Do churrasco de fogo de chao pro frio do Iglu…

Acostumada com as quatro estações definidas do Rio Grande do Sul, Claudia saiu da terrinha em 2004 para acompanhar o marido nas terras geladas do Canadá onde as estações são; inverno rigoroso, inverno muito frio, inverno com muita neve e inverno…
Apesar do frio, Claudia aprendeu a amar esse iglu e adotou o Canada como sua nova patria.

– Nome:
Meu nome e Claudia Sasse.

– Onde nasceu e cresceu?
Eu nasci e me criei em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul.

– Em que país e cidade você mora?
Moro atualmente na Província de Alberta, Canada.

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Eu moro com meu marido e minha filha de 11 anos.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Moramos em Alberta desde 2009, mas estamos no Canada desde 2004. Quando saimos do Brasil em 2004, fomos para a província de Ontario.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Nunca morei em outro país. Mas, sempre tive vontade de sair do Brasil e viver em outros lugares… Nos meus tempos de adolescente, sempre pensava em morar nos Estados Unidos. Mas, quando casei, começamos a pensar em mudar para o Canadá. Como meu marido é canadense, sabíamos que imigrar para cá seria mais fácil pra mim.
A gente já cogitou morar na Australia também. Mas, isso foi antes de vir para o Canadá. Pois agora adotamos o Canadá como nossa “casa”.

– Qual sua idade?
Eu tenho 39 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
A nossa idéia de residir no exterior surgiu pelo fato de meu marido e eu estarmos cansados da situaçãoo política e social do Brasil.
Na época, eu era diretora de escola, e a maneira como estava sendo conduzida a educação no meu município me deixou completamente infeliz. Sem contar todo o problema social do Brasil como um todo. Também a violência e a falta de perspectiva nos motivou a tomar a decisão final.
O fato de meu marido ser canadense também pesou bastante na decisão final. E em outubro 2004, chegamos no aeroporto de Toronto, com nove malas na mão (três cada um) e muita vontade de vencer todos os obstáculos.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Para mim conseguir o visto de residência foi fácil.
Demorado, eu posso dizer, mas foi fácil. Como meu marido é canadense, aplicamos para um visto de reunião familiar. Este tipo de visto aqui no Canada possibilita o recebimento do Cartão de Residente Permanente direto, sem passar por nenhum outro visto. Aqui, este cartão é chamado de PR Card, ou Permanent Resident Card. Com esse cartão a pessoa tem acesso a todos os benefícios do Canadá. Como por exemplo, trabalhar legalmente, ter acesso a médicos, tirar a carteira de motorista, praticamente tudo que um cidadão canadesnse faz, com exceção de votar em eleições. Este cartão deve ser renovado a cada 5 anos. Mas depois de 3 anos, com o cartão de permanente, a pessoa pode aplicar para receber sua cidadania. E foi o que fiz em Maio de 2007. Foi a realização de um sonho receber minha cidadania numa cerimonia tão linda, que me emociono cada vez que penso sobre isso!
Mas, posso afirmar, que de fato só me senti canadense quando eu recebi meu passaporte!
Lembro bem da primeira vez que visitamos os EUA, depois de receber meu passaporte canadense… Chegamos na fronteira do Canada com o os EUA, entre a cidade de Windsor (Canada) e a cidade de Detroit (EUA), e o policial americano perguntou :
Qual e a tua nacionalidade?“, e eu respondi com o peito estufado : “canadense!” e entreguei meu passaporte para ele. Nossa, quantas emoções!

Não quero dizer em momento algum que escondo minha nacionalidade brasileira. De jeito nenhum! Falo pra todo mundo que sou brasileira! Mas na fronteira com os Estados Unidos, ser canadense facilita as coisas…heeeheheh.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Temos seguro de saúde através do meu trabalho. Na verdade, o seguro de saúde aqui é só uma extensão do plano de saúde, pois o governo canadense cobre quase tudo. Aqui a saúde é de graça e todo cidadão que esta aqui legalmente apos três meses, recebe seguro de saúde através da província onde ele/ela esta morando, totalmente de graça.
As empresas daqui costumam oferecer um pacote de benefícios para seus funcionarios como forma de auxilio para as coisas que o governo não paga, ou não paga 100%.
Por exemplo, eu tenho através do meu trabalho o que eles chamam de “benefits“, é um pacote composto de plano para dentista, massagem quiropraxista, oculista, aparelho ordotontico e também um plano de aposentadoria e direito a tirar dias do meu trabalho para resover problemas pessoais ou ficar em casa sem perder salário, quando estou doente. Os famosos : “sick days“.
Minha familia toda (marido e filha) recebem esse seguro através do plano da minha empresa.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Eu trabalho como assistente de professor. No Brasil, como falei antes, eu era diretora de escola. Fui professora primária no Brasil por 10 anos e depois supervisora de educação, ate chegar a ser diretora. Fiz faculdade de educaçãoo e pos-gradução em psicologia, tudo na terrinha, antes de vir pra cá.
Conseguir esse emprego que tenho hoje, de assistente de professor não foi fácil. Mas, não se engane, é fácil conseguir empregos no Canada. Tem para todos os gostos e bolsos, mas o problema e que nem sempre será na sua área. Pelo menos no início… esse foi o meu caso. Aqui no iglu, comecei trabalhando de manicure. As pessoas vinham na minha casa, ou eu ia na delas para fazer unha. Isso dá um bom dinhero por aqui. E eu precisava estudar inglês, então estudava inglês de manhã, e fazia unha a tarde e nos finais de semana.
Depois de alguns meses fazendo unha, resolvi enviar meu curriculum vitae, (aqui chamado « resume ») para algumas escolinhas de educação infantil. As famosas creches, aqui chamadas : « Day care ». Consegui vaga como substituta em alguns deles. Aqui eles tem isso, a pessoa trabalha como « free lancer », fica em casa esperando eles te ligarem quando eles precisam de ti, quando alguém esta doente. Então só tem trabalho quando alguém fica doente, senão a pessoa fica em casa. Não dá para contar com uma renda dessas, e bem instável. Mas, o negócio é fazer aplicações pra varios lugares ao mesmo tempo, que foi o que eu fiz, daí as chances aumentam.
Depois de fazer isso por um tempo comecei a enviar meu curriculum para escolas, para conseguir trabalhar como assistente de professora. E um trabalho bem pago, e a pessoa tem o verão livre, férias entre Natal e Ano Novo e todos os feriados pagos!
Depois de muito insistir consegui uma vaga em uma escola. Isso foi em Ontario.
Agora, que mudei para Alberta, com a experiência que tive em Ontario, somados aos cursos que fiz por lá, foi super facil conseguir outra vaga de Assistente de professora por aqui também. Eu amo minha escola, meu trabalho e o jeito que educação e vista por aqui.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Bem, eu tive que mudar meu setor de trabalho no início, logo que cheguei aqui, como mencionei na resposta anterior. Mas, após alguns meses e alguns cursos de atualização, eu estava de volta no setor de educação, onde trabalhei no Brasil a minha vida toda.
Ainda não estou lecionando, estou somente como assistente. Para lecionar no Canada e preciso ter uma licensa especial emitida pela província. A chamada : “teaching license “.
Cada província e responsável por emitir as licensas para seus professores.
Como eu morava em Ontario, iniciei meu processo para receber minha licensa por lá. Quando estava quase no final do processo, meu marido recebeu uma proposta de trabalho aqui em Alberta. Então nos mudamos e eu não terminei meu processo em Ontario ainda.
Minha meta agora e finalizar meu processo para receber a licensa de Ontario, e assim que recebe-la, iniciar o processo aqui em Alberta também. Quando se tem uma licensa pra exercer a sua profissão expedida por uma provincia canadense, o processo para receber outra em uma provincia diferente se torna bem mais fácil.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
É fundamental falar a lingua local, por mais dificil que isso possa ser.
Quando sai do Brasil em 2004, tinha feito varios cursinhos de inglês, o último inclusive a nível universitário. Então estava bem segura para vir pro Canada.
Qual foi minha surpresa quando cheguei aqui e descobri que eu não sabia ingles! Ou melhor, não sabia tanto quanto eu achava que sabia! Foi um choque!
Fiz meu teste em Ontario para ver que nível de inglês eu tinha e meu resultado foi nível 2!!! Sai do Brasil achando que eu era nível 5, pelo menos para os padrões brasileiros eu era…hheee
Decidi naquele dia que iria aprender inglês de qualquer jeito e rápido.
Me matriculei num curso de inglês (aqui no Canada é de graça para que tem o visto de permanente), e comecei a ler, assistir TV, ouvir radio/musicas só em inglês. Em um ano meu ingles melhorou bastante. Hoje, quase 7 anos depois posso dizer que meu ingles é bom, mas ainda não me considero fluente.
Por causa do meu inglês fraco, no início, passei por situações muito engraçadas, como por exemplo fazer bastante gestos para ser entendida ou escrever num papelzinho coisas que eu precisa numa loja, no banco, etc… Me sentia como uma criança indo no supermercado com a notinha feita pela mamãe e entregando para alguém ler e me dar as coisas listadas..hehee
Mas, apesar de tudo, posso dizer que nunca tive nenhum preconceito por isso. Inclusive hoje com o sotaque que carrego, nunca sofri nenhum preconceito, ninguém nunca fez gracinha por isso, com exceção da minha filha, que até hoje corrige minha pronuncia…ehhee

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Como já disse nunca sofri nenhum tipo de preconceito por aqui. O pessoal é bem paciente e te respeita bastante. Até porque o número de estrageiros por aqui e quase maior do que o número de nativos.
A única coisa que observei é que nos orgãos governamentais, eles não tem muita paciência para ouvir a gente tentando falar ingles…Eu lembro do dia que cheguei no aeroporto de Toronto, no setor de imigração e eu tentei responder as perguntas do fiscal, e não consegui, na segunda pergunta, ele disse: “você tem um interprete contigo, ou alguém que fale inglês um pouco melhor que você para a gente poder finalizar isso aqui logo?”
Aquilo doeu um pouco, mas foi um empurrão para eu aprender a falar inglês logo, pois eu entendia quase tudo em ingles, só não conseguia falar ainda…
O Canadá é um lugar maravilhoso, limpo, organizado, tudo funciona. A policia é ágil, os setores governamentais trabalham de acordo com as leis, e tudo é muito bom.
A qualidade de vida aqui é excelente, principalmente em Alberta, que por ter captaçãoo de óleo, é considerada a provincia mais rica do Canada.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Nós temos uma filha de 11 anos, que quando saiu do Brasil não falava uma palavra em inglês. Ela tinha 5 anos na época. Ela se adaptou super bem. Hoje ela tem dificuldades para falar portugues. A gente tenta manter nosso português em casa, mas quando conversamos com ela em português, ela responde em inglês…sempre.
Ela ja esta na sexta serie do ensino fundamental e ela só tem amigos (as) canadenses.
Nós (meu marido e eu) temos alguns amigos brasileiros por aqui.

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades? Sinto bastante saudades da minha familia no Brasil. A familia do meu marido mora na Alemanha, entao a gente e bem sozinho por aqui no quesito lacos familiares. A gente tenta fazer laços de amizade para superar esse « vazio » que faz a falta da família. Especialmente na época de Natal e Ano Novo, nos aniversários…
Outra coisa que morro de saudades e de um bom churrasco gaucho. Por aqui tem umas imitações de churrasco, mas não é a mesma coisa…
Outro fator que nos deixa louco de saudades do Brasil é a temperatura…aqui quando é frio é frio! Em Alberta principalmente as temperaturas são bem baixas. Já pegamos frio de -45C e posso afirmar que isso é muito frio, mesmo para uma gaucha acostumada com frio do Sul. Sinto muita falta de uma praia tambem. Aqui só tem lagos e a agua mesmo no verão é muito fria!

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Nas horas vagas a gente costuma passear por aqui. O Canada é lindo e tem muitos parques e atividades para fazer. Muitas delas, como festivais de verão que acontecem ao ar livre sao de graça pra comunidade.
A minha filha participa dos esportes de inverno daqui, como por exemplo, patinar no gelo e « curling » que ficou bem famoso depois das Olimpiadas de inverno, daqui é que mais parece um jogo de bocha no gelo. Minha atividade de inverno é assistir filmes, ficar mais por casa mesmo e esperar o inverno passar…Na primavera, verão e no outono a gente não para em casa.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
No momento Canada é o nosso lugar. A gente realmente gosta daqui e tem nossa vida estabelecida por aqui. O futuro só Deus sabe.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
No início a gente alugou. Mas agora compramos nossa casa.
As casa aqui em Alberta sao extremamente caras comparando com Ontario.
Para se ter uma ideia, o dinheiro que ganhamos pela casa que vendemos em Ontario, não deu para pagar nem a metade do valor dessa que compramos. Tivemos que financiar o resto. E isso que a casa que tinhamos em Ontario é mais ou menos compatível com essa.
Aqui todo mundo financia suas casas. Da-se uma entrada de 5 a 10% do valor e o resto financia entre 20 e 35 anos.

– Qual o custo de vida?
O custo de vida aqui também é alto. Uma família de 4 pessoas para viver bem, sem passar apertos precisa de pelo menos $ 5,000.00 por mês.
O aluguel ou financiamento da casa consome boa parte do seu dinheiro. E é preciso pagar seguro de casa, carro, e além de agua, luz, internet e telefone, tem a conta do gás, que no inverno é altíssima, pois o aquecimento das casas é feito a gás.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
O único ponto negativo do Canada para mim é o frio e a neve.
Eu por ser gaucha, até gosto do friozinho e da neve, mas problema é que nosso inverno aqui é muito longo… No calendário vai de 21 de dezembro a 20 de março, mas na realidade, o inverno aqui em Alberta, especificamente, vai de outubro a maio, com direito a frio e neve a maior parte desse tempo.
Os pontos positivos são vários: saúde pública, segurança, qualidade de vida, educação, direitos humanos, beleza natural, salários compatíveis com a função, perspectiva de crescer profissionalmente, aposentadoria… minha lista é longa.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Uma coisa que todo expatriado que mora no Canada menciona é o fato dos canadenses serem bem reservados. Isso é verdade, e isso pode ser um problema para alguns. Para mim, não tem problema nenhum, eu até gosto disso. Acho muito bom ter meu espaço respeitado.
Outra coisa que notei de saida foi a questão do humor canadense… não que eles não tenham senso de humor. Eles tem sim, mas o senso de humor canadense e completamente diferente do Brasil. Levei um tempo para achar graça das piadas deles e para rir assistindo os famosos: “stand up comedy”, um show de piadas.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Uma coisa que eu gosto muito daqui é o sistema educacional.
Aqui não existe « repetir ano escolar ». Nenhuma criança repete ano por aqui, mesmo se ela não atinge os objetivos daquela série. Ela segue para o próximo ano e tem auxílio na escola, através da assistente da professora, pago pelo governo, para superar aquelas dificuldades do ano anterior.
Eu fui professora no Brasil muito tempo e tive muitos alunos repetindo as mesmas series por muitos anos. Eu notei que ao invéz deles aprenderem e melhorarem naquilo que eles não atingiram no ano anterior, muitos deles pioravam ou largavam a escola, por se considerarem incapazes, ou por se sentirem envergonhados de verem seus amigos em outras series, enquanto que eles tinham as vezes 10 anos de idade e estavam na primeira serie ainda…
Acho isso um crime, o Brasil podia mudar nesse aspecto e implementar o sistema canadense. (Alguém ai por favor me diz que já esta mudando?!)
Como Paulo Freire já dizia, a vida vai te fazer repetir e te dizer não e te fazer sentir humilhado muitas vezes. Pra que fazermos isso na escola? Ele tava certo!

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Se você esta pensando em mudar para o Canada, aprenda ingles, aprenda tudo que puder sobre a cultura antes de vir. Entre em contato com as pessoas que estão aqui ou que já viveram aqui. Troque ideias, se informe. Esse país é maravilhoso, mas voce tem que vir preparado para enfrentar desafios e vence-los. Se não fizer isso voce vai se frustar e se sentir isolado.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria? Oportunidade!

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Para se informar sobre o Canada tem varios websites que são maravilhosos.

O site oficial do governo e um dos melhores : http://www.canada.gc.ca/home.html

Cada provincia tem seu website, se quiser vir pra Alberta esse é o nosso: http://alberta.ca/home/

Quando eu morava em Ontario, achei esse website bastante útil : http://www.caisbrasil.org/

Uma revista brasileira que tem circulação nacional aqui no Canada é a Brazilian Wave, que pode ser lida on-line ou comprada na banca. Em lojas brasileiras por aqui a revista e de graca : http://www.brazilianwave.ca/

E por óltimo, o meu blog, que comecei a pouco tempo, que não tem informação sobre imigração, mas fala das coisas que sinto e vivencio morando aqui nesse iglu. Se quiserem dar uma olhada e deixar um comentário, serão mais do que bem vindos : http://igludaclaudia.blogspot.com/

7 Respostas

  1. AHHH
    minha tia aii, pois é tem que ser corajosa pra sair do Brasil TROPICAL ahuauhas … e encarar esse frio, mas esse país tem muitas vantagens, e cada vez q a tia ai, conta essas coisas acredito mais que ela fez uma ótima escolha!

  2. […] This post was mentioned on Twitter by Mirella Matthiesen, Vinícius Barreto. Vinícius Barreto said: @izzynobre http://bit.ly/g0kmXM Conhece esse site?sempre achei que você poderia contribuir pra ele, e agora me aparece uma da sua área =D […]

  3. Ótima entrevista, gostei mesmo.

  4. Claudia,

    Parabéns pela entrevista.
    Parabéns pela filha linda que vc tem.
    Morei na Alemanha e voltei no final de dezembro para o Brasil.
    Realmente o exterior é ótimo para morar/qualidade de vida nem sem fala.
    Mas não consegui ficar longe da familia/amigos. E nem do sol/praia. Eu odeio o frio.

    Boa sorte

  5. Claudia, parabens pela entrevista!
    Sabes, gostaria de PUBLICAR NO BLOG SOBRE “COMO VC, ESPOSA EXPATRIADA” PRETENDE PASSAR O CARNACVAL FORA DO BRASIL??? Que achas? Vc poderia me enviar uma “frase”? Mil bjs!

  6. Muito boa entrevista, bem assim que nos sentimos.
    Nos somos de Porto Alegre (eu, marido e filho). Gostaria de entrar em contato contigo. Temos 6 anos de canada (em Ontario) e um mes (em Edmonton, Alberta).

    Tudo de bom pra voces!

    Ingrid

  7. “terras geladas do Canadá onde as estações são; inverno rigoroso, inverno muito frio, inverno com muita neve e inverno…”

    Nao poderia haver descricao mais fora da realidade do que a acima.
    E nos dias atuais, aonde um simples click do mouse revela muita informacao as pessoas.

    Incrivel!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: