Vivendo na terra dos irmãos portugueses

Denise em PortugalA fotojornalista Denise Mustafa resolveu um dia mudar de vida.
Trabalho e batalhou pra caramba durante 2 anos e largou toda uma vida no Brasil por essa experiência inesquecível de cidadã do mundo. E ainda trouxe um namorado a tiracolo!

– Nome:
Denise Mustafa

– Onde nasceu e cresceu?
Fortaleza/CE.

– Em que país e cidade você mora?
Porto/Portugal
Denise em Portugal

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com meu namorado brasileiro (viemos juntos).

– Há quanto tempo você reside nesse local?
8 meses.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Não.

– Qual sua idade?
26.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Sempre tive vontade de morar fora, desde a época do colégio. Preferi esperar até depois da faculdade pra escolher o lugar, o curso, etc. Em 2006 eu e meu namorado viemos passar o réveillon na Espanha (Madri e Barcelona) e nos apaixonamos. E então decidimos pesquisar as Universidades em Portugal, pela facilidade da língua, pois apesar de falar espanhol não nos sentíamos seguros em estudar na língua, e pelo custo X benefício: Portugal se mostrou mais barata, tanto em relação ao curso como pela moradia.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Não. Por causa do mestrado o visto que consegui foi o de estudante. O mais difícil é juntar todos os documentos em tempo. Mas com a carta de aceitação da Universidade na mão e todos os outros documentos foi super tranqüilo. Com o visto em mãos, que só dura 4 meses, temos que ir no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) pedir o título de residente. Aí é mais uma papelada (quase a mesma que é preciso pro visto) e pronto. O título tem duração de 1 ano e é renovável caso vá se passar mais tempo.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Sim, tenho. Consegui o PB4, que é um seguro-saúde do Brasil em convênio com Portugal. Ele já é obrigatório para o visto. E é de graça. Só precisa também juntar uns documentos que eles pedem, incluindo a carta de aceitação da Universidade, no caso de visto de estudante. Vale no sistema público de saúde, ou seja, o SUS daqui.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Não. Estou aqui com as economias poupadas durante 2 anos de trabalho no Brasil. Tentei conseguir trabalho mas, atualmente, aqui em Portugal está bem difícil. Com a chegada da crise muitos portugueses têm sido demitidos e, por isso, eles preferem contratar cidadão local ao invés de estrangeiro. O que pode conseguir é “bico”, como entregar panfleto na rua, esse tipo de coisa. Tentei até estágio voluntário (mesmo já sendo jornalista formada há 4 anos e com pós-graduação) e nem assim consegui.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Bom, morando em Portugal não precisamos falar outra língua para nos comunicar mas, se o intuito for fazer mestrado ou doutorado, o melhor é que venha pelo menos entendendo um pouco de inglês, espanhol e, se possível, francês, pois eles utilizam bastante literatura não traduzida. E, apesar de também falarmos português, existem tantas palavras iguais com significados diferentes que acho importante que, quem queira morar aqui, aprenda e use no dia-a-dia. Principalmente as gírias e o vocabulário local, já que muda um pouco do Norte pra Lisboa, por exemplo.
Denise em Portugal

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Portugal é um país belíssimo, com uma cultura rica e pessoas maravilhosas. Escutamos algumas coisas sobre os portugueses mas nem tudo é verdade. E nem tudo são flores, claro. Mas a grande maioria deles, principalmente aqui no Norte, são bastante receptivos. Quando percebem alguém precisando de ajuda fazem de tudo pra apoiar. No início os portugueses que conhecemos, até na rua, foram sensacionais. Disso não posso reclamar. O transporte público funciona bem e ainda podemos andar nas ruas até altas horas da noite sem medo de assalto e isso é uma das coisas que vou sentir mais falta quando voltar ao Brasil. Fora que tem cinema, teatro, festivais de música, concertos, uma variedade gigante de atrativos culturais em todos os meses do ano.
Sobre o respeito com os brasileiros é um pouco relativo. Apesar de aqui ter muito brasileiro ainda nota-se um certo preconceito sim, principalmente com as mulheres. Um exemplo disso foi quando entramos no país, via Lisboa. Na imigração meu namorado passou tranquilamente, enquanto que eu, mesmo com visto no passaporte e todos os documentos arrumados, fui perguntada o porque da minha vinda, se tinha onde ficar, quando tempo ia ficar, etc. E minhas amigas da Universidade também confirmaram isso. O problema é que tem muita brasileira que vem pra cá trabalhar com prostituição e, por isso, principalmente os mais velhos acham que são todas iguais. Mas graças a Deus nunca senti nenhum grande preconceito conosco.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Filhos ainda não!

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sinto uma saudade saudável. Sinto falta dos amigos porque a cultura dos portugueses é diferente em relação ao carinho e aconchego dos amigos brasileiros. Mas aqui já consegui fazer amizades fortes que vou levar pro resto da vida. Da comida não sinto tanta porque aqui é fácil encontrar produtos brasileiros no supermercado. Claro que não tem acarajé, caranguejo, baião de dois… mas a gente se vira! E a comida portuguesa é maravilhosa! Então não sinto tanta falta não.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
No frio e na chuva ninguém sai de casa. No máximo pra casa de amigos ou para cafés e bares fechados. Já agora na primavera e início de verão tenho notado uma diferença gigantesca nas ruas. Então vamos à praia, parques, jardins, cinema, eventos culturais nas ruas, enfim… não falta o que fazer por aqui. Além de que o país é super pequeno então dá pra ir e voltar de cidades vizinhas super fácil. Daqui do Porto costumamos ir passar o dia em Guimarães, Aveiro, Braga.. e é sempre uma delícia
Denise em Portugal

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Não, viver aqui não pela dificuldade de trabalho mesmo, que encontramos. Vou voltar ao Brasil em agosto, escrever minha tese de mestrado e volto aqui no próximo ano pra defendê-la.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
Vivo de aluguel. Moro com meu namorado e pagamos 500 euros em um apartamento de 1 quarto. Mas conheço vários estudantes brasileiros que alugam quartos ou dividem apartamentos com outros estudantes e pagam menos. O Porto é uma cidade mais barata em termos de moradia, se comparada a Lisboa, por exemplo. Já é mais cara se compararmos a Braga, que é uma cidade praticamente universitária.

– Qual o custo de vida?
O custo de vida aqui é relativamente barato. Pra duas pessoas gastamos uma média de 1000 euros por mês, incluindo: aluguel, luz, água, gás, internet e alimentação.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Como já falei, acho que um dos principais pontos positivos daqui é a facilidade de locomoção, tanto dentro da cidade como de uma cidade pra outra. O país é super pequeno, então em 12 horas, no máximo, dá para atravessá-lo de carro. Poder andar pelas ruas à noite sem o medo de ser assaltada também é um ponto muito positivo. Em termos culturais o país é rico em tudo. Nos pontos negativos ressalto a dificuldade de conseguir trabalho (me refiro ao Porto) e ao país ainda ser um dos mais atrasados na Europa. Ainda vemos pobreza nas ruas, pessoas pedindo esmola, economia que não anda muito bem. Claro que não é a quantidade que vemos no Brasil, mas ainda assim assusta por ser um país europeu.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
A maior curiosidade em relação a Brasil/Portugal acho que é a própria língua, igual e diferente ao mesmo tempo. Algumas coisas não podemos falar aqui pois são quase palavrões. E vice-versa. Puto aqui quer dizer criança, por exemplo. Da rapariga nem vou falar que todo mundo já sabe né? E várias outras palavras.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Não falo do Brasil inteiro mas da maioria: transporte público. Aqui funciona. No Brasil, pelo menos nas cidades que conheço, não.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Se alguém tiver pensando em vir pra Portugal tentar a vida, trabalhar e ganhar dinheiro aconselho a não vir agora porque a situação está preta. Todo dia aparece na TV uma fábrica a fechar, jornais a demitir pessoal, etc. Quem vier estudar eu indico que venha pois aqui as Universidades são muito boas e os professores muito capacitados. Na área de comunicação, que é a minha, indico a Universidade do Porto e Universidade do Minho (Braga). São bastante conceituadas na área e com um excelente sistema de pesquisa.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria?
Transformadora! Em todos os sentidos.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Pra quem tiver interesse de ver imagens de Portugal indico o meu próprio site: www.flickr.com/denisemustafa

Advertisements

8 Respostas

  1. Que delícia conhecer a Denise um pouco melhor. E a Mirella, sendo a maravilhosa anfitriã que é fica melhor ainda.

  2. que maravilha, denise!
    um beijo pra você. estamos esperando aqui no brasil e não esqueça que a esperança de melhorarmos as pequenas coisas (programas culturais, andar na rua) também depende de nós. já te disse que apesar do caos do trânsito, fortaleza tem melhorado significativamente em alguns quesitos.

    tô te esperando!!!!!!!!!

  3. Que legal, Denise! Espero que a gente se encontre em setembro, quando a Marcie estiver aqui!
    O entrevistando expatriados é ótimo!
    Um abraço,

  4. Também quero muito conhecer vcs Lu!!! Espero que dê tudo certo!
    beijo pra vcs meninas!!!

  5. Parabéns pela sua força de vontade.
    Que delícia conhecer Portugal. Moro na Alemanha a 6 meses e Portugal consta na minha lista para conhecer.
    Boa sorte nos seus estudos e na sua carreira.

  6. que fotos lindaaas de Portugal! wow.
    Realmente bem lembrado na questao curiosidade do país, a propria lingua portuguesa, igual e diferente ao mesmo tempo.

  7. Mi obrigada por ter encontrado alguém do Porto para entrevista e Denise MUIIITTTOOOOO obrigada pela entrevista. Meu marido é portuga/brasuca e tenho muita vontade de morar nesta terra. Estive ai em 2006 e estarei aí este ano e sei que o Porto é meu lugar no mundo.
    Obrigada pelas dicas.
    Bjokas

  8. Ola Denise que prazer em ler sua entrevista…fiquei muito feliz em conhece-la um pouquinho melhor…mais me deu uma nostalgia tão grande…pois estou a 4 meses no Brasil…eu morei ai no Porto 7 anos e meu filho nasceu ai…devido a crise meu marido largou tudo e resolveu vim embora..eu sinto tanta falta de tudo que vc mencionou..eu amo Portugal e tenho muitos amigos ai…a Ribeira de Gaia é um lugar fantastico..aproveita muito enquanto estiver ai pq depois a saudade doi…um grande bjinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: