Uma paranaense desde “As Afortunadas”

Patricia nas Ilhas CanariasA vida expatriada de Patricia foi acontecendo aos poucos. Primeiro ela foi realizar os cursos de doutorado nas Ilhas Canárias, nisso surgiu a oportunidade de alongar sua estada devido a uma bolsa de pesquisa e depois aconteceu dela se apaixonar por um local e adotar a ilha como segunda casa.
Aproveitando as oportunidades, ela vai traçando sua nova vida e vivendo as diferenças culturais de uma forma natural. Saudades sempre surge, mas o skype esta aí para ajudar um pouquinho…

– Nome:
Patricia de Camargo

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Apucarana (interior do Paraná) e cresci em Curitiba.

– Em que país e cidade você mora?
Las Palmas de Gran Canaria/Espanha.

– Você mora sozinho ou com sua família?
Moro com meu marido.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Entre idas e vindas desde 2002. E de forma mais ou menos definitiva desde outubro de 2005.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Não.

– Qual sua idade?
Acabo de fazer 38 anos.

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Na verdade eu vim para Las Palmas para cursar os cursos de um Programa de Doutorado. Isto significava estar 6 meses longe de Curitiba, e depois retornar para escrever a tese no Brasil. Escolhi Las Palmas porque na universidade local se encontra o primeiro mestrado e doutorado em Turismo da Espanha. Ademais, as Ilhas Canárias recebem mais que o dobro de turistas internacionais que nosso país, portanto é um bom local para entender o que é realmente turismo de massa.
Acabei ficando mais tempo, porque consegui bolsas de pesquisa. Quando estava para voltar conheci meu marido. Um canário fez com que mudasse meus planos.
Patricia nas Ilhas Canarias

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Quando cheguei tinha o visto de estudante. Este visto deve ser retirado no Brasil, não tem como realizar este trâmite na Espanha. Não é difícil, mas sim trabalhoso. São necessários muitos documentos, entre eles: antecedentes penais e provas que terá como se manter economicamente na Espanha. Eu retirei o visto no Consulado Espanhol em São Paulo.
Quando se chega na Espanha, você tem três meses para regularizar sua situação junto ao governo, para tanto deve se dirigir à “Extranjería” da cidade aonde vai residir ou da capital da sua província. Caso não realize este trâmite dentro deste prazo, já não poderá mais fazê-lo e será considerado ilegal no país. Como estudante deverá renovar a cada ano este visto, com a documentação que comprove que continua estudando no país.
Agora tenho visto de residente comunitário porque me casei em março de 2007. Este visto deve ser renovado a cada 5 anos. Neste momento estou com o processo de nacionalidade espanhola, neste mês entregarei os documentos, e já me disseram que deve levar mais um ano para que seja concedida. A nacionalidade por casamento pode ser requisitada um ano após o matrimônio.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Para tirar o visto de estudante se deve anexar o comprovante de um seguro de saúde ou o comprovante emitido pelo INSS que você tem direito à “Seguridad Social” na Espanha, por ser trabalhador brasileiro que a mais de seis meses paga sua quota do INSS. O documento emitido pelo INSS tem um ano de validade, e deve ser levado a administração da “Seguridad Social” de seu local de residência na Espanha para que eles emitam um cartão para que você possa utilizar o sistema de saúde público.
Em 2006, o governo espanhol me concedeu uma bolsa de estudo para o doutorado, e tive que contratar um seguro de saúde privado, que mantenho até hoje porque o sistema público apesar de ser bom, tem um deficit de especialistas. O que significa que pode levar meses para conseguir uma consulta com um oculista ou um ginecologista.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Eu tive muita sorte e também me arrisquei bastante! No meu primeiro ano de Doutorado realizei uns trabalhos para o Mestrado de Turismo, a princípio eram como que: “voluntários”. Através destes pequenos trabalhos mostrei do que era capaz, e a partir daí me contrataram para diversos projetos. Quando você sai do teu país, é como se iniciasse outra vez tua vida laboral, é cansativo e leva seu tempo. Mas ao final quando alcança teus objetivos, dá vontade de ficar um dia inteiro pulando de alegria. Quando se vive fora, as coisas se sentem de uma forma mais violenta. A saudade quase mata, e qualquer gripinha começa a chorar de saudade da sopinha da mãe e do pai!
O lance é que eu sou uma trabalhadora autônoma, assim às vezes tenho muito trabalho, e outras vezes nada! Mas em casa temos um assalariado – meu marido. Ele é professor da universidade da ilha.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Ainda não mudei, e espero continuar na minha área, que é a educação e a produção de materias didáticos impressos e on-line. Mas com a crise atual, tudo pode acontecer. O problema é que eu não convalidei meus diplomas universitários brasileiros, porque é uma burocracia violenta e sem garantias, assim estou esperando terminar o doutorado porque existe uma forma de que se reconheça que eu sou formada no Brasil, através da certificação universitária. Este é um trâmite que realizam as pessoas que querem aceder a um posto de trabalho nas universidades espanholas.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Quando cheguei não falava muito bem, mas a necessidade fez com que a aprendizagem fosse bem rápida. Durante um ano e meio dividi apartamento com uma húngara, formada em letras espanhol que me ajudou muito – a Mesi. E era mais fácil aprender espanhol do que húngaro (risos). Sem falar espanhol é bem difícil conseguir um trabalho, e também se comunicar. Por uma questão fonética, é mais fácil para uma pessoa que fala português entender quem fala espanhol do que o contrário. Não é má vontade deles, mas para eles é mais difícil comprender o que nós falamos! E não dá nem para ir ao cinema sem falar espanhol porque todos os filmes são dublados. Este é um costume que foi implantado para fortalecer e proteger o idioma e que se mantém até hoje, assim mãos à obra!

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
O pessoal das Ilhas Canárias está acostumado a receber estrangeiros desde muito tempo. Eles são bastante cordiais e amáveis com os estrangeiros, e ainda mais se percebem que nos esforçamos para falar seu idioma! Os espanhóis tem uma fascinação pelo Brasil, e não só pelo futebol. Adoram nossa música, tanto que vivendo aqui já tive a oportunidade de ver shows de Toquinho, Gilberto Gil, Bebel Gilberto, Ivan Lins, etc.
Agora nem tudo é um mar de rosas. Infelizmente tem uma mulherada que vai por exemplo em jogos amistosos do Brasil com uma micro roupa, e claro que com a camisa do Brasil. Quando marcam um gol, elas mostram os peitos. Por causa de coisas como essas, tem um pessoal que quando você diz que é brasileira, pensa que você é uma mulher digamos assim: fácil! Também existe um número absurdo de brasileiras e travestis no mundo da prostituição espanhola. Mas acredito que este tipo de preconceito ou melhor, de juízo errado se esfuma quando você mostra que tipo de pessoa é, e o mais importante, como quer ser tratada.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não tenho filhos.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Tenho muitas saudades, e graças a Deus existe Skype. Imagino como era quando não existia Internet. Falo com eles sempre que tenho vontade, estou 24 horas conectada. Acredito que uma pessoa valoriza ainda mais sua família com a distância, e quando estou com eles, estou 100% sem bobeiras, sem discussões idiotas, é tudo mais intenso!
No começo quando ia para o Brasil comprava um montão de comida, como por exemplo massa de pão de queijo, farofa, guaraná, sonho de valsa. Agora já não faço isso. Aproveito o máximo de cada lugar quando estou, e a única coisa que levo na mala, é água de côco, quando meu marido não vai comigo. Porque ele é simplesmente louco pela bendita água. Troquei as comidas por alguns livros e revistas, até para não perder vocabulário e fluidez na minha língua!

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
O espanhol vive a rua como ninguém. Faça chuva ou faça sol, a rua está cheia! A noite por aqui começa tarde e amanhece. Eu não sou muito de amanhecer na rua, mas curto os espetáculos de jazz que acontecem uma ou duas vezes por mês no Auditório Alfredo Kraus. Jantamos com os amigos e uma vez por mês realizamos um trekking. Gran Canaria tem um montão de montes e barrancos, e muitos roteiros de caminhada.
Patricia nas Ilhas Canarias

O espanhol não é tanto de academia como o brasileiro, é mais de fazer esportes ao ar livre, de viver o campo.
Também vamos à praia, Las Canteras fica a umas três quadras da nossa casa e no sul da ilha o clima bom é sempre garantido. Minha praia favorita do sul é Maspalomas
Patricia nas Ilhas Canarias

Em Curitiba ia muito na casa dos amigos, umas duas ou três vezes por semana. Aqui eles não têm o costume de receber muito em casa, o lance é sair. Apenas os amigos mais íntimos se reúnem e esporadicamente. Sinto falta das reuniões nas casas dos amigos.

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Perguntinha difícil! Por enquanto vamos viver aqui. Mas temos a utopia de viver entre os dois “mundos”. Quem sabe?!!

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Meu marido já tinha um apartamento o que facilitou bastante nossa vida. Os preços aqui são absurdos!!! Um apartamento em Las Palmas a umas duas quadras do mar de um quarto, com mais ou menos 50/54 m2 pode chegar a $160.000,00€ . Uma loucura! Em Madrid e Barcelona é ainda mais caro, e na Galícia um pouco mais barato.
Quando cheguei vivia de aluguel. Um apartamento razoável de dois quartos pode custar entre 550 e 750 euros por mês. Quando você aluga, além do aluguel, no primeiro mês paga uma fiança, que é uma quantia que o dono te devolve se você entregar o ap. em bom estado, normalmente é de uma a três vezes o valor do aluguel. Evite as imobiliárias, ademais da fiança terá que pagar no primeiro mês outra quantia no valor do aluguel, que é para pagar os serviços deles!

– Qual o custo de vida?
Isto depende muito do lugar da Espanha que você vai morar, varia muito. Mas vamos ver, para morar por aqui uma família de 4 pessoas gastaria como mínimo $ 1.800,00€, com aluguel, luz, água, telefone, comida e transporte público. Sem contar gastos de roupa, escola, diversão, etc.
A roupa por aqui é mais barata que no Brasil, por incrível que pareça. Agora por exemplo, para jantar um casal gasta como mínimo 26 euros, sem nada de extravagância, coisa bem simples. Uma entrada de cinema custa $ 6,90€, e uma entrada para um show de jazz legal de 15 a 24€ .

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
O melhor aqui na ilha é a segurança. Já voltei sozinha para casa andando pela praia às 4 da manhã! As Canarias são conhecidas como as Ilhas Afortunadas, porque o clima é genial. Nuca faz muito frio ou muito calor. A temperatura média é de 24 graus!
Aqui aprendi a comer um montão de mariscos e frios. Estou aprendendo a tomar vinho. Adoro a cultura espanhola, com estes horários loucos, de almoçar às 15:00 horas e ficar acordado até tarde. Amo o flamenco. A forma de falar com a boca mais fechada. O burburinho da rua sempre cheia de gente. Alucino com as senhoras de idade super bem vestidas pela rua, e penso: quero ser assim quando crescer!
O pior para mim é ter deixado as minhas aulas em Curitiba; a distância entre o Brasil e a Espanha; e a noite de Natal.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Os horários, e é algo particular da Espanha. Em nenhum outro país europeu é assim. Eles começam a trabalhar às 8 da manhã, daí às 12:00 tomam outro café e um sanduíche, voltam a trabalhar. Às 14:30 /15:00 almoçam. Alguns voltam a trabalhar, e as lojas ficam abertas até às 21:00. O prime time da televisão espanhola è às 22:00 horas.
Eles chamam de Natal o período do final de dezembro até 6 de janeiro. E não é o Papai Noel quem traz os presentes, são os Reis Magos no dia 6 de janeiro! No Ano Novo eles usam roupa a rigor, e mesmo na ilha que não faz frio, ninguém vai até a praia!
A noite mais linda é a do dia 23 para o dia 24 de junho, noite de São João. Aqui todo mundo vai à praia, e às 23:40 começam 20 minutos de fogos de artifício. A meia noite todo mundo entra no mar para pular ondas e sair de costas para deixar todo o ruim para trás! É uma noite mágica!

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
O sistema de serviços da Praia de Las Canteras. É uma praia bandeira azul, que é um certificado de qualidade. Tem chuveiros, banheiros, plataformas de madeira na areia, acessos para pessoas de cadeiras de roda ou com mobilidade reduzida, coleta de lixo noturna com limpeza diária da areia, programas de sensibilização ambiental para a criançada que são realizados por uma brasileira, a super Sônia, calendário de eventos, etc.
Patricia nas Ilhas Canarias

Patricia nas Ilhas Canarias

E uma coisa que pode parecer idiota, mas salva a minha vida. Ao menos em Curitiba eu nunca vi para vender é a “fregona” espanhola. Um sistema de limpeza super rápido e eficiente. Um balde com água e este esfregão. Por aqui é muito caro pagar uma diarista, é um pequeno luxo. A profissional cobra de 10 a 25 euros por hora, e a limpeza não é das mais profundas. Assim sem a “fregona” tudo seria bem mais complicado (risos) !
Aqui muita gente faz caminhadas no campo. O Brasil com tantas paisagens lindas deveria incentivar este tipo de atividade. Criando roteiros, sinalização, guias com mapas, associações, etc.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Não venham sem um visto de estudante ou mesmo de trabalho. Porque o cerco cada vez é mais forte contra a imigração ilegal, e eu não desejo esta vida para ninguém. Caso te deportem você não poderá entrar por vários anos em qualquer país da União Européia!

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
Meu blog sobre Viagens e Cultura Espanhola: http://www.turomaquia.com

Página oficial de turismo das Ilhas Canarias: http://turismodecanarias.com

Página oficial de turismo em Gran Canaria: http://www.grancanaria.com/patronato_turismo/index.php?id=276

Consulado-Geral do Brasil em Madri: http://www.consuladobrasil.es/

 

Participe… deixe seu comentário!

Anúncios

12 Respostas

  1. Oi Patrícia,
    Conheço a Espanha como turista.
    Que saudade daí!

  2. Carmem, as Canarias são pouco conhecidas dos brasileiros. Eu mesma quando vim para cá tive que ver no mapa a localização exata, e buscar informação! Mas vou te dizer que valem a pena, uma diversidade impressionante, pensa nelas na tua próxima viagem à Espanha!

  3. Querida Pati:
    Me emociona y me alegra mucho que haya podido ser una de las personas que te haya ayudado en abrirte camino en los entresijos de la bella lengua española. Esta herramienta nos ha permitido a crecer juntas como personas.
    ¡Que sigas muy bien!
    Un fuerte abrazo,
    Mesi

  4. Mesi, yo que te debo agradecer, y sepas que no tenía como contar mi historia en estas tierras sin mencionarte.
    Besos

  5. Patrícia,
    seu relato me encantou ! Sou paulista/paulistana, casada com espanhol, vivendo em São Paulo. Viajamos para a Espanha uma vez por ano, pois parte da família vive aí.
    No ano passado passamos uma semana em Lanzarote… que lugar !!! É um contraste muito alucinante e um maravilhoso exemplo do que pode ser feito para desenvolver o turismo sem acabar com tudo ao redor.
    É bom ouvir de uma brasileira que vive aí como são as coisas realmente: a questão da saúde, da qualidade de vida, da segurança, do respeito ao idoso. É isso que vejo e sinto cada vez que estou na Espanha.
    Um abraço !

  6. Oi Cecília!
    Foi você que me deixou uma pergunta no blog???
    Obrigada pelas tuas palavras! E olha só a coincidência, esta semana comço a falar de Lanzarote, porque é o cenário do novo filme do Almódovar. E você tem toda razão é uma ilha alucinante, algo totalmente diferente e único!
    Beijos

  7. […] – Patricia [entrevista] [blog pessoal]: A Espanha está sofrendo bastante com esta crise mundial, já são 3.300.000 […]

  8. […] comunidade: a Maria Lina em Paris, a Luisa em Milão, o Zé-Jet e a Débora em Burlington, a Patricia nas Canárias, a Marcie em Nova York e a Lucia Malla no […]

  9. Olá Patrícia!

    Bem espero que vc esteja bem feliz…
    Olha só, sou historiadora e estou seguindo à Portugal para desenvolver um trabalho. Pois bem, no entanto estou indo à passeio às Canárias. Gostaria que, se pudesse, você me ajudasse nos endereços (os sites de preferência) das Universidades das Canárias. Soube que há duas em Las Palmas, mas preciso do site para eu poder navegar e ter conhecimento a cerca de minha área de humanas.
    Se puderes me ajudar, será ótimo e ficarei grata.
    Meu nome é Luciene Maldonado, moro em Porto Alegre.RS, sou antropóloga e historiadora. Trabalho com desenvolvimento social humano e atuo com um grupo português na área de Cidadania.
    Aguardo seu retorno, se possível me mande por e-mail, luciene_maldonado@yahoo.com.mx.

    Um bjo no coração.

    Obrigada
    Luciene Maldonado

  10. Patrícia,

    Fantástico seu blog! Parabéns!

    Antonio Carlos (Boca Raton, FL USA)

  11. Olá.
    Gostaria de pedir para você deletar a mensagem que escrevi em seu blog. Por gentileza, deleta as duas mensagens que enviei.
    Obrigada pela compreensão.
    Luciene

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: