Amor à primeira vista

Patricia no CanadaCidadã do mundo, procurando vivenciar novas culturas e aprender sempre mais, Patricia acabou indo parar em Vancouver, no Canadá, cidade da qual mal tinha ouvido falar. Qual foi a sua surpresa a perceber que essa cidade, em menos de 3 meses, ganharia seu coração e seus sonhos.

– Nome:
Patricia

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci e cresci em Londrina/ PR, no sul do Brasil.

– Em que país e cidade você mora?
Moro em Burnaby/ BC que é subúrbio (20 minutos) de downtown Vancouver.

Patricia no Canada

“Vivendo na cidade onde as montanhas encontram o oceano.”

– Você mora sozinho ou com sua família?
Me mudei para o Canadá sozinha, 3 anos atrás.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Moro em Vancouver ( já morei em outras 3 cidades da Grande Vancouver) desde Maio de 2006.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Sim, passei 6 meses nos Estados Unidos em 2003. E um mês na Suécia em 1998.

– Qual sua idade?
Faço 25 anos mês que vem!

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Desde nova eu estava sempre em contato com outras culturas pelo Rotary. Hospedei 3 estudantes estrangeiros e a vontade de viajar e morar no exterior só crescia. Em 1998 passei um mês em Estocolmo na Suécia. Em 2003 tranquei a faculdade no 2 ano para passar um tempo nos EUA. Peguei rodinha no pé e não quis mais parar de viajar.
Depois que eu voltei dos EUA não conseguia me acostumar mais na minha cidade e decidi ir para o exterior de novo. A Itália era o destino desejado, para estudar italiano, mas acabei vindo cair em Vancouver, e a partir daquele momento foi amor a primeira vista. Fiquei 3 meses em Vancouver em 2004/2005 e decidi que iria morar aqui o resto da vida. Voltei ao Brasil, passei um ano por lá, e em 2006 voltei de vez pra Vancouver.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Como eu decidi não terminar a faculdade de direito no Brasil, eu não teria pontos para vir como skilled worker (visto de residente permanente), eu decidi vir como live in caregiver que é como o programa de au pair (babás), mas você ganha mais e depois de 24 meses no programa, você pode pedir o visto de residencia permanente. Para quem fala inglês intermediário e tem experiência com crianças o visto não é díficil de ser tirado. O meu levou 1 mês. ( Tem que gostar de crianças também, né?)

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Sim. O Canadá tem sistema de saúde público e cidadãos, imigrantes e workers trabalhando aqui podem aplicar. Você aplica logo que chega no país, mas tem carência de 3 meses, então é bom comprar um seguro privado para esse tempo. O processo é rápido e fácil.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sim, trabalho. Já vim para o Canadá com emprego já arranjado. Trabalho para uma família cuidando de 3 crianças. Agora tenho permissão para trabalhar em qualquer lugar (o visto de live in no começo só permite que você trabalhe com uma família), mas ainda não começei a procurar emprego em outro lugar (ver explicação abaixo).

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Sim e não. Sai do Brasil com 21 anos e estava no 4 ano de direito. Eu estudava e dava aulas de inglês. Como eu decidi não terminar a faculdade porque iria ser impossível revalidar o diploma no Canada e eu não estava feliz com direito, transferi a faculdade para o Canadá. Agora trabalho e estudo.
A universidade aceitou meio ano letivo, o que ajudou mas não muito. Como ainda vou ser estudante por um tempo não tenho uma “área” na qual procurar emprego. Agora que posso trabalhar em qualquer lugar, provavelmente vou utilizar a busca da própria universidade que tem empregos com horários flexíveis para que eu possa me dedicar aos estudos.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim. Antes mesmo de morar nos EUA eu já dava aulas de inglês no Brasil. Acredito que, como em qualquer situação, é importantíssimo falar a língua local. Para você poder sociabilizar, arrumar emprego, viver realmente no país, é necessário que se fale inglês (ou francês se for nas províncias do leste). No Canadá é muito comum conhecer pessoas que falem mais de uma língua. Geralmente imigrantes mantém sua língua materna e sua cultura. E isso é importante também. Mas para realmente se sentir parte da comunidade onde se vive é imprecindível falar inglês. Moro com filho de imigrantes da Itália/Egito, mas todos falam inglês fluente e são cidadãos canadenses com orgulho.
Patricia no Canada
Eu e amiga francesa em Victoria- BC.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
O Canadá é o país das oportunidades. Digo isso porque aqui não importa se você nasceu rico ou influente. Qualquer pessoa que se esforçe e estude, tem condições de crescer profissionalmente e pessoalmente. Sou suspeita para falar porque amo e respeito o Canadá desde que pisei aqui pela primeira vez. O Canadá é o país mais aberto a imigrantes que eu conheço, e embora possam ocorrer atritos, eles raramente ocorrem, principalmente se você considerar a miscigenação no país.
Adoro a palavra multiculturalismo e o que ela representa: um país onde todos têm o direito de manter sua cultura, mas ao mesmo tempo fazer parte do todo que é o Canadá. Já li em comunidades no orkut, blogs muitas pessoas reclamando de algumas coisas quanto a tratamento com imigrantes, mas eu posso falar que nunca fui maltratada e nunca me senti inferior.
As pessoas tendem a gostar e se interessar por brasileiros. Quem eu conheço sempre sabe um pouco pelo menos, e várias vezes passa além do futebol/carnaval. Várias pessoas que eu conheço inclusive já visitaram o Brasil.
Só por um exemplo: Eu, que ainda não sou cidadã, fui escolhida por uma organização para ser a representande/lider de uma delegação Canadense (de Vancouver) em Toronto nesse verão. No treinamento, 2 semanas atrás, entre 60 pessoas eu era a única que não era nascida aqui, ou filha de canadenses. E tirando o sotaque não tinha diferença nenhuma. Todos me falaram que uma brasileira -“quase canadense” representando o Canadá era mais Canadian impossible.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Ainda não tenho filhos.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sinto saudades demais da minha família e dos meus amigos. Quanto a produtos e comida só sinto saudades de sucos de frutas naturais e água de côco. Tenho uma alimentação saudável aqui, e nunca fui fã de arroz com feijão ( ainda bem que me livrei disso!!).

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
As atividades no Canadá dependem do clima. No inverno todo mundo se esconde e acabam indo para pubs e casa de amigos. Muitas pessoas ficam deprimidas, mas eu acho exagero. O melhor a fazer é aproveitar o que cada estação tem de melhor. No inverno eu costumo ir ao cinema, casa de amigos, festas em casa e em pubs. Recentemente aprendi a esquiar e amei! Entendo agora como as pessoas vão todos os fins de semana durante o inverno (Vancouver tem 3 montanhas a 40 min de downtown, e Whistler a 1h e 30 m).
Patricia no Canada

Nas demais estações a praia e os parques da cidade ficam lotados de pessoas fazendo churrasco, picnics, tomando sol, jogando algum esporte. Melhora o humor da maioria das pessoas.
Diferente do Brasil, aqui se não estiver chovendo, ou muito frio as pessoas vão para as ruas pedalar, andar de roller (patins), e curtir os dias secos, tão raros em Vancouver. No verão também temos muitos festivais étnicos, de Jazz, de cinema.. e assim vai… É só se manter informado pelo jornal para saber o que está acontecendo.
Para quem não sabe o que fazer ainda tem sites como o meet up no qual você pode encontrar pessoas que planejam desde jogar volei de praia, até ficar uma tarde fazendo scrapbooks.
A maior diferença para mim entre o Canadá e o Brasil é que aqui muitas pessoas fazem trabalho voluntário. Seja em escolas, hospitais, festivais. Muitas pessoas comprometem parte do seu tempo livre por uma causa na qual acreditem. (Eu sou voluntária em 2 lugares)
Patricia no Canada
Festival de Jazz

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Sim. Planejo morar no Canadá, especificamente em Vancouver. Me mudo daqui só por acontecimentos que estarão fora do meu controle.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Não comprei. Não tenho custos porque moro com a família para qual trabalho. Mas para se ter uma idéia, moro na suíte do basement que são 2 quartos, cozinha, sala e banheiro. Como não é em Vancouver, o aluguel seria CAN$1000,00. Se for perto da praia em kitsilano por exemplo fica em CAN$1500,00 pela mesma suíte. Um apartamento de um quarto em downtown fica em aproximadamente CAN$1400,00. É uma cidade cara para se viver (embora o preço dos imóveis esteja caindo), mas com planejamento não é impossível de se comprar imóvel. Os juros estão muito baixos.

– Qual o custo de vida?
O custo de vida em Vancouver é alto. Uma família de 4 pessoas, sendo 2 crianças e 2 adultos, eu acredito que precisaria de CAN$4,500.00 para se ter uma vida razoável. Dependendo de onde morar, os aluguéis são mais baratos, mas você perde tempo em trânsito e gasta com transporte. Escola e seguro saúde não precisa pagar. A maior conta daqui de casa pelo menos, depois da hipoteca, é a conta de supermercado.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Positivos:
* Maior igualdade social e saber que isso ajuda a ter mais segurança;
* Saber que seus direitos são mais respeitados;
* Poder experimentar as 4 estações do ano (adoro as mudanças!);
* Seguro saúde para todos, escola pública para todos;
* Poder conviver com culturas do mundo todo em harmonia e experiementar a culinária de outros países;
* Festivais gratuitos em parques;
* Poder velejar, esquiar e jogar golf no mesmo dia (só em Vancouver hehe);
* Saber que seu serviço voluntário é apreciado;
* Charter of Rights and Freedoms que proteje os cidadãos e imigrantes;
* Programas do governo para crianças.

Negativos:
*Dizem que o inverno é um deles. (Eu gosto das 4 estações do ano);
Patricia no Canada
English Bay

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
O que eu mais gosto no Canadá é que qualquer emprego é digno. Aqui no Canadá, com 14 anos já se ve jovens trabalhando em Mc donald’s, em lojas, cortando grama, lavando carro. Eles valorizam o trabalho e não tem essa de pais bancarem os filhos até se formarem na faculdade. Embora muitos pais ajudem os filhos a pagarem a faculdade, todos os meus colegas trabalham desde os 15 anos e conseguem manter sua vida social com seu próprio dinheiro. Queria que isso fosse possível no Brasil, mas não é. Falta emprego até para quem precisa.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
* Para quem vem morar no Canadá, venham com a mente aberta. O Canadá é um país multicultural e isso significa que não só você vai ter que se acostumar com o jeito canandese, mas também com as dezenas de culturas diferentes que convivem por aqui. Eles tem tanto direito quando você de estar aqui, e não cabe a quem chegou depois, criar caso.

* Faça o possível para não se fechar em “guetos” e conviver só com brasileiros. Já vi pessoas voltarem ao Brasil com inglês pior do que vieram.

* Para não ficar deprimido aprenda a aceitar as diferentes estações do ano e busque atividades que os deixem felizes, mesmo que não pare de chover/nevar.

* Seja parte da sua comunidade. Isso vai fazer você se sentir mais em casa, e menos como a “gringa.”

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Meu blog pessoal que fala sobre o Canadá, meus pensamentos, mas não sobre imigração http://polveredistella.blogspot.com

O blog mikix e o Invasões Bárbaras que têm muita informação boa sobre o Canadá: http://www.mikix.com/e http://lesinvasionsbarbares.blogspot.com/.

E o site do governo canadense onde toda a busca deve começar: http://www.cic.gc.ca/english/index.asp

Anúncios

15 Respostas

  1. Adorei a entrevista, e que pessoa interessante é a Patrícia, que super alto astral!

  2. Linda entrevista, super pé no chão e madura para apenas 25 anos! Como é legal ter foco na vida, sabia o que queria e deixou a faculdade, o que eu acho mais inteligente, porque convalidar título universitário é um saco e requer anos e papeis sem ter fim!
    Beijos

    • Xará Patricia
      Não é fácil abandonar 4 anos de curso, mas acredito que foi a decisão certa. Estou estudando Relações Int. agora e essa sempre foi minha primeira opção, mas na minha cidade não tinha. Eu brinco que meu pai não me deixou ir estudar em Brasilia, mas agora vim estudar no Canadá 😉
      Beijos!

  3. Obrigada pela lembrança.
    🙂

  4. Adoro ver gente jovem, que desbrava o mundo e vive 🙂
    Bjokas

  5. Muito legal a entrevista! Boa sorte sempre para você, patricia!

  6. Adorei a sua entrevista para o ano que vem eu vou me mudar para o Canadá Vancouver e gostaria de mais informações.
    Meu email: WANDERLEIALINA@HOTMAIL.COM
    Obrigada desde já!!

  7. Olá !!!
    Cheguei até aqui através do grupo do google.
    Pretendo ir sozinha.E ler sobre outros que se arriscaram,já me deixa menos assustada e ansiosa rsrs Sou enfermeira,então dei entrada pelo processo de skilled worker
    A barreira da lingua é meu objetivo agora: fazer o IELTS e concluir o processo.
    bjks
    Site legal ^^
    Joice

  8. ps : digitei o email errado,estou enviando o correto agora
    Eu só uso o globo.com,agora estou me adaptando ao gmail rsrs
    bjkas

  9. Oi Patricia
    Tbem sou patricia, paranaense e ja fui aupair rsrs. Moro em atlanta usa, eu e meu marido estamos considerando ir para o Canada, mas ainda nao sabemos como comecar, estamos pensando em ir para estudar frances, vc acha q deveriamo ir para o Brasil primeiro uma vez meu marido ficou ilegal aqui. Qual a forma melhor de ir q vc aconselharia?
    abracao
    e muito sucesso p vc

  10. Contagiante entrevista. Conheço Vancouver e arredores. Tbm fiquei apaixonada desde a primeira vez. Em julho acalmarei a saudade novamente… Parabéns pela decisão ousada e certa de; “pé na estrada”…
    Sucesso!!!

  11. Oi Patricia, sou educadora de infância e vivo em Portugal e estou pensando sériamente ir viver para o canadá e adorei ler a sua entrevista e gostava muito de ter mais informação sobre live in caregiver, sei que no site oficial do canadá explica mas gostaria de saber como é,o que é preciso, quanto tempo leva etc…
    Se puder manda a sua história de todo o processo para conseguir trabalho no canadá fico muito agradecida.
    desde já muito obrigada
    Meu email: ed.andreiavicente@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: