Desafio Holandês

Silvana na Holanda“Apesar de sempre incentivar o marido a buscar uma vida acadêmica no exterior, Silvana nunca imaginou que isso se daria na Holanda. E há dois anos ela, o marido e dois filhos embarcaram nessa aventura.
Driblar as contas para encaixar-las no orçamento, trabalhar em algo muito a baixo de sua formação, aprender um novo idioma, apoiar o marido e os filhos etc… são desafios que Silvana encara todos os dias. Sem rodeios, ela nos conta de como vem sendo sua experiencia no país das tulipas…”

– Nome:
Silvana Aparecida Pages

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci e cresci em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, depois de adulta, morei também em outras cidades do interior do estado.

– Em que país e cidade você mora?
Atualmente moro em Utrecht, no centro da Holanda, há cerca de meia hora de trem de Amsterdam.

– Você mora sozinho ou com sua família?
Moro com meu marido e 2 filhos adolescentes.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Há 2 anos.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Não.

– Qual sua idade?
35

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Depois que meu marido terminou o mestrado, eu o incentivava a continuar estudando e como sabia que em sua área era possível conseguir bolsa no exterior, eu o incentivava ainda mais a tentar. No entanto, ele sempre dizia que não era hora, queria descansar um pouco. Algumas oportunidades de bolsa nos EUA surgiram, ele não quis. Depois de muito insistir, desencanei. E quando eu menos esperava, ele veio com uma notícia, pra mim, bombástica! Tinha sido aprovado e conseguido uma bolsa de doutorado na Holanda, precisava dar a resposta se iria ou não. Tomei um baita susto! Não esperava, além do mais, era para Holanda, até então, só havia pensado num país de língua inglesa, onde eu e nossos filhos também pudéssemos aproveitar para aprender o idioma, já que não falamos inglês. Imediatamente pensei: P…(piiiiiiiii!rsrs) que idioma se fala na Holanda, holandês?! E agora, José?! Se não falava inglês, muito menos holandês….kkkkkkk…
Depois de tanto incentivá-lo, não podereia declinar nessa hora, confesso que tive uma ponta de vontade, afinal não era bem o que sonhava e nossos filhos já estavam entrando na puberdade, uma idade que julgava ser mais difícil para adaptação e aprendizagem do idioma. No entanto, minha resposta só poderia ser (como meu marido costuma dizer brincando): “Famu lá!” rsrsrs E foi assim, que viemos parar aqui na Holanda…

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Como todos já devem saber, trata-se de um processo bastante burocrático. Não sei explicar muito bem, pois quem fez tudo foi meu marido. Posso dizer que levou bastante tempo. Ele deu início ao pedido em maio/2006 e tivemos o visto aprovado somente em fevereiro/2007. Por causa disso, ele deveria ter iniado seus estudos em setembro de 2006 e só foi fazê-lo em abril de 2007… Isso, porque o pedido partiu da instituição onde ele iria estudar na Holanda e não dele próprio. O visto que nos foi dado foi de trabalho e não de estudo, já que aqui na Holanda o doutorado é tratado como trabalho. Caso queiram saber um pouco mais a respeito o site “Brasileiros na Holanda” aborda esse assunto aqui: http://www.brasileirosnaholanda.com/entrevista/nuffic_neso.htm. Meu marido tendo o visto de trabalho, o meu seguiu o dele, sendo assim, eu também poderia trabalhar. A única questão era: Mas como?! Afinal, não falava holandês, nem inglês. Mas isso é uma outra história…

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Sim tenho seguro saúde. Antes de virmos para cá, fizemos um temporário no Brasil numa agência de viagem, é obrigatório. Durante a vigência desse, meu marido fez um pedido de um novo aqui. Infelizmente, também não sei dar detalhes, meu marido, com a ajuda da secretária de onde ele estuda/trabalha, foi quem fez. Sei dizer apenas que não é muito barato, mas também não é absurdamente caro. Este link esclarece um pouco o sistema de saúde daqui: http://www.brasileirosnaholanda.com/guia/sp.htm.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sim, atualmente eu trabalho, mas essa também é uma longa história…rsrs… Primeiro, meu marido recebe uma bolsa de estudos, é notório que estudante, seja em qual parte do mundo for, não recebe muito. O valor da bolsa é pequeno e o custo de vida aqui na Holanda é bastante alto, como em quase todos os países da Europa. Somos uma família de 4 pessoas, sendo assim, não me restou outra alternativa, senão, procurar emprego, já que poderia trabalhar legalmente.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Mudei completamente! Como já disse, não falo inglês, tampouco holandês, como poderia arrumar um emprego?! Logo que chegamos aqui, vi um anúncio numa comunidade do Orkut e fui ser baby sitter de um menino, filho de uma brasileira com um holandês. Era apenas uma vez por semana e poucas horas, mas pra mim, isso já foi um grande feito. Sair de casa, ter contato com outras pessoas… Depois de algum tempo, essa mesma pessoa me ofereceu mais um dia por semana para limpar sua casa. Ela chegou até mim toda sem jeito, pediu para que eu não ficasse ofendida pela oferta, sabia que eu havia feito 2 universidades, mas que aqui na Holanda, essa é uma profissão como todas as outras, sabia também que uma graninha a mais iria ser bem vinda pra mim. Engraçada a atitude dela…rsrs… mas compreensível, haja vista a forma com que nós brasileiros lidamos com a profissão de doméstica ou diarista. Bem, apesar de detestar fazer limpeza, um dos meus maiores horrores…rsrs… aceitei o convite de bom grado, afinal, a grana iria mesmo ajudar!
Certo dia, com meu marido, ao pararmos nossas bicicletas (meio de transporte mais comum aqui) em frente a uma agência de empregos que eu nem sabia existir, insisti para que ele entrasse para perguntar se não havia alguma vaga para mim. Afinal, quem precisa saber falar para trabalhar em algumas linhas de produção ou com limpeza?! Saí de lá com um emprego arrumado. Mais uma vez, não era o emprego dos meus sonhos, muito pelo contrário, era na universidade, mas em uma empresa de limpeza terceirizada. Para mim, uma ironia do destino, eu estaria no meio universitário, onde gostaria de estar concluindo meus estudos, sentada atrás das carteiras, no entanto, desta vez, estaria numa posição um tanto diferente: limpando as carteiras, o chão, os banheiros (e quantos banheiros!!!) …
Posso afirmar que estava diante do maior desafio da minha vida!
Trabalho desde 22/09/2008 na mesma empresa, agora, não mais pela agência de empregos, o que me arrependi profundamente, pois ganho menos trabalhando diretamente (todos diziam que seria mais!) e ainda tenho problemas com meu pagamento todos os meses desde então. Uma coisa aprendi com isso, antes de fazer o que as pessoas dizem ser melhor, tenho que buscar informações que confirmem isso. Agora sei que aqui, a cada ano trabalhado o salário aumenta um pouco, sendo assim, quanto mais tempo você tiver de trabalho mais você receberá e vice-versa. Acho justo, mas dancei nessa! =P
O trabalho é bem pesado e cansativo. Não é tão simples quanto parece, meus amigos me incentivam dizendo que é um trabalho como todos os outros, é honesto… e eu sei disso, mas só eu e quem já passou ou passa por isso é que sabe o quanto é custoso!
Agora, para continuar tendo forças para seguir na minha empreitada, tenho traçado objetivos. Com a grana do meu trabalho (esqueci de falar que aqui o salário mínimo é um dos maiores da Europa, cerca de € 1.300,00), eu e minha família podemos aproveitar um pouco do muito que a maravilhosa Europa tem a nos oferecer! E planejar viagens (apesar de pequenas e modestas) é o que me motiva todos os dias a levantar de madrugada ainda com sono, cansada e com frio (na maior parte do ano) e ir pro trampo!
Bem, não foi e nem tem sido uma tarefa fácil pra mim. Tenho crescido e me fortalecido muito com tudo isso, não pensei que seria capaz, mas sou! =)

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Como já disse, apesar de estar há 2 anos aqui, não falo holandês. Tentei fazer alguns cursos de holandês 1 x por semana só, antes de começar a trabalhar, mas, para mim, não foi o suficiente. Não sou nada disciplinada e se não tenho alguém me cobrando, faça isso, faça aquilo, me acomodo. Acho o idioma muito difícil, talvez seja um pouco menos para quem já fala inglês, muitas palavras são parecidas, apesar da estrutura da frase ser diferente, apesar também de nenhum holandês concordar com isso…rsrs…e de eu não falar o inglês.
Cheguei a pensar em fazer inglês ao invés de holandês, já que praticamente todos aqui falam inglês, até mesmo os idosos.
É engraçado, nas ruas, quando se dirigem a mim para perguntar alguma coisa ou o contrário, logo que digo que não falo holandês (Sorry, ik spreek geen nerdelands!), automaticamente começam a falar inglês e logo tenho que dizer que também não falo e nesse momento, muitos começam a perguntar: francês, espanhol…?! Chega a ser divertido! Rsrs
Aqui eles falam muitos idiomas que, detalhe, aprendem na escola (pública!).
Interessante também o comportamento deles diante de um estrangeiro. Eles não se importam que falem inglês com eles e nem de falar também, mas é claro que dão muito valor às pessoas que tentam falar o holandês ainda que extremamente precário. Raro comportarem-se diferentemente.
Apesar de tudo, ainda acho importante aprender o idioma local. Penso que só assim podemos nos integrar melhor à sociedade e aproveitar também da melhor forma o que ela tem a nos oferecer, interagir mais é importante!
Soube, há pouco tempo, que posso fazer curso pela prefeitura (geemente) desde que não esteja aqui para estudar, neste caso não poderia. Basta procurar o departamento de cultura da prefeitura e lá pedir todas as informações. Vou começar o meu em setembro próximo e estou bastante otimista agora!
Depois de 2 anos aqui e trabalhando, acho que terei menos dificuldade que no início, ao menos agora, terei onde praticar o que aprender o que não tinha antes quando estava em casa.

O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
A Holanda é um país multicultural e isso é bastante legal! Lidamos todos os dias com as diferenças e elas convivem, de certo modo, harmonicamente. Acho que existe preconceito contra determinados estrangeiros, talvez aqueles que não se esforçam para integrerem-se à sociedade local. Acredito que se nós tratarmos bem os holandeses, teremos, com certeza, o mesmo tratamento. Respeito mútuo é a palavra chave de qualquer sociedade!

Silvana na Holanda

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Tenho 2 filhos, um menino de 14 e uma menina de 13. Eles eram e são nossa maior preocupação, aliás, de todos os pais! Rsrs
Antes de virmos pensamos que seria muito difícil para eles se adaptarem, estavam numa idade de mudanças e mais uma não seria nada fácil! A menina resistiu mais à idéia de vir, queria ficar de qualquer maneira, mas acabou cedendo….
Quando chegamos, 1 semana depois já estavam frequentando a escola. Uma escola para estrangeiros, onde só aprendem matemática, ginástica e tudo relacionado ao estudo do holandês. Lá tiveram contato com crianças das mais diversas nacionalidades e culturas, o que foi e tem sido bastante enriquecedor. Devido a isso, seus amigos são todos estrangeiros, ainda não têm amigos nativos, logo isso deverá mudar, já que em setembro passarão a frequentar escola secundária comum também aos holandeses. Acho importante que tenham também amigos holandeses, deste modo, poderão não só melhorar a fluência do idioma, mas também se integrarem mais socialmente.
Silvana na Holanda
Temos notado que ambos se adaptaram bem, apesar das diferenças de personalidade de cada um. O menino é mais tímido e na dele, prefere ficar em casa, joga futebol 1 ou 2 vezes por semana. A menina é bem mais extrovertida, gosta de fazer coisas com os amigos, sai, se diverte. No entanto, ele pensa na possibilidade de tentar continuar seus estudos aqui, mesmo depois de terminado nosso visto, se dispõe a ficar sozinho se for preciso. Já ela, não vê a hora de voltar ao Brasil. Trata-se do difícil dilema razão x emoção. Para um a razão tem mais peso, para o outro a emoção fala mais alto…

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sentir falta do Brasil “é tão certo quanto o calor do fogo. (…) Assim como ar, me parece vital.” Rsrsrs… Sinto falta não só da família, mas dos amigos, do cachorro… de tantas coisas! Acredito que essa é a parte mais difícil para quem vive longe do seu país. Temos que nos adaptar a tudo, inclusive a isso, quer queiramos ou não. Claro que não vivemos melancólicos, choramingando pelos cantos, saudosos… Cada um tem sua fase nostálgica, mas nessas horas um dá força pro outro e passa…rsrs…

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Pra falar a verdade, somos um tanto preguiçosos…rsrs… adoramos “ficar à toa, viver numa boa”! Como estamos todos muito cansados, nos finais de semana procuramos descansar ao máximo para recuperarmos as energias para semana que irá recomeçar.
O clima frio contribui para o ócio…rsrs…
Mas na primavera e no verão as coisas mudam! Como em cada canto das cidades têm parques, as pessoas enchem os gramados, fazem picnics (o que é muito legal! No Brasil não costumamos fazer isso.) Os dias são longos, o sol se põe bem tarde, por volta de 21 – 22 hs, dependendo da estação e podemos aproveitar bastante.
Nessa época, os canais se enchem de barcos cheios de gente feliz; acontecem diversos festivais, com performances de dança, teatro, música, tudo ao ar livre, as pessoas levam toda a “família, cachorro, gato, galinha”… Muitos com roupas de banho, topless… ao lado, por exemplo, de muçulmanas que matêm apenas as mãos e o rosto a mostra… Viva a diversidade cultural e o respeito mútuo! (pena que nem sempre seja assim!)

Silvana na Holanda

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Eu gostaria de ter planos para o futuro, mas… meu marido não gosta de pensar muito no futuro… Quer dizer, ele prefere fazer cada coisa ao seu tempo. Por enquanto, pensa em terminar seu doutorado, que não tem sido tarefa fácil e depois, só depois, irá pensar no que fazer. Eu penso diferente, como podemos realizar algo sem prévio planejamento?!
Para sempre não seria bem o caso, não gostaria de viver para sempre aqui, mas agora vejo que seria importante, principalmente para nossos filhos, se pudéssemos permanecer por mais alguns anos, até que terminassem uma universidade, por exemplo.
Com mais alguns anos aqui, penso que poderia aprender o idioma (espero!rsrs), tentar arrumar um trabalho melhor, quem sabe estudar mais alguma coisa. Meu marido poderia tentar prosseguir os estudos ou um emprego. Nossos filhos poderiam continuar os estudos e todos viveríamos felizes…rsrs… E voltaríamos ao Brasil quando nos fosse mais conveniente e em melhores condições… =)

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Com a nossa atual situação, nem nos passa pela cabeça comprar um imóvel aqui. Primeiro, um imóvel aqui é caríssimo, um apartamento bem pequeno e simples não custa menos que € 180.000,00. Para se ter uma idéia, só uma garagem (a maioria dos carros ficam nas ruas) custa em torno de € 25.000,00. Todos fazem hipotecas para a compra de um imóvel, para isso, precisaríamos ter contrato de trabalho por tempo indeterminado, caso contrário, nada feito, é o nosso caso.
Bem, por falta de opção, pagamos aluguél. E esse é um outro dilema. Num país pequeno como a Holanda, não existem muitas opções de moradia, por isso são tão caras.
Nós tivemos grandes problemas para conseguirmos alugar uma casa. Meu marido veio antes para alugar um local para ficarmos e depois de 3 meses foi só isso que ele conseguiu, um local. Alugamos por € 500,00 p/m um quarto, sala grande, cozinha e banheiro, parte da casa de um holandês que não usava a casa toda e a dividiu. Nossos filhos dormiam em parte da sala que dividimos por ser grande. Esse lugar seria provisório, até no máximo novembro de 2007, chegamos em junho/07. Acabamos ficando lá até 3 meses atrás (fev/09). Sabem por quê?! Os aluguéis eram caríssimos, algo em torno de € 1.200,00 e quando encontrávamos algum que julgávamos poder pagar, não nos encaixávamos nas exigências salariais, mínimo de €30.000,00 líquido por ano.
Nos inscrevemos em abr/07 no sistema de habitação governamental da cidade, existem casos de mais de 10 anos de espera.)
Há mais ou menos 1 ano atrás nos inscrevemos num projeto de estilo de vida, voltado a melhorar um determinado bairro, onde moram basicamente estrangeiros, com o qual teríamos mais chances de conseguir um apartamento em menos tempo e no início deste ano conseguimos. O bairro não é bem visto pelos holandeses, que alegam ser violento. Até hoje, não temos do que reclamar. Nosso conceito de violência é completamente diferente do deles…rsrsrs… nós sabemos o que é violência de verdade, infelizmente!

– Qual o custo de vida?
De acordo com o que nos informamos com brasileiros que aqui viviam, antes de virmos, nos disseram que gastaríamos em torno de € 600,00 com aluguél, podemos afirmar que não é mais assim. Com o apartamento que conseguimos alugar do governo, que é mais barato, mas muitíssimo difícil de conseguir (tivemos sorte!), gastamos € 530,00 de aluguél e mais cerca de € 250,00 com água, luz e gás. No setor privado seguem os valores que citei acima.
Lá vão as contas mensais, sou péssima nisso…rsrs…
Com a casa, gastamos algo em torno de € 800,00. Internet, telefone e tv € 60. Plano de saúde € 180,00 (p/ os 4 juntos). Supermercado cerca de € 600,00. Existem taxas e impostos anuais que não me lembro no momento para especificar. As escolas têm taxas anuais irrisórias, no ensino básico em torno de € 50 – 70; no ensino secundário cerca de € 300; que variam de escola para escola. Aulas de esporte são pagas por ano, semestre ou trimestre. Meu filho faz futebol e pagamos em torno de € 250 p/ano, também depende do esporte. Contando com extras que sempre surgem, nossos gastos mensais giram em torno de € 2.000,00
Mas aqui não só pagamos coisas, existe um auxílio para as pessoas que trabalham e têm filhos com menos de 18 anos, chamado “Kinderbijslag”, para isso nos pagam cerca de € 250,00 por filho a cada 3 meses, para tanto, devemos solicitar. Para saber mais em português: http://www.brasileirosnaholanda.com/guia/kinderbijslag.htm. O site para solicitação: http://www.svb.nl/int/nl/kinderbijslag/index.jsp
Não foi tão simples conseguir, tivemos que insistir muito, meses depois, deu certo.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Acho que vou começar pelos positivos…rsrs… Penso que os principais são estabilidade profissional e segurança pública.
Apesar da crise finaceira mundial ter abalado um pouco o mercado de trabalho aqui também, a proporção foi pequena se comparado a outros países. Ainda assim, aqui, se quiser trabalhar em qualquer área, que não seja a sua, terá trabalho, haja vista meu caso…rsrs… As pessoas não trabalham aqui com medo de serem despedidas a todo momento, inseguras, sem saber o dia de amanhã, como no Brasil.
Podemos sair às ruas a qualquer hora do dia ou da noite sem termos medo da nossa própria sombra, sem nos assustarmos quando uma pessoa nos aborda para perguntar, por exemplo, as horas…rsrs… isso muitas vezes acontece no Brasil.
Outro ponto positivo é a educação pública. Apesar de ouvirmos dos holandeses de que já não tem a mesma qualidade de tempos atrás, podemos afirmar, com toda certeza, que é infinitamente melhor que a educação no Brasil. O sistema é completamente diferente de lá, o que nos gerou alguns problemas iniciais, superados agora.
A estabilidade financeira também é um outro ponto positivo. Por exemplo, juntos, eu e meu marido, recebemos líquido pouco mais que 2 salários mínimos daqui. Com isso, pagamos todas as nossas contas (aluguél, água, luz, gás, telefone, etc, etc), gastamos com alguns extras e ainda nos sobra um pouco. Quando isso aconteceria no Brasil?! =0

Quanto aos pontos negativos… eles também existem em países de primeiro mundo. Acho que o principal é a falta de calor humano. Esse é o que mais me afeta negativamente. Como faz falta sentir calor humano! Disso estamos fartos no Brasil! Somos um povo afetuoso, bem humorado, festeiro, solidário, etc, etc, etc…
Não que não sejamos bem tratados aqui, somos. Mas eles são um tanto frios, distantes…
O clima também é um outro ponto negativo, para nós brasileiros, acostumados a ver o sol praticamente o ano todo, sem nos dar conta de sua importância, é muito difícil ter que encarar os dias cinzentos, chuvosos e frios daqui!
Bem… acho que acabei influenciada pelos pontos positivos e nem consigo me lembrar agora de mais negativos! Kkkkkkk

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Andar de bicicleta. É, sem dúvida, um meio de transporte bastante eficiente, barato, rápido. Todos usam e em qualquer ocasião, até mesmo para ir a um casamento…rsrsrs… desde crianças de 2 anos até idosos com 80 anos ou mais. Seja em dia de sol, de chuva, de vento, que quase sempre está contra. Levam bebês, cachorros, compras… Andam, comem, falam ao celular, tudo ao mesmo tempo… Com terno, salto alto, mini saia ou coisas do tipo… Sem contar a estrutura que todo o país tem para isso, existem ciclovias seguras e bem mantidas por todo lado. É realmente incrível isso! =)
Silvana na Holanda

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
O transporte ferroviário. O Brasil teria tudo para redesenvolver seu sistema ferroviário e não o faz. Não entendo disso, sei que não é tão simples quanto parece, mas seria bastante interessante se ocorresse.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Não venham, como eu, esperando encontrar um país limpo, com pessoas educadas, menos burocrático, que cumpre as leis trabalhistas, sem corrupção… você irá se decepcionar! É um país de primeiro mundo sim, mas que também tem seus defeitos. Seja paciente e persistente. E boa sorte!

Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
No site Brasileiros na Holanda vocês encontrarão bastante informações, apesar de algumas não serem muito atualizadas, é bastante útil. E sua dona, Márcia Curvo, é bastante gentil, sempre procura ajudar no que pode.

Participe… Deixe um comentário!

Anúncios

25 Respostas

  1. Holanda é um país lindo.Viu, fale (Hoi) mesmo jeitinho em portugues ” oi” que els irao entender um Hello. Outra, pensa ponto positivo “seguranca” . Boa sorte e gostei de suas respostas.

  2. Silvana,

    Parabéns pela força de vontade e pela luta no dia a dia de toda a sua familia.
    Quanto a calor humano realmente é complicado.

    Eu moro um pouco longe, mas se precisar de algo, só me avisar.

    Meire/Alemanha

  3. Oi eu novamente esqueci de te falar no feriado anterior fui conhecer a Holanda e Bélgica.

    Meire/Alemanha

  4. Realmente ir para a Holanda sem saber falar nadica não deve ter sido nada fácil, mas gostei da sua garra 😉
    Bjokas

  5. Oi Silvana !

    Parabéns pela perseveranca ! E pela transparência nas respostas !
    Espero que, passo a passo, vocês vencam e consigam atingir suas metas !
    Também tenho um filho de 15 anos,nascido no Brasil e fala fluente o português e o holandês. Quem sabe a gente possa manter contato algum dia e ver se rola a “química’para um relacionamento amigo ?
    Se sentir vontade, pode escrever para meu e-mail:
    susanajas@hotmail.com

    Um abraco,
    Susana

  6. Olá!
    Muito obrigada a todos pelo apoio!
    Quero me desculpar pelos erros de português e os de holandês tb…rsrs…
    em lugar de nerdelands: nederlands
    e de geemente: gemeente

  7. Meire,

    e o que vc achou daqui e da Bélgica, gostou?
    Não sei onde mora aí, mas conheci Munique e achei a cidade linda, fiquei com vontade de voltar pra conhecer mais e curtir mais tb, de preferência no verão, pois fomos em dez/08 e tava um fio de rachar!

  8. Sil,
    eu sei o qto vc é determinada e diante do que vc acaba de escrever me orgulho cada vez mais de ter a sua amizade e fazer parte da sua vida…desejo sempre td de bom prá vcs ai…apesar da saudade ser grande…
    bjs

  9. Carol, amiga, muito obrigada, mas elogio de amiga eh suspeito! rsrs

  10. Oiiii!!! Ameeeei a entrevista, eu tbm estou morando na Holanda, mas atualmente como au pair. Estou amando cada momento, de coração. Vivo em Haia, ainda não falo holandes, mas como cuido de crianças, aos poucos aprendo e não vejo a hora de começar as aulas da lingua!!
    Eu sempre penso em ficar aqui para estudar depois, mas tenho medo de nada dar certo, pela vida ser tao dificil para se estabilizar no começo para uma estrangeira…
    beijoooos

    • ola, vi sua mensagem e queria pedir ajuda por favor.
      Tou na holanda em ter aar desde ha 7 meses, fazendo curso de holandes no id college, sou de portugal e tou a viver com um holandes mas esta sendo dificil, entao minha filha vem de portugal pa viver comigo em junho, ela tem 15 anos, preciso urgentemente emprego mas nao arranjo por causa da lingua.
      Em portugal trabalhava ha 17 anos num infantario com criancas e sei que aqui nao vou conseguir isso, mas nao me importo de tomar conta de criancas ou limpar, desde que nao seja puxado porque tenho problemas de hernias em que fui operada, mas gostava tanto que alguem me ajudasse por agora a arranjar trabalho com pessoas que falem portugues para me ir adaptando..
      Se souber de algo por favor me ajuda!!
      td de bom

      • Olá, Ana! Desculpe-me, só vi hoje que havia pedido ajuda. Como vc não deixou nada para contato, caso entre por aqui novamente entre em contato comigo por email: silvana.pages@gmail.com
        Boa sorte!
        Abraço,

        Silvana

  11. Olá Silvana, mora no Brasil tenho planos de ir para Holanda, tem alguma dica, conselhos qe vc possa me passar serei muito grata.

    • Olá, Renata!
      Nem sei se já veio, mas…
      Se vier, além do que já citei na entrevista, só posso me colocar a disposição pra qualquer coisa, meu email: silvana.pages@gmail.com
      Tenha força de vontade, coragem e corra atrás dos seus sonhos, nada é impossível!
      Boa sorte!

      Abraço,

      Silvana

  12. Silvana,
    Parabens pela bela historia. Guerreira essa familia heim?
    Estou tentando contato contigo mas nao te acho no linked in, nem no twitter.
    Me procure?
    Abracos
    Graziele Zwielewski
    grazizw@yahoo.com.br

  13. Olá Silvana,

    Por acaso, navegando na net, encontrei este site e pude ler sua entrevista. Já faz um bom tempo que ela aconteceu, mas eu achei muito interessante sua história, pois me identifiquei bastante com ela e com suas experiências.

    Tb vivo na Holanda com meu marido e 3 filhos, viemos há 16 anos atrás.

    Parabéns pela força e pela simpatia. Se vc quiser entrar em contato conosco, eu iria adorar!!! Mas sinta-se à vontade para isso, ok?

    Um abraço e boa sorte!!

    Sheila

    • Olá, Sheila!
      Desculpe-me que só vi hoje seu comentário, desde que dei a entrevista não entrei mais aqui.
      Vc não deixou nenhum contato, tb gostaria muito de poder conversar melhor com vc. Meu email: silvana.pages@gmail.com

      Muito obrigada pela força!

      Abraço,

      Silvana

  14. Ola minha linda… sou brasileira e moro em Portugal ( docs ok), podes dar-me algumas dicas? gostaria de morar na Holanda trabalho com idosos e crianças…
    beijinhos Pamela

    • Olá, Pamela!
      Se eu ainda puder ajudar…
      A Holanda é um país que depende muito da mão-de-obra estrangeira, não é tão difícil conseguir um emprego, mas para trabalhar com crianças e idosos você precisaria falar um pouco do holandês. Eu mesma ainda não conseguiria trabalhar com eles. Mas sempre vejo anúncios para trabalho nessa área. Você poderá procurar pela internet mesmo, para crianças procure por “kinderopvang vacatures” e para idosos por “thuiszorg vacatures”.
      Boa sorte!

      Abraço,

      Silvana

  15. ola silvana, li sua historia e que me chamou atencao. conheco a holanda ja fui duas vezes no pais meu marido e holandes e vivia na cidade de leiden.hoje ele mora comigo aqui no brasil mas tem sonho de ir juntos para holanda o problema que tenho filhos e fico com medo de ir todos de uma so vez eu queria fazer um teste de ir ficar 4 meses poder arrumar algum trabalho e depois com tempo levar as criancas.mas eu infelismente nao falo holandes nem ingles me diz uma coisa e muito complicado eu arrumar algum trabalho ai?pelo fato de nao falar a lingua deles? se vc puder me ajuda ou orientar em alguma coisa ficaria muito grata.

    • Olá, Goretti!
      Eu, se fosse vc, tentava vir. Ultimamente, depois da crise, não tem sido tão fácil um emprego, mas não é impossível. Eu estou desempregada a 3 meses, mas acredito que ainda não arrumei um emprego porque, a princípio, não estou procurando na área de limpeza, talvez não me sobre alternativa…rsrs
      Morando com holandês, vc aprenderá bem mais rápido que eu, com certeza, pois poderá praticar em casa, o que eu não faço.
      Acho que a qualidade de vida aqui é melhor que no Brasil e, principalmente com as crianças (não sei a idade dos seus filhos) vcs ficarão muito mais tranquilos.
      No início não será fácil, mas não tenha medo, com o tempo tudo se ajeita! Pode contar comigo no que for possível, coloquei meu email acima, se quiser é só escrever. Boa sorte!

      Abraço,

      Silvana

  16. Navegando pela net encontrei esta enrevista e adorei!
    Obrigada pela indicação do Brasileiros na Holanda, tento fazer o melhor que posso e responder a todos os e-mails que chegam diariamente.
    Se ainda estiver por aqui e quiser entrar em contato será, para mim, um prazer encontrá-la.
    Parabéns à entrevistadora e à entrevistada!
    bjo

    • Olá, Marcia!
      Muito obrigada!
      Seu site é mesmo muito útil, até hoje eu o consulto. E vc é, sem dúvida, uma pessoa muito prestativa, parabéns por seu trabalho!

      Abraço,

      Silvana

  17. ola tbm sou brasileira moro em putten e sinto falta de alguem pra conversar se quiser me add bri-25@hotmail.com
    espero manter um contato .bjos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: