos vivendo aqui, nos deram um visto de residencia definitiva, e com ele, eu tive permissao de trabalho.
Eu sou formada em Odontologia, e nao posso atuar na minha área, nem mesmo com o visto de trabalho. Aqui na Alemanha, eles nao reconhecem meu diploma brasileiro.
Hoje trabalho fazendo roteiros de viagens personalizados para brasileiros, através do Senzatia que me dá muito prazer e grande flexibilidade, já que trabalho em casa e com uma área muito interessante, e que esta experiencia de morar fora me propiciou, que é viajar.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Sim, mudei de área.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim, eu falo alemao, e acho imprescindível para integracao na sociedade.
Os alemaes gostam de falar a língua deles, e respeitam muito o esforco de quem realmente se propoe a aprender o idioma, já que nao é uma língua fácil.
Percebi que só depois que aprendi o idioma, comecei a ter mais amigos alemaes e comecei a me sentir um pouco como sendo um deles.
Carina na Alemanha

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu amo a Alemanha, e como me naturalizei, sou metade alema, e me sinto muito bem aqui. O alemao é um povo fechado, mas quando voce quebra a barreira e comeca uma amizade, esta é verdadeira e para sempre.
O brasileiro é um povo ainda um pouco exótico pro alemao, e como no geral eles conhecem pouco sobre o Brasil, tem curiosidade sobre nossa gente e nossos costumes.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Nao temos filhos ainda.

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?

Já nao sinto mais tantas saudades como eu sentia nos primeiros anos, aprendi a viver com a distancia, e como minha família vem nos ver com frequencia e também vamos volta e meia ao Brasil, fica mais fácil.
Já na questao de comida, acho sempre vou sentir falta da comida de lá, e volta e meia me pego pensando numa coxinha, num pao de queijo, num guarana, num sonho de valsa…

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?

Nos finais de semana costumamos encontrar amigos, alemaes e brasileiros, e vamos jantar juntos, seja na casa de um de nós, seja em restaurantes. No verao, costumamos fazer um grill (versao alema de churrasco) e viajar bastante.
Nao vejo muita diferenca entre os hábitos alemaes e brasileiros nesta área, a nao ser que com os alemaes tudo tem de ser combinado com algumas semanas de antecedencia, enquanto que com brasileiros a coisa costuma ser mais espontanea, vc liga e pergunta:
-Vamos? E o brasileiro topa na hora. Alemao nao é acostumado com isto.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Falar em “para sempre” é complicado, mas no momento nao temos pretencao nenhuma de nos mudar daqui de forma definitiva.
Carina na Alemanha

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
Nós compramos uma casa há 3 anos, e achamos que foi um bom investimento. Olhando pelos olhos brasileiros, as casas na Alemanha custam caro, mas elas tem bem mais qualidade na construcao do que as casas no Brasil, por exemplo. Aqui as paredes tem de ser mais grossas, as janelas tem de vidros duplos, tem todo sistema de calefacao, e por aí vai, já que os invernos sao rigorosos e as casas tem de suportar isto. Quando vc entende o que existe por trás do valor do imóvel vc compreende que caro é imóvel no Brasil! heheheh..

– Qual o custo de vida?
Acho esta uma pergunta complicada de responder, já que cada família tem seu próprio estilo de vida, e eu nao saberia avaliar.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
O maior ponto positivo é a seguranca. É impagável a sensacao de saber que ao retornar teu carro vai estar no lugar que vc deixou, que tua casa vai estar da mesma maneira e que vc pode deitar e dormir despreocupado todos os dias. Acho as coisas menos barulhentas aqui, a poluicao sonora e visual é infinitamente menor.
A possibilidade de viajar e conhecer tantas culturas e lugares diferentes dirigindo ou voando algumas horas também é muito enriquecedor.
Já o ponto negativo é o inverno longo demais, e o céu cinza neste período. E aprender o alemao, que nao é nada fácil.
Carina na Alemanha

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
A Alemanha é um país cheio de regras, para tudo, mas elas funcionam, e as pessoas realmente as seguem. Assim se vive em sociedade! Aqui vale bem a frase: – Minha liberdade termina onde comeca a do meu vizinho.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Aprenda alemao! Aprenda alemao! Aprenda alemao! E venha com o coracao aberto pra vivencia novas experiencias, nao se furte de tentar o novo e provar o diferente, mas venha com as garras afiadas para lutar pelo que vc quer. Nada é muito fácil, e pra mostrar teu valor vc vai ter de dar duro, de verdade.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria?
Enriquecedora.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Recomendo o site Brasileiros-na-Alemanha. Com que é feito com muito carinho pra ajudar todas as pessoas que buscam informacoes sobre a Alemanha. E dentro do site tem um Fórum onde os participantes trocam experiencias e tiram dúvidas dos dia-a-dia no país. E neste fórum fiz grandes amizades, que de virtuais passaram a ser reais e me ajudaram muito durante todo tempo que estou aqui. Se vc estiver vindo pra Alemanha, entre lá e se torne um “Verdinho” como os participantes sao chamados, sei que vc vai ser bem recebido, como eu fui.😉
E para quem está querendo fazer um Roteiro de Viagem Personalizado, seja pela Alemanha, ou qualquer país da Europa e do mundo, entre em contato com a Senzatia. Nós personalizamos seus sonhos!

22 Respostas

  1. Puxa! Ainda nao consigo imaginar eu morando num lugar tao gelado! Uiiii! mas muito legal sua entrevista! parabens! E o carnaval brasileiro? Vcs farao alguma coisa relativa a ele por ai?
    Bjka!

  2. Carina

    Adorei sua entrevista.. Eu adorei morar na Alemanha, voltaria a morar facilmente sem problema algum..🙂 Essa história de reconhecimento de diploma é realmente algo muito chato.. Se vc fizesse uma pós ai ai não seria reconhecido?!

    Bjs

  3. AS resposta enriquecem a quem a idéia de ir a este país.Eu sou Agrolandense,SC,hoje resido em Joinville,SC,estou me preparando para ir ao exterior.
    Só estou titubiando em escolher uma cidade da Alemanha ou Aouckland na Oceania.Meu alemã é bem mais avançado do que meu ingles.Mas parabéns a coragem e determinação de voces,ainda melhor que tudo esta dando certo
    obrigado

  4. Carina,

    Adorei também a entrevista. Bom saber um pouco mais de vc e da vida morando fora do Brasil.

    Bjo

  5. Obrigada, Renata!🙂 Quanto ao carnaval, nós nao vamos fazer nada de especial. Os brasileiros do nosso grupo de amigos também nao estao planejando nada, mas eu sei que sempre tem um pessoal planeja alguma coisa nas festas do Brasil, mas nós nao somos de participar muito.

    Oi, Oscar!!
    Danke!
    Pois é, reconhecer diploma é bem complicado, e aqui varia de Estado pra Estado. Nao quis entrar no tema na entrevista porque seria como escrever um livro, mas pra exemplificar, tenho uma prima dentista tamb´m, que veio fazer doutorado aqui e também nao pode clinicar. Só trabalhar com pesquisa. Existem meios de vc validar, na minha área, mas é um trabalho árduo e de várias amigas dentistas que moram aqui, só conheco uma que conseguiu, e só depois de se naturalizar.
    Beijo pra vc!

  6. Puxa, ainda bem que vi o tuíte do @mauoscar!! O “Expatriados” não estava no meu RSS,só o Mikix!😉
    Depois vou dar um giro por aí!
    Muito legal, Carina! Lindas fotos!
    Beijos as duas!

  7. Famosa, hein dona moça? hehehe…

  8. Oi Carina! Somos praticamente “vizinhas”.
    Parabéns pela entrevista e pela visao positiva que vc passa sobre sua experiência aqui.
    Vou lá visitar seu site!
    bjs

  9. Carina,

    Parabéns pela sua nova vida. Boa sorte

    Morei 2 anos na Alemanha. Mas o frio e a saudade da familia fizeram eu voltar ao Brasil. Sem falar que amo praia e sol.

    Beijos

  10. Adorei sua entrevista e achei vc uma pessoa fofa🙂
    Adorei suas fotos!
    Bjos

  11. […] Sentindo-se em casa na Alemanha (via Entrevistando Expatriados) Posted on Março 23, 2011 by nunoanjospereira Carina, uma catarinense que um dia ouviu a pergunta do, na época, namorado Alessandro: -Vamos morar comigo na Alemanha?, e ficou sem saber o que fazer. Depois de muito pensar, e cheia de dúvidas, desmontou seu consultório odontólogico, guardou na casa da mãe, pensando que em um ano voltaria para montá-lo, para seguirem uma vida normal no Brasil. Passaram-se mais de 8 anos, os planos mudaram, eles também e ela não se arrependeu nem por um segundo … Read More […]

  12. Catarina..

    Adorei ler sobre sua experiencia, estou passando por uma situação bem parecida com a sua… Tambem sou dentista, porém meu namorado é alemão e me chamou para morarmos juntos na Alemanha.. Estou me organizando para ir, porém ainda com muitas dúvidas…
    Gostaria de poder falar melhor com voce, seria possivel??? nath_cardoso@hotmail.com

    beijos!

  13. Carina,adorei sua entrevista!!!
    Morei 1 ano em Frankfurt,e revi todos os lugares que amo!!!
    estou no Brasil à espera,do meu casamento que será realizado na Alemanha.
    Tudo de bom pra vc…beijão!

  14. Concordo com vc quando você disse: Já o ponto negativo é o inverno longo demais, e o céu cinza neste período. E aprender o alemao, que nao é nada fácil. Eu morei na Alemanha 2 anos com a minha familia. Foram maravilhosos. Mas o frio era muito para mim.

  15. Olá Carina. Obrigada por compartilhar conosco suas experiências. Venho atualizar a informação sobre diploma de odontologia do Brasil na Alemanha…..era diferente há 8 anos atrás qd vc chegou. Eu cheguei na Alemanha em 2011 e eu sou também formada em odontologia e meu diploma é aceito, Hoje em dia basta apenas ter alemão nivel B2. nos 2 primeiros anos se trabalha como dentista contratada no regime Assistenzzeit (parágrafo 13) e depois faz a prova Aprobation assim como os alemães também fazem quando concluem a faculdade de odonto aqui. Eu já estou atuando no sistema de Assistenzzeit e conheço outros brasileiros dentistas que até a aprobação já pegaram🙂 Gostaria de fazer essa atualização para que outros brasileiros nessa situação não fiquem confusos porque alguns conseguem e podem trabalhar mesmo sendo dentistas e outros não puderam.🙂 Valeu!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: