Qatar- Passando as dunas, você chega no mar

Luciana no QatarEla saiu de Curitiba, cidade dos pinheirais, para morar nas cidades que brotaram do deserto.
Luciana reside no Qatar, mas já passou por outros países. Confira como uma curitibana está se virando no mundo bege, sem dúvida uma história fascinante…

– Nome:
Luciana Farah

– Onde nasceu e cresceu?
Curitiba, Paraná.

– Em que país e cidade você mora?
Doha, Qatar – pequeno emirado que fica numa península no Golfo Pérsico, entre a Arábia Saudita e o Iran.
Luciana no Qatar

– Você mora sozinho ou com sua familia?
Moro com meu marido, Anis, e nossa gata a Mimiu

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Desde Dezembro de 2006

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiencia?
Já: nos Estados Unidos, na Bélgica, no Kuwait, e no Reino de Bahrain.

– Qual sua idade?
36

Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Eu tenho coceira nos pés. Mesmo morando no Brasil eu estudei em colegio americano, pois meus pais queriam que eu fizesse faculdade fora do Brasil. Acabei indo estudar na Bélgica, e, anos depois, quando voltei ao Brasil, fiquei nessa vontade de conhecer o resto do mundo. Quando eu e o Anis resolvemos casar, pelo fato dele não falar português e ter um bom emprego no Kuwait, mudei para lá.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
O Anis é de familia Líbia, mas tem passaporte americano pois nasceu nos Estados Unidos. Ele já tinha visto de trabalho no Kuwait, e assim que casamos ( \no Egito!) a empresa onde ele trabalhava me incluiu no visto dele. Demorou 10 dias e bastou registrarmos o casamento nas embaixadas ( Estados Unidos e Libia), no Egito mesmo. Viajamos pelo Egito em lua-de-mel e quando voltamos ao Cairo, os papéis estavam prontos, e dias depois entrei no Kuwait já com visto de residente e permissão para trabalhar. Detalhe: o “work permit” , (tanto no Kuwait como em Bahrain e aqui no Qatar) é uma declaração do meu marido, notarizada e carimbada na imigração, dizendo que ele me deixa trabalhar.
Luciana no Qatar

– Você tem seguro saúde?
Temos. Mais uma vez, tudo providenciado pela empresa do marido, nosso seguro saúde faz parte do contrato dele.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Trabalho, mas meio-período. Até o ano passado eu trabalhava full time e chegou um momento em que me dei conta que não tinha mais vida própria e levava todo o stress do trabalho para casa. Quando mudamos para Bahrain, fui trabalhar numa galeria de arte, como curadora de exposições — no Brasil tinha feito faculdade de Belas Artes — depois da Bélgica, e queria conhecer gente do meio. No Kuwait eu não trabalhava e quase morri de tédio. Com os contatos que fiz em Bahrain, foi fácil conseguir o trabalho aqui no Qatar: uma semana depois da mudança já estava trabalhando com um colecionador de arte, documentando sua coleção. Pouco tempo depois este mesmo colecionador ganhou do Emir do Qatar uma concessão para criar e implementar o projeto de um centro cultural (www.waqifartcenter.com), em Doha, e me propôs trabalhar com ele no projeto. Foi bacana mas MUITO estressante. Seis meses depois da inauguração do Waqif Art Center, fui ao Brasil em férias e resolvi chutar o balde na volta. Pedi demissão, e meu chefe então me ofereceu de volta o emprego de curadora da coleção particular dele, trabalhando meio-período. E é isso que faço hoje, documento a coleção dele, cuido de aquisições e manutenção da coleção…mais tranquilo, e posso trabalhar de casa a maioria dos dias da semana. Para mulheres que estão no visto do marido, e falam inglês fluente, é muito fácil conseguir emprego aqui, pois o governo dificulta a emissão de vistos de trabalho para mulheres solteiras, além dos aluguéis aqui serem caríssimos, e como o empregador é responsável pela moradia do empregado, nós que já temos onde morar custamos menos.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Continuo no mesmo setor, mas “do outro lado”. Aos poucos, estou tentando sair do lado comercial e burocrático do mercado artístico, para poder voltar a produzir meu trabalho autoral.

– Você fala a língua local?
Não, e morro de vergonha por não falar ainda. Para piorar a situação, tenho cara de árabe, sou descendente de Sírios, então as pessoas automaticamente vem falar comigo em árabe. Faço aulas, sei ler, mas não entendo quase nada do que leio (só sei pronunciar bonitinho) e se o diálogo vai além daqueles que aprendo na escola, me perco. A língua arabe escrita é muito mais formal que a falada, então quando eu arrisco falar, sai uma coisa que parece um contrato, um decreto papal, e todo mundo ri ou fica me olhando com cara de “ãhn?” . Mas TODO MUNDO fala inglês aqui; e nas lojas, restaurantes, hotéis, quem trabalha são filipinos e indianos, ou sírios, libaneses e marroquinos, então se você fala inglês ou francês alguém vai te entender. Não acho essencial aprender a língua para o trabalho ou coisas basicas do cotidiano, tipo fazer compras, ir a uma consulta médica, pegar um taxi. Mas socialmente, falar árabe ajuda muito, pois quem “manda” no país são os árabes, e , se eles já sao muito hospitaleiros em inglês e francês, em árabe eles se derretem pelos convidados.
Luciana no QatarLuciana no Qatar

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu gosto mas nao AMO morar aqui. Em comparação ao Brasil, vivemos sem preocupações financeiras, por ser um país islãmico os juros bancários são praticamente inexistentes ( se você optar por islamic banking, ou sharia banking) e as taxas de serviços são mínimas. Claro, é uma sociedade muito mais conservadora, não dá para usar saias acima dos joelhos, nem para sair de braço de fora ou muito decotada. Beijar na rua da multa ou até cadeia.
Sou muçulmana mas não uso véu, só quando viajamos de carro e passamos pela arábia saudita – para ir a Dubai de carro tem que passar por lá , ou para ir em lugares “oficiais” tipo secretarias, ministerios, mesquitas, imigração. (Confesso que uso abaya e veu no aeroporto, pois me passam para a frente da fila da imigração, as vezes até no balcão que só atende Qataris…hehehe…). Em certos lugares, tem áreas para famílias apenas, ou dias só para famílias: num parque perto da minha casa só entram mulheres e crianças, homens só se acompanhados das esposas (as vezes, mais de uma!). Nos shoppings dois dias por semana só entram mulheres e crianças. Em casamentos, as festas são separadas, uma só para homens, outra só para mulheres. Acredito que brasileiros convivem bem com os locais, as pessoas reagem bem quando sabem que sou brasileira. Mas certas etnias são consideradas “inferiores” por aqui, como indianos, pakistanis, filipinos, tailandeses — que geralmente fazem serviços mais braçais. E marroquinos e egípcios também são considerados “gentalha”. O povo do golfo é muito preconceituoso sim, e muitos expatriados, a maioria dos europeus, se comportam da mesma maneira, se não pior. Dá vergonha alheia, e muita. Mas confesso que os indianos e pakistanis me incomodam um pouco, pois tem a mania de parar pra olhar mulheres, mas olhar MESMO, com olhos de raio-x e por um longo tempo. Eles param na tua frente e ficam encarando como se você fosse de outro planeta. Ah, e também não usam desodorante, é triste entrar num taxi dirigido por indiano ou pakistani. 90% tem aroma de cêcê.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Ainda não. Mas estamos trabalhando nisso… Tenho uma amiga brasileira aqui que tem filhos pré-adolescentes e eles tem poucos amigos locais, a maioria são outros expats. Os Qataris não se misturam muito…

– Sente saudades da familia no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
De alimentos brasileiros não sinto falta, pois como o Qatar só produz petróleo e gas natural, absolutamente todo o resto é importado, até biscoito Bono de doce de leite, frango Sadia, pão de queijo congelado e temperos Arisco tem no supermercado. A única coisa que não tem é farinha de mandioca de Morretes e chá de boldo, mas quando vou ao Brasil trago comigo em quantidade para durar até a próxima visita. Ter Globo Internacional também ajuda, se você é noveleira como eu.
MORRO de saudades da família e amigos no Brasil, do clima ameno, e principalmente de andar na rua e usar bicicleta como meio de transporte. Aqui se faz tudo de carro, as ruas nao são feitas para pedestres e “mulheres dignas” não andam de bicicleta na rua. Outra coisa que faz falta é olhar pela janela e ver pinheirais e montanhas, quem é do sul do Brasil sabe do que estou falando. Ah, e chuva. Chuva faz muita falta, Aquela garoa fininha e gelada que me incomodava em Curitiba hoje me dá saudades.
Luciana no Qatar

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
No verão, a unica atividade humanamente possível é ir ao shopping, pois o calor chega a 50 graus centigrados. Dois passos do carro até a porta parecem 2km no calor e alta umidade. Mesmo de madrugada, o calor continua além dos 40 graus. É ar-condicionado ligado no talo 24 horas por dia. Mas de Outubro a Maio, tem praia (somente nos hoteis, nas praias publicas só se você não se incomodar em nadar completamente vestido), parques, deserto (espetacular!). Cinemas, tem muitos, mas os filmes são cortados – ninguém beija em público, e censura corta cenas de beijo, nudez e sugestão de sexo– mas é um corte muito tosco, muito obvio. Certos filmes, como “The Reader” (O Leitor) ficam pela metade. Eu gosto muito de ir ao Souq, sair de barco (o mar é lindo, azul turquesa), e visitar amigos. Como só chove uns 5 dias por ano, tem muitas atividades outdoors aqui enquanto o clima permite. Os parques nos fins-de-semana ficam lotados de familias fazendo piquenique. A noite de Doha é um tédio só. Alguns clubs, mas todos meia-boca. Restaurantes são espetaculares, e todo mundo engorda depois de um tempo aqui.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Pretendemos ficar aqui mais uns 2 anos, pelo menos. Como todos os expatriados da região, estamos aqui pelo dinheiro, pelo fato de não ter impostos, porque dá para economizar e ter um padrão de vida muito bom ao mesmo tempo. Ah, e viagens para China, India, Maldivas, Tailandia, custam bem mais barato que saindo da Europa, por exemplo. Dá para passar um fim de semana prolongado em varios lugares exóticos sem estourar o orçamento familiar.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imoveis é algo comum nesse país?
O contratante do marido é quem paga nosso aluguel.

– Qual o custo de vida?
O que encarece a vida aqui é o aluguel. Não existe apartamento de 2 quartos aqui custando menos de 3 mil dolares por mes. Eu diria que um casal sem filhos aqui gaste menos de 5 mil dolares por mes entre aluguel, supermercado, prestação de carro e um mínimo de gastos em vestuário, restaurantes… Combustível, por outro lado, é muito barato. Enchemos um tanque de Land Rover com o equivalente a 15 dolares. Mas em geral, as coisas são muito mais baratas que na Europa, pois não tem imposto sobre produtos aqui, E as liquidações são ótimas, tudo com 70%, as vezes ate 90% de desconto. E os preços são sempre negociáveis, o vendedor estranha se voce não pede desconto.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Positivos: A sensação de segurança, aqui não existe assalto, muito menos sequestro. Dá pra deixar o carro aberto com a chave dentro, dá pra deixar a bolsa na mesa do restaurante, sair de casa e deixar as janelas todas abertas. Outra coisa bacana é que as crianças e idosos são considerados especiais, todo mundo respeita, todo mundo cuida. Ao contrario do que o resto do mundo pensa, tambem acho que as mulheres e suas manias tambem são muito respeitadas e celebradas. Ah, e durante o mês de Ramadan, todo mundo trabalha só meio periodo mas ganha pelo periodo todo.
O melhor de tudo é que pela moeda local ser super valorizada fora daqui, a localização ser estratégica e o preço baixo do combustivel, viajar pela Asia, Africa e Europa sai relativamente barato.
Luciana no Qatar

Negativos: o calor e a falta de chuva e arvores. Ruas feitas para carros e não para pedestres. A falta de vida cultural intensa, opções de shows, teatro , cinema sem censura. A distância do Brasil .

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Demorou mas me acostumei com os homens andando de mãos dadas na rua e se cumprimentando encostando a ponta do nariz, como esquimós. No começo eu tinha que segurar o riso. A experiência mais marcante da minha vida aqui foi ir a um casamento beduíno. Fui na festa da noiva, claro, pois a festa do noivo é só para homens. Infelizmente as cameras e celulares são deixados na chapelaria, as mulheres não se deixam fotografar sem abaya e niqab, então o registro fica só na memoria. A festa foi num salão de festas, e era um casamento triplo: 3 noivas! Cada uma tinha um noivo, não era 3 noivas para um noivo só. Ao entrar no salão as convidadas iam tirando as abayas e niqabs e quando vi os cabelos, maquiagem e vestidos, meu queixo foi até o chão! Imagine os looks mais ousados que puder, e multiplique por 1000! decotes até o umbigo, muitos paetês e saltos altíssimos, me senti numa festa de drag queens. No meio da festa, uma passarela, onde as moças “casadoiras” dançam para as “futuras sogras” as escolherem para seus filhos. E tudo isso movido a doces e café. Quando a noiva entra, todo mundo vai para a passarela e joga dinheiro nela. BIZARRO!!! Daí ela senta tipo num trono no palco, e anunciam que o noivo e a familia dele vão entrar. TODAS as mulheres (menos a noiva) se cobrem com seus veus e abayas, sentam, para assistir a entrada. Eles chegam, o noivo e sua familia cobrem a noiva de joias, colares de ouro que devem pesar, sei la, meio-quilo. Daí o pai da noiva “entrega” a noiva para o noivo e todos saem. E a festa continua. Depois da saída da noiva, o jantar é servido, a passarela está liberada pra mulherada toda dançar, e elas piram. Esse casamento que fui a festa foi até de manhã. Saí de lá as 4 da manhã e a mulherada estava ainda a todo vapor, enlouquecendo na pista. Detalhe: movidas a café, pois alcool só nos hoteis e só pode ser vendido para estrangeiros.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Islamic Banking. O mundo seria melhor sem os juros bancários.

Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
A primeira dica é: se receber proposta para trabalhar aqui, negocie todas as condições ANTES, e tenha tudo em seu contrato, principalmente a parte de moradia e benefícios. Tem gente que acha que vai ganhar um salario otimo, mas nao conta com aluguel e escola para os filhos ser tao absurdamente caro por aqui, e acaba penando para sobreviver, mora muito mal — em todos os países do golfo, morar bem é muito importante, pois no verão você é praticamente obrigado a ficar em casa por causa do ar condicionado, então se mora numa casa que detesta, fica difícil. Todos as condições do seu contrato tem que ser negociadas e firmadas antes de vir. Não existe renegociar contrato aqui.
Outra dica, muito importante, é respeitar os costumes locais. O povo é muito hospitaleiro, mas também muito conservador. Já vi mulheres locais dando bronca em expatriadas por estarem de shorts no supermercado. Para um homem e uma mulher ocuparem o mesmo quarto em um hotel, tem que apresentar certidão de casamento. Não dá pra sair aloprando, porque qualquer deslize pode dar deportação, ou pior, cadeia. Coisas que para nós seriam normais, como casais se beijarem em publico, ou casais que moram juntos sem ser casados, aqui são crime. Outra coisa que dá cadeia é ser solteira e engravidar. Cheque devolvido também dá cadeia aqui.
E cadeia aqui é o inferno; tenho amigos que trabalham na Anistia Internacional e Human Rights, e me contam historias escabrosas.

– Se pudesse descrever em uma palavra a experiencia que esta vivendo nesse país, qual seria?
Surreal.

Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
www.qatarliving.com
www.lufarah.com (Blog Pessoal)
www.qf.org.qa

Advertisements

37 Respostas

  1. Amei sua entrevista Luciana.
    Deve ser uma experiencia extremamente diferente!!
    Vc sente falta de chuva e eu aqui na Irlanda peno com o excesso dela 🙂
    bjos

  2. Luciana,

    Que experiência heim!!!!
    Você com muito sol e eu aqui na Alemanha reclamando do frio/chuva.

    Boa sorte.

  3. Luciana

    Deve ser uma experiencia muito diferente, tenho um casal de amigos que estao mudando para Doha por 18 meses, ele ja foi, ela ainda esta no Brasil para resolver os ultimos tramites do Visto…
    Ja ouvi falar que Doha e uma Dubai em versao um pouco mais comedida, voce sendo curitibana como eu, nao sente falta de pinhao??? e O clima de quatro estacoes no mesmo dia… hehe

    Boa sorte por ai

    • Acabei de chegar de Curitiba…que delicia de friozinho, chuva…Nao sinto tanta falta assim de pinhao porque passo junho em curitiba quase todo ano. Alias, trouxe um saco de pinhao em 2007 e um deles brotou, plantei na janela da cozinha! Vou postar fotos no blog em breve…

      • VC POSSUE HOTMAIL PARA TROCAR IDÉIAS? SE ACEITAR FAVOR MANDAR E-MAIL CONFIRMANDO. OBRIGADA

  4. Xará, excelente entrevista! Vou acompanhar seu blog!
    Felicidades, um abraço,

  5. hey, adorei e ri com o sugestoes e dicas.Wow sao rigidos ,hein. Adorei!!!

    • Oi Catia, e ficaram mais rigidos ainda! Cheguei de ferias no Brasil semana passada e a novidade é que agora mulheres usando saias ou calças acima do joelho, e blusas com decotes ou mangas mais curtas que 3/4 em lugares publicos ( tipo shopping, supermercado, parques, na rua) leva multa de QR5000 – cerca de R$2500!

  6. Olá Luciana,
    é muitoprovável que eu vá trabalhr no Qatar neste ano para trabalhar. Adorei sua entrevista e gostaria do seu contato, pois gostaria de saber mais sobre o costumes. Se puder e mandar um e-mail, eu agradeceria.
    Obrigada!!!
    Flávia

  7. Olá Luciana,
    Adorei suas dicas de como viver no Qatar. Eu tenho um namorado que vai trabalhar aí no proximo mês. Eu gostaria de saber se eu como mulher e namorada dele posso passar um mês como turista na casa com ele, onde ele vai morar. Ou só pode se eu for casada com ele? Gostaria dessa informação… Se for possivel me dá, eu te agradeço.
    Abraço.
    Dulce

    • Dulce, eu acho que voces vão ter que fazer reserva num hotel para você conseguir um visto de turista emitido pelo hotel.
      De qualquer modo, peça ao seu namorado para perguntar se a empresa dele faria esse visto para você. Sem certidão de casamento, vai ser difícil conseguir um visto de familia ( para visitas).

  8. Olá Lu! me chamo Elaine e estou muito feliz por poder falar com você. Nossa! Adorei as dicas e histórias mencionadas tbm. Estou namorando com um rapaz que vive no Qatar e estamos fazendo planos para casarmos. Tenho pesquisado sobre o local e meios para obter passaporte e visto. Espero poder falar sempre contigo. Te enviando boas energias daqui do nosso Brasil. As fotos ficaram ótimas!

    Valeu Lu!!!

  9. Ola Luciana,

    Otimas as suas dicas sobre Doha. Eu moro na Australia e em tres semanas estamos nos mudando p/ Doha (eu, meu marido e nosso filho de 3 anos).
    Fiquei muito mais tranquila com as suas informacoes.
    Super abraco,
    Angela.

  10. Olá Lu,

    Amei sua entrevista! Me chamo Yurika e estou terminando meu mestrado em engenharia de materiais na USP de São Carlos. Meu namorado está trabalhando na construção do aeroporto de Doha e está ai fazem 5 meses. Estou providenciando minhas papeladas para ir me encontrar com ele depois de defender agora no meio do ano. E estou pesquisando costumes, hábitos e etc para não aparecer ai e fazer coisas muito feias. Espero poder conta com suas dicas.

    Bjos

  11. Olá Luciana, sou brasileiro, casado, e tenho muita vontade de ir ao Qatar para trabalhar, pois acredito ser uma experiência profissional, acima de tudo cultural muito grande, porém não conheço nenhuma agência de empregos ou afins que possam me ajudar. Será que você poderia me ajudar, quem sabe você não conhece alguma agência por ai, desde já agradeço até mais.

  12. Olá Luciana,

    Adorei ler o seu blog. Sou portuguesa, temos culturas muito idênticas 😀
    Esta semana vi um anúncio para a Qatar Airlines, para Assistente de bordo. As condições parecem-me boas, casa paga, seguro de saúde, transporte pago para o trabalho, etc. Estou a pensar em ir ao open day de entrevistas, que é ainda esta semana. A Luciana pode, por favor, dar-me alguns onselhos? Tem conhecimento sobre o modo de funcionamento desta companhia, a Qatar?
    O meu e-mail é: telmaloboferreira@gmail.com
    Muito obrigada pela sua gentileza,

    Melhores cumprimentos, e tudo de bom

    Telma

  13. Luciana
    Adorei sua entrevista, devo estar indo pra aí em setembro pra conhecer.
    Meu namorado mora ai em Doha, estou pensando em ir morar ai também. Não somos casados, vivemos em união estável, eu tenho um filho do meu casamento anterior. Vc pode me dizer se existe a possibilidade de conseguir visto pra gente sem sermos casados? E a escola, como é? Os anos de estudo são equivalentes aos do Brasil? Abraço

  14. No momento estou desempregado, pois eu gostaria de saber como faço para trabalhar no Qatar.

  15. Ola Luciana, que boa entrevista! Amei!
    Interessantemente, Kathar eh um dos paises do Golfo que eu gostaria de visitar um dia. As fotos que ilustram sua entrevista sao muito boas.
    Quem sabe um dia chego por ai com meu esposo.
    Beijos e curta o verao!!
    Rosangela

  16. queria saber da noite de doha,baladas,essas coisas,to indo essa semana para doha,se tem brasileiras por la,como funciona a cultura la,,desde ja agradeço

  17. Olá Luciana,
    eu e minha esposa , moramos em Sao Paulo e gostamos muito da sua entrevista, e estamos pensando em ir a turismo em junho ou julho/2010 (aproveitando uma promoção da Qatar Airwais,)
    sei que voce deve estar muito ocupada, mas se puder me ajudar com algumas dicas, eu ficaria muito grato, como por exemplo: passeios, se é prático alugar um carro, se tem alguma agencia de receptivo, se da para ir a alguns paises por perto etc,
    somos muito experientes em viajar pela Europa e EUA, mas Oriente médio, nao entendemos nada e seria nossa primeira vez,
    desde já agradeço
    att
    Jose

  18. Olá Luciana,
    Estou indo ao Qatar daquia a uns 30 dias.
    Adorei sua entrevista. Me ajudou muito. Se puder, me mande um e-mail, pois gostaria de tirar algumas dúvidas a respeito da política do Qatar entre outras Coisas. Obrigado,
    Onayr

  19. Olá Luciana!

    Parabéns… Muito complexa suas resposta!

    Meu marido fechou contrato com um time de futsal em Doha, provavelmente ele estará por ai no fim desse mês , e eu e meu filho vamos entre 10 ou 15 dias depois. Gostaria de saber quanto custa em media uma escola primaria? Meu filho tem 9 anos, atualmente moramos em Portugal, somos brasileiros, mas vivemos em Portugal a quase 4 anos… Acha que vamos nos adaptar? E quanto as crianças brasileiras, sabe algo sobre a adaptação delas?

    Espero que possa me ajudar.

    Desde já obrigada.

    Que Deus abençoe voce e sua família.

  20. Óla Luciana, te escrevir antes.nao sei se vc. recebeu necesito ajuda. meu esposo tem um contrato para trabalhar air, com un salario de 20.000,00QR. mais vivenda paga e pasajem te pergunto somos duas pessoa dar pra viver bem com esse salario? e aorrar algo. obrigado por esse bloc. e de muita ajuda. oi como fica a pele do rosto com esse calor tenho muito medo dissso as creme de beleza air sao muito caras. beijos. te agradeço por me responder.

  21. Olá Luciana, esta entrevista me deu uma luz, eu conheci um egipcio que trabalha em Doha, nos comunicamos em ingles, mas ele tem muita dificuldade em me entender.Preciso detalhes sobre trabalho em Qatar de preferencia em Doha, ele me disse que consigo trabalho em minha área que é:Professora de dança, bailarina e coreógrafa, inclusive na dança do ventre.Mas após ter lido a entrevista, mediante aos rígidos costumes fiquei com dúvidas, sabes de algum cite onde posso me candidatar a vagas nesta área?E encontro com facilidade estudantes moças para dividir apartamento? porque, pelo exposto não posso contar em morar com este rapaz sem ser casada, e para isto acontecer preciso conhecê-lo bem primeiro, saber se ele já tem outra esposa ou pretendente, ele diz que não, mas nós as brasileiras não acreditamos fácil no que os homens falam e, não estamos preparadas para ser a outra esposa. obrigada e abraços

  22. Olá! Fascinante a tua experiência. Pena que mulheres solteiras não são aceitas senão tentaria a sorte por aí. Eles têm interesse em aprender português?

  23. Oi Lú, como vai, muito interessante a entrevista. Tenho uma dúvida, sou cristã e nos reunimos aqui no Brasil nas casas para pregarmos e falarmos de salvação em Jesus. Vc acha que seria possível eu difundir minha religião entre os casais daí em minha casa? Principalmente os que são de outros países? Obrigada, Ana (anaraleme@hotmail.com)

  24. Realmente é surreal, deve ser lindo, vi que as ruas sao limpas, só fala um verdinho na paisagem.

  25. Melhor que viver em outro país é conviver com outras pessoas e com suas variadas culturas…

    Eu sou casado e tenho um filha de cinco anos e gostaria de saber como morar e trabalhar no Qatar, você pode nos ajudar com informações referente à esse propósito?

    Thank´s
    Ailton Medeiros
    19 8189 7204

  26. ola um otimo dia ao casal depois de assistir uma materia na tv sobre o QTAR fiquei muito interessado em trabalhar ai,sou encanador e minha mulher e tecnica de enfermagem mas ñ temos nem um contato ai se puder me ajudar indicando enpresas de contrução civil ou emoresa de manutenção hidráulica se puder me atender serei eternamente grato.

  27. Lu, como posso falar com você? Tem e-mail?meu e-mail: alicecampos01@hotmail.com
    Abs.

    Alice.

  28. gostei muito da sua entrevista meu marido esta vendo um trabalho e vamos mudar pro Qatar em dois meses mais . so queria saber se pode vestir calcas jeans no dia a dia ?
    beijos e obrigada

  29. Olá Lucia, sua entrevista esclareceu muitas duvidas que tinha em relação ao Qatar, pois estou colhendo informações para quando terminar a faculdade quem sabe trabalhar ai.
    Se tiver alguma dica de como posso conseguir trabalho no Qatar por favor me envie.
    Trabalho na liderança de equipes e estou me formando em processos gerenciais no final deste ano (2012), tenho 36 anos, sou casado e tenho um folho de 7 anos. Um grande abraço Brasileiro.

  30. Olá, Lucia, estamos em 2016, seu blog ainda existe? Moro em Curitiba.
    Felicidades!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: