Vida de Andarilha

Monica na InglaterraMonica deixou o Brasil por uma grande paixão, a música. Em busca da tão sonhada realização profissional, essa gaúcha atravessou o oceano de mala e cuia, estudou e conheceu o amor da sua vida, passou pela Espanha, Escócia e Inglaterra, e agora se prepara para mais uma aventura em uma terra ainda mais distante…

– Nome:
Monica Mitchell

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Santa Catarina, mas cresci em Porto Alegre e me sinto totalmente gaúcha, de alma e coração.

– Em que país e cidade você mora?
Atualmente moro em Bath, no interior da Inglaterra, mas estou de mudança pra Melbourne, na Austrália.
Monica na Inglaterra

– Você mora sozinho ou com sua família?
Moro com meu marido.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Desde 2005 no Reino Unido, desde 2002 na Europa.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Sim, morei 3 anos na Espanha (San Sebastián), 2 anos na Inglaterra (Londres), 1 ano e meio na Escócia (Edimburgo) e agora estou de volta a Inglaterra (Bath).

– Qual sua idade?
29 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Eu toco violoncelo desde criança e sempre soube que música era a minha vida. Quando chegou a hora de prestar vestibular, me vi numa escolha difícil, já que, naquela época, nenhuma universidade em Porto Alegre oferecia o curso de Bacharelado em Violoncelo. A opção era ir para outro estado (o que não me atraia nem um pouco) ou sair do país (o que parecia quase impossível). Acabei prestando vestibular pra Educação Física na Federal do Rio Grande do Sul e cursei uma boa parte do curso. Nessa época eu ja trabalhava com música tocando em orquestras, fazendo gravações e dando aulas, e foi quando um grande amigo, que estava indo estudar na Espanha, me motivou a vir com ele e realizar esse grande sonho que era estudar música no exterior.
Fiz contato com o professor do Conservatório de Música onde queria estudar, e ele topou me ajudar a me preparar para as provas de admissão. Cheguei em San Sebastián 3 meses antes das provas, tive um intensivo de aulas de violoncelo e espanhol e aproveitei para conhecer um pouco da cidade onde eu pretendia viver por um tempo. Fui admitida no Conservatório, voltei pro Brasil pra pedir o visto e vim pra Espanha de mala e cuia! Morei 3 anos em San Sebastián, 3 anos muito difíceis, de muito estudo e saudade do Brasil, mas sem dúvida os 3 anos mais incríveis da minha vida!
Com o diploma na mão, resolvi tirar um “ano sabático” e pensar na vida, então segui pra Londres pra aperfeiçoar meu inglês e viajar pela Europa. Lá acabei me apaixonando por um inglês que mudou completamente o meu rumo, o que me fez decidir morar fora do Brasil permanentemente.
Monica na Inglaterra

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Na Espanha eu tinha visto de estudante, que precisava ser renovado todos os anos. Não foi difícil de conseguir, mas eles exigem bastante documentação e para renovar o visto todos os anos eu precisava de todos os documentos novamente. Meu primeiro visto foi tirado no Consulado da Espanha em Porto Alegre, mas para renovar foi tudo feito em San Sebastián mesmo.
O visto de estudante pro Reino Unido foi pedido na Espanha, ja que eu morava legalmente por la foi muito fácil e tudo foi feito pelo correio.
Hoje, por ser casada com um britânico, tenho visto de esposa e residência permanente aqui. Esse sim é um visto muito chato, que custa caro e exige muita documentação para provar que de fato vivemos sob o mesmo teto. Ja que muita gente casa com estrangeiros por interesse, eles pegam pesado com quem tem esse tipo de visto.
Todas as informações sobre vistos para o Reino Unido podem ser encontradas no site do Home Office: http://www.ukvisas.gov.uk/en/.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Uso o sistema público de saúde daqui e nunca tive problemas. No geral funciona muito bem, e é possível adquirir medicações bem baratas ou até de graça, dependendo da sua renda. Logo que cheguei em Londres, me dirigi a clínica do NHS mais próxima e foi muito fácil.
No site do NHS (National Health System) você pode fazer a busca da cliníca mais próxima ao seu endereço: www.nhs.uk

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Tanto eu quanto meu marido trabalhamos, ele é chef e eu sou violoncelista e professora de música. Trabalhei de babá enquanto era estudante e de garçonete logo que cheguei em Londres. Até o ano passado eu administrava minha própria escola de música pra crianças, mas tive que largar tudo ja que estamos indo pra Austrália. Morro de saudades de dar aula e não vejo a hora de chegar em Melbourne e abrir minha escolinha por lá.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Continuo na minha área que é música, mas acabei me especializando em educação musical infantil, que é a minha paixão.
Em Londres, fiz duas especializações, uma em musicalização para bebês e crianças, e outra em pedagogia do violoncelo. Os dois são diplomas reconhecidos mundialmente, o que vai facilitar bastante minha vida profissional na Austrália.
Monica na Inglaterra

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim, e acho importantíssimo aprender a lingua. Claro que no inicio é sempre mais difícil, eu mesma não falava espanhol quando cheguei e meu inglês era bem básico. Mas sempre fui muito esforçada e não sosseguei enquanto não aprendi a me comunicar! Lia muito e vivia com um dicionário na mão.
Ter fluência no idioma ajuda em todos os sentidos, na hora de procurar emprego, de fazer amizades, conhecer pessoas, estudar… sem isso fica muito difícil se integrar em qualquer cultura, onde quer que você esteja.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Eu acho o Reino Unido um país fascinante de se viver! E´ um lugar cheio de história, cosmopolita e com muitas oportunidades. Tem defeitos, claro, como qualquer outro lugar, mas é um país e uma cultura que eu respeito e me sinto respeitada.
No geral os britânicos são bem abertos quanto a estrangeiros, já faz parte da cultura deles conviver com pessoas de países diferentes, mas eles gostam de perceber que você faz um esforço para se comunicar e se integrar, ainda que a fluência na língua não seja perfeita.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não, ainda não tenho filhos.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sim, sinto muita saudade, claro! Mas a internet faz uma grande diferença e falo sempre com meus pais pela webcam (santo Skype!), o que ajuda bastante a segurar a saudade. Tento ir para o Brasil regularmente e minha familía já veio me visitar também.
Não sinto tanta falta de produtos brasileiros, mas como boa gaúcha adoro um chimarrão e sempre trago muita erva-mate quando vou ao Brasil! Aqui até se encontra produtos brasileiros com facilidade, mas são muito caros, então aprendi a me virar sem eles.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Adoro viajar, sair pra jantar com meu marido, ir ao cinema, museus, barzinho com as amigas… Mas no geral, sinto falta de ter uma vida mais ao ar livre, curtir uma praia no final de semana ou uma caminhada no parque no final do dia, coisas que aqui, com o clima chuvoso, fica bem difícil.
O Reino Unido tem muitas opcoes de lazer e lugares incríveis pra conhecer, mas acho que o clima chato daqui atrapalha bastante a vida.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Não pretendo viver no Reino Unido pra sempre, mas tambem não tenho planos de voltar ao Brasil. Estamos de mudança pra Austrália, onde esperamos unir os dois mundos: o calor e o estilo de vida do Brasil, com a segurança e a estabilidade de um país como o Reino Unido. Se tudo der certo, é por lá que queremos ficar!
Monica na Inglaterra

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Até hoje alugamos o lugar onde moramos, o que tem facilitado bastante essa vida de andarilhos que levamos. Mas estamos querendo nos assentar em algum lugar e formar nossa família, então pensamos em comprar um imóvel quando a hora certa chegar.
No Reino Unido o custo de um imovel é absurdo, mas tudo também depende da cidade e do bairro onde se mora. Muita gente acaba indo pro interior do país, já que as capitais estão muito saturadas e tem um custo de vida altíssimo! (principalmente Londres)

– Qual o custo de vida?
Depende muito de onde você mora e do seu estilo de vida, mas no geral o custo de vida aqui é bastante alto, principalmente moradia e transporte.
Alimentação, lazer e roupas são mais acessíveis, você encontra um pouco de tudo e para todos os gostos.

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Acho super difícil generalizar os pontos positivos e negativos do Reino Unido, já que muda muito de região pra região. Além de tudo, depende muito das perspectivas de cada um… Mas no geral para mim seriam esses:

Pontos positivos: a facilidade para viajar pra outros países da Europa, o acesso gratuito a museus e galerias de arte, a diversidade cultural, e a oportunidade de conviver com pessoas do mundo todo. Sem falar na segurança, estabilidade financeira, educação e organização.

Pontos negativos: com certeza o clima, até o britânicos reclamam! Não é tanto pelo frio, já que comparado com outros paises o frio é bem ameno. Mas a chuva constante, o céu quase sempre nublado e os dias muito curtos atrapalham muito a vida das pessoas. Até existe um fenômeno aqui que eu nunca tinha ouvido falar antes -SAD (Seasonal Affective Disorder)- que é justamente um tipo de depressão que afeta as pessoas no inverno justamente pela falta de luz. Isso é realidade no Reino Unido e todos os anos se fala muito disso nessa época do inverno. Além disso, o alto custo de vida tambem é um ponto extremamente negativo aqui.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Eu acho impressionante a cultura dos pubs por aqui. Beber é quase um esporte nacional, e muita gente acredita que não existe diversão sem bebida. Nos fins-de-semana se vê muitos jovens, muitos deles até menores de idade, bebendo tudo e mais um pouco. Nada de beber socialmente não, o negócio é beber até cair!
Isso é um aspecto da cultura britânica (e de muitos países europeus) que me encomoda, e que, apesar de parecer divertido para algumas pessoas, já é um problema social nesse país.

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Eu acho ótimo viajar por aqui. O sistema de trens funciona e as estradas são excelentes. Seria maravilhoso se o Brasil tivesse um sistema de trens parecido onde as pessoas pudessem viajar fácil e rápidamente entre uma cidade e outra.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
A melhor sugestão que posso dar para qualquer um que pretende viver no exterior (não só aqui) é: esqueça as comparações!
A maior bobagem que se pode fazer é ficar comparando sua vida no Brasil com a sua vida aqui. Nunca esqueça de onde veio, mas saiba valorizar e entender uma cultura diferente da sua. Tenha paciência e perseverança porque as oportunidades não caem do céu. E o mais importante: venha com a mente e o coração aberto, que com certeza você vai ter a melhor experiência da sua vida!
Monica na Inglaterra

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Meu blog pessoal não é exatamente sobre informações do Reino Unido, mas fala um pouco sobre o meu dia-a-dia por aqui: Espelho, Espelho Meu

Para informações sobre visto e entrada no Reino Unido, procure os sites oficiais, já que as leis de imigração estão sempre mudando: UK Border Agency

No site da Embaixada também se encontra muito informação sobre a vida por aqui: Embaixada do Brasil em Londres

Anúncios

9 Respostas

  1. Monica, apesar de já conhecer o seu blog, não sabia dessa sua passada pela espanha e q a sua formação de musica tinha sido lá!

    bjs

  2. Parabéns pela entrevista e muito sucesso, nao importa onde vc estiver!
    Um beijo,
    Sandra

  3. Adorei sua entrevista! Parabéns pela forma clara e interessante que passou de sua vida aí. Esperamos você em Melbourne, ou Sydney, quem sabe?

  4. Muito legal sua história!!
    Boa viagem e que a Austrália seja tudo o que vc espera! Beijos

  5. Mônica, sua história é demais! Desejo muita sorte pra vc na Austrália!

  6. E entrevista tri legal!
    Isso mesmo sem chimarrao nao tem sentido a vida(rsrsrs..).
    Felicidades na Australia,Deus abencoe!

  7. Monica, parabens pela entrevista e pela otima sugestao/dica. Imprescindivel para aqueles que pretendem um dia morar fora do seu pais de origem.
    Felicidades sempre,

    Abracos,

    Robson(Japao)

  8. Obrigada, pessoal! Foi muito legal fazer a entrevista e mais ainda receber essas respostas tão positivas!

    Obrigada mais uma vez!

    Beijos

  9. Adorei a entrevista!
    Vc foi muito precisa nas descrições de sentimentos, de mudança de comportamento e estilo de vida de pessoas que vivem fora de sua terra natal.
    Boa Sorte!
    abçs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: