No caminho das Índias

Gisela na IndiaGisele sempre quis fazer intercâmbio, e quando surgiu uma oportunidade, ela agarrou. Não importou que a Índia fosse um destino não muito procurado: a experiência cultural valeria a pena. Então, arrumou as malas e atravessou o oceano, para trabalhar em uma escola, ensinando inglês e fazendo organização de eventos.

– Nome:
Gisele Pelisoli

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci e cresci em Porto Alegre, RS

– Em que país e cidade você mora?
Estou morando em Chandigarh, no Norte da Índia

– Você mora sozinho ou com sua família?
No Brasil morava com minha família, na Índia estou morando com outros estrangeiros. A organização que me trouxe para cá tem um fluxo grande de estrangeiros, então eles mantém uma casa e sublocam os quartos. Já conheci muita gente de vários lugares assim. No momento tem 8 pessoas na minha casa: 1 japonês, 2 polonesas, 1 russa, 1 alemã, 1 americana, 1 brasileiro e eu.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
5 meses

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Não

– Qual sua idade?
23

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Eu sempre quis fazer intercâmbio… Quando era mais nova quiz fazer o programa de high school no exterior, depois quiz fazer curso de língua, depois programa de au pair… Só que tudo isso custa muita grana, e a minha família não apoiava (vocês sabem como eh, filha caçula a família quer por perto).
A oportunidade realmente surgiu através da AIESEC. Não, não eh uma agência de intercâmbio. Essa organização tem o objetivo de ajudar a desenvolver o potencial de universitarios e recém formados, e uma das ferramentas eh o intercâmbio. Foi a possibilidade de viajar que me chamou a atenção, mas eles tem um trabalho tão legal que fui voluntária na organização por dois anos antes de decidir realizar intercâmbio. O mais legal da proposta eh que eh intercâmbio profissional: você vai estar trabalhando (o que diminui bastante o custo da viagem) na sua área. Através da AIESEC você pode ir para qualquer país em que eles estão presentes (105) e trabalhar no que tiver interesse. Eles tem contatos com diversas empresas, para diversas tarefas… Eu estou trabalhando como professora, tem gente que vem trabalhar com marketing, recursos humanos, contabilidade…

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Foi chatinho, e inclusive já postei sobre isso no meu blog. O site do consulado indiano no Brasil faz parecer tudo muito fácil. Realmente, todas as informaçoes que você precisa estão lá: documentos necessários, taxas… O prazo eh que complicou a minha vida. Lá esta escrito inclusive que você não precisa fazer entrevista: manda por sedex o passaporte, os documentos e o comprovante de pagamento (da taxa do visto e do envio de volta do sedex), e depois de 3 dias uteis seria enviado de volta o passaporte. Só que no meu caso passou uns 10 dias uteis e nada… Eu estava bem nervosa porque precisava ir o quanto antes, para iniciar as aulas. E eu ligava para la todo dia para ver qual era o problema… dificilmente conseguia ligação, mas quando conseguia ou a secretaria me dizia que não tinha nada errado e que o visto estaria pronto no dia seguinte (mentira, nunca ficou!); ou então ela me passava para o cônsul, que falava um inglês horrível, com um sotaque muito carregado e eu não entendia muito o que ele falava. Entendia que ele falava “no problem” (comecei a escutar muito isso depois que vim para cá). Chegou uma hora que eu cansei, e resolvi ir pessoalmente no consulado em São Paulo. Cheguei la e só então foram me dizer que estava faltando uma carta de recomendação da empresa em que eu iria trabalhar. Fala serio!!!! Mandei e-mail, consegui a carta no dia seguinte, e no outro dia meu visto estava pronto. E embarquei no terceiro dia.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Eu decidi não fazer seguro saúde. Quando fui pesquisar os preços, o custo de todos os lugares era incoerente! Como o custo de vida na Índia eh muito baixo, e o preço que você paga pelo seguro eh o preço que eh coerente com o Brasil, decidi que seria mais barato pagar um medico aqui caso eu precisasse… e realmente esta sendo. O preço que eu pagaria por 1 ano de seguro saúde era aproximadamente o valor que eu ganharia trabalhando 1 ano aqui

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sim. Eu já sai do Brasil com tudo acertado… Emprego, lugar para morar… essa parte foi bem tranquila.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Mudei… Eu cursava faculdade de Design de Moda no Brasil, e queria trabalhar com produção de figurino. Aqui sou professora e ajudo na produção de eventos. Mas essa escolha foi minha, eu escolhi o emprego antes de viajar. Gisela na India

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Eu ainda não falo muito, mas estou tentando aprender. A Índia tem muitos dialetos, mas acho que o mais falado (pelo menos no norte, onde eu estou) eh o Hindi. Estou tentando aprender através de um livro daqueles “aprenda você mesmo”, porque não consegui encontrar professor… Um monte de gente diz que quer me ajudar, vai me ensinar, mas aula que eh bom mesmo, nada. No momento eu tenho uma noção muito básica: sei me apresentar, contar ate 20, entendo algumas palavras. Não eh o suficiente para realizar uma conversa, mas eh o inicio.
Eu acho muito importante aprender a língua local. Começa por ser uma questão de respeito – você esta no país deles, porque eles devem se adaptar ao seu idioma? Você que tem que se adaptar ao deles! Alem do que, não eh com todo mundo que você vai conseguir falar… Eh uma situação tipo a do Brasil: você vai conseguir falar em inglês só com a classe media alta e para cima, e ainda assim não todos. Você perde muito da cultura, do contato com as pessoas se você não estiver disposto a aprender. E o pessoal fica muito, muito feliz de ver que você esta tentando… nem que seja uma palavrinha no meio da frase. Se te fizerem uma pergunta em inglês e você responder “Han ji” (sim) eles abrem um sorriso de orelha a orelha “você fala hindi?” “só um pouquinho” e eles emendam tentando te ensinar mais palavras. De novo, acho que eh a mesma coisa que acontece no Brasil… Não eh tão legal quando você escuta, mesmo com um sotaque bem carregado, um “obrigado” ou “por favor” de um estrangeiro?

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu gosto muito da Índia. Tem uma expressão em inglês que explica “it grows on you”. Sim, tive um choque cultural quando eu cheguei, e as vezes ainda me surpreendo com algumas coisas, mas em geral tudo parece tão normal, tão natural agora.
O que eu percebi no geral ateh agora eh que aqui o pais esta atrasado de varias formas. Tem a questao da pobreza enorme (acho que eh mais grave que no Brasil). Tem a questao cultural de desvalorizacao da mulher. Ate mesmo as musicas: aqui esta tocando direto nas radios backstreetboys, as musicas do primeiro album deles
Mas eu gosto muito da minha cidade. Ela eh chamada de “City Beautiful” – traduzindo: cidade linda. E realmente eh! Ela foi uma cidade planejada, um negocio tipo Brasília, mas bem mais organizado. Tem vários espaços reservados para parques, a cidade tem também um lago artificial… tudo pensado para ser agradável morar aqui.
Gisela na India

Todos os bairros são em formato retangular e cada um deles tem mercado, farmácia, restaurantes, lojas, praças… Você não precisa ir longe para encontrar o que precisa. E a estrutura em que a cidade foi projetada não pode ser alterada de forma alguma… Se ali eh área residencial, não pode virar uma loja de jeito nenhum. E se um prédio velho de 3 andares eh demolido para ser reconstruído, tem que ser outro de 3 andares – nem mais nem menos. Se aqui eh uma praça, não será construído nenhum prédio ali. Os setores são todos enumerados (não tem nome, só numero) e tem uma sequência, o que facilita se muito se achar. Uma curiosidade eh que por superstição a cidade não tem o setor 13…
Gisela na India

Bom, eh fácil se achar entre os setores, mas o endereço complica… porque aqui as ruas não tem nome… O endereço eh só o setor e o numero da casa, dai você da milhões de voltas ate achar o lugar certo….
O símbolo da cidade eh o “Open-hand Monument” (foto abaixo) 4 – open hand monument), com o lema “open to give, open to receive”. Para mim essa eh só mais uma forma de dizer uma coisa que eu sempre acreditei: Você ganha aquilo que você da; se você eh bom, coisas boas acontecem para você; se você se fechar para o mundo, o mundo vai se fechar para você.
Gisela na India

Talvez seja por isso que o povo aqui eh muito hospitaleiro. Eles fazem de tudo para fazer você se sentir bem. Eu lembro que uma vez, eu estava na Índia ha umas 3 semanas, eu tinha tido um dia terrível, e ainda me perdi para voltar para casa (eu estava hospedada em casa de família) e quando cheguei não tinha ninguém para abrir a porta. Eu sentei no degrau da escada e comecei a chorar. Em dois minutos a vizinha do lado desceu, e com um inglês precário e muita mímica me perguntou o que estava acontecendo. Eu contei e ela disse “Não se preocupa, você vem para a minha casa” Tentei recusar, mas depois de muita insistência aceitei, e na casa dela ela fez questão que eu tomasse agua, chá e comesse biscoitos, enquanto ela ligava para o celular do dono da casa, para a pessoa voltar o quanto antes e eu poder entrar em casa.
Se você marca de sair com alguém, eles vem te buscar em casa, te levam, perguntam 5000 vezes se esta tudo bem, ou se precisa de alguma coisa, se vocês vão comer em algum lugar não deixam você pagar a conta de jeito nenhum. A comida por sinal, eles te oferecem o tempo todo, e se sentem ofendidos se você não aceita. Esse tipo de tratamento não eh só para estrangeiros, e para hospedes em geral (se vier um indiano de outra cidade, vai ser a mesma coisa). Eles tem inclusive um ditado em hindi que diz que o hospede deve ser tratado como um Deus.
A única situação de convivência que realmente incomoda eh a aproximação de alguns homens. Como aqui a cultura eh muito fechada em relação as mulheres, eles não tem muita interação, e enxergam nas estrangeiras oportunidade de sexo fácil. Eles chegam dando em cima descarado, sem o menor respeito, chegando a ser nojento. Claro, não são todos que fazem isso, mas a maioria dos homens trata mulher estrangeira assim.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não tenho filhos.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Saudade eh uma coisa óbvia… Todo mundo sente. Todos que você ama estão la, certo? A gente tenta amenizar, escrevendo, falando por msn ou skype. Mas eh uma coisa constante, esta sempre la. E essa saudade faz voce se sentir solitario. Por mais que você faça novos amigos, ninguém vai ser a tua mãe, ou aquele amigo de infância. As pessoas que eu conheço a mais tempo aqui, eu conheço a 5 meses… Claro que pela situação se cria proximidade mais rápido, porque afinal, todo mundo esta se sentindo sozinho e procurando amigos, acaba sendo uma experiência mais intensa. Quando você esta sozinho eh que a saudade aperta mais… então o negocio e sair bastante com os amigos, fazer aula de alguma coisa (dança, yoga, teatro….), viajar bastante… qualquer negocio para se distrair.
Quanto a produtos, sinto falta de carne vermelha… Aqui a maioria das pessoas eh vegetariana, e as que não são comem só frango porque a vaca eh sagrada… Sinto falta de açucar refinado (aqui só tem açucar cristal). Sinto falta de guaraná, sinto falta de alface (aqui eh muito quente e as folhas verdes murcham rápido, então nunca tem para vender. Sinto falta de poder não me importar com a roupa que estou vestindo (porque aqui decote grande e saia curta não podem existir ne?). Sinto falta de biscoito Trakinas (aqui os recheados não são muito bons)

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Sempre que possível eu viajo… Eh meio que a rotina dos trainees que estão em Chandigarh… Sexta de noite a gente viaja para algum lugar e volta domingo de noite ou segunda de manha. Segundas em geral o pessoal esta cansado. Quartas feiras eh tradição ir em uma casa noturna, que tem entrada gratuita para mulheres e casais (do contrario eh 3000 rupias só para entrar) e bebida liberada para as mulheres. Terças e quintas em geral a gente se reúne para jantar…. seja em um restaurante ou na casa de alguém para experimentar a culinária de outros países. Nesses dias também costumamos ir no cinema ver filmes de Bollywood (muito divertido!) que incrivelmente conseguimos entender a historia. O interessante aqui eh que absolutamente todos os filmes são musicais e no cinema existe intervalo na metade do filme (mesmo que seja de hollywood, na metade o filme para e as luzes acendem) para o pessoal ir no banheiro ou comprar alguma coisa para comer. Nos fins de semana que eu não viajo (por cansaço ou grana curta) costumo caminhar em parques (tem muitos por aqui) tomando chimarrão, ou ir fazer compras (em comparação com o Brasil eh tudo muito barato, especialmente as coisas de marca)

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Não tenho certeza ainda… O que eu posso ter por certo eh que quando eu completar 1 ano aqui eu preciso voltar por dois motivos: primeiro pelo meu visto e segundo porque eu tenho que terminar a faculdade. Eh certo que pelo menos 6 meses eu vou ficar no Brasil, mas depois disso, não descarto nenhuma possibilidade… Tanto de voltar para a Índia como de ir para outro pais.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
Eu alugo uma vaga na casa da AIESEC. Como eles tem um fluxo de estrangeiros muito grande, eles mantém algumas casas pela cidade e sublocam para o pessoal que esta vindo. Eu divido o quarto com uma menina da Polónia. Por isso pago 3000 rupias (mais ou menos 125 reais). Sei que existem muitos PGs (paid guest house – espécie de penção) com esse valor aproximado, mas você não tem liberdade de horários. Para estrangeiro alugar alguma coisa aqui eu sei que eh complicado, porque o pessoal daqui tem medo depois do atentado em Mumbai. Conheço algumas pessoas que conseguiram… Esta entre 10 e 15 mil rupias um ap de 3 quartos (depende da localização, se eh um prédio novo…). A questão de comprar, não faço ideia, mas deve ser difícil, se alugar já eh complicado…

– Qual o custo de vida?
Isso depende muito do padrão de vida… Eu vivo bem com 170 dólares por mês, tem dinheiro suficiente para aluguel, comida, festas e viagens

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Positivo: O custo de vida eh muito barato aqui. O povo eh muito hospitaleiro. A comida eh otima (você leva um tempo ate se acostumar com a quantidade de temperos, mas depois… olha, vou sentir falta disso no Brasil)

Negativo: Estrangeiro chama muita a atenção, especialmente mulheres. Você acaba se sentindo um alienígena na rua, de tanto que olham. A cultura eh um pouco fechada para as mulheres. Te olham estranho se você anda sozinha, se você esta em um grupo com vários homens, se você esta na rua depois das 10 horas. A maioria dos vendedores, motoristas de rickshaw e qualquer outra pessoa que lida com dinheiro tenta te cobrar mais porque você não parece indiano. Eh um lugar poluido e sujo – você vê direto lixo no chão e inclusive o pessoal mais educado joga coisas pela janela dos carros. O transito eh caótico. Existe muita pobreza. Os slums/favela daqui eu diria que estao em situacao pior do que os pobres brasilleiros

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Eu acho muito engraçado alguns padrões de preferência. Exemplo: sempre quando chove todo mundo vem me dizer “It’s such a nice weather today, na?“. No inicio eu achei que estavam ironizando, mas eles realmente acham que o tempo esta bom quando chove… E também a questão de estética: no Brasil todo mundo quer estar bronzeado e usa roupas que revelam as qualidades do corpo; aqui eh lindo ser branquinho que nem leite (eles vendem inclusive cremes para clarear a pele) e as roupas escondem tudo, a roupa eh bonita quando eh larga e toda colorida e bordada. E a questão dos animais… eh muito comum ver vacas e macacos na rua, e isso não chama a atenção de ninguém.
Gisela na India

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Nada pode preparar você para a índia. Eu já tive contato com indianos antes de vir para cá, e li bastante a respeito, mas sempre você sente o baque. A Índia não tem meio termo – ou você ama, ou você odeia. A melhor coisa que eu posso sugerir eh: esteja preparado para mudar seus conceitos. E pode ter certeza, se voce tinha nojo de qualquer coisa, vai perder…

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiência que esta vivendo nesse país, qual seria?
Aceitação. Você aprende a aceitar o diferente, e que coisas que são óbvias para você, não são aqui. Você aprende aceitar que as diferenças – culturais, sociais. Elas coexistem pacificamente. A índia eh um dos únicos lugares do mundo que você pode ver uma vaca atravessando a rua, quase ao lado de um monge budista e olhar para o outro lado da rua e ver uma loja de eletrônicos

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?

www.giselepelisoli.wordpress: esse eh o meu blog, conto aqui as coisas que estou vivendo e acho interessante

Advertisements

5 Respostas

  1. Linda entrevista!
    Eu hospedei uma indiana a muito tempo atras pelo Rotary… Estou planejando visitar minha “irma” logo logo.. sonho em ir conhecer a India, e foi bom vc falar objetivamente o que está vivenciando por ai.. acho q nada te prepara para o que vc vai encontrar quando mora fora.. Culture shock depende de quem vai e pra onde.. hehe
    Beijos

  2. Parabéns!!! Adorei o que você escreveu!

    Você pode me dizer como é o campo da saúde na Índia? Eu me formei em Fisioterapia e gostaria de trabalhar na Índia.

    Obrigada

  3. Olá, Gisele. estou indo para Nova Delhi em agosto. Conhece algum brasileiro que esteja morando lá para me dar algumas dicas? Abraço.

    • Ola Sou angolano,

      Estarei em Nova Delhi entre 28 de Julho até 29 de Agosto gostaria conhecer uma brasileria la pra poder me dar algumas indicações se for também turista pago hotel durante a estadia dela la.

      Meu email é: molenga.lemos@gmail.com

  4. Olá , Gisele eu gostei muito da sua coragem e te digo , o sonha da minha vida é fazer o que você fez.
    Tenho vontade de conhecer a India, mais não como turista, assim como você me tornar o maxmo comum, trabalhar ou estudar por um determinado tempo.
    Gostaria muito de entrar em contato com você, me passa seu email.
    Obrigada, Deus te cubra de bênçaos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: