La Mariposa no Jardim Espanha

Larissa na EspanhaLarissa percebeu aos 15 anos que gostaria de vivênciar um vida expatriada, depois de uma viagem aos Estados Unidos. Com a facilidade de ter o passaporte europeus em mãos, durante a faculdade ela foi para Espanha e lá permaneceu. Já morou em várias cidades da Espanha e agora esta indo para o México aproveitar uma bolsa de estudos do seu último ano de graduação. Uma menina com vontade própria, batalhadora e com grandes sonhos…

– Nome:
Larissa Gil

– Onde nasceu e cresceu?
Nasci em Salvador e aos 20 anos vim estudar e morar na España.

– Em que país e cidade você mora?
Alicante, Espanha.

– Você mora sozinho ou com sua família?
Atualmente moro com minha irmã, mais sempre morei dividindo apartamento com outros estudantes, tive a oportunidade de ter varias “famílias” de vários lugares do mundo.

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Há 4 anos que moro na Espanha, morei 1 e meio ano em Santander período que trabalhei e estudei desenho gráfico, depois fui começar meus estudos universitários em Alicante, ano passado estive um ano de intercambio nacional em Pontevedra na Galicia. Morei alguns meses em Bilbao (periodo de férias da universidade; Junho, Julho e Agosto) e agora estou de volta a Alicante já cheia de expectativas e malas quase pronta para aproveitar mais uma oportunidade e vantagem de estudar aqui; vou fazer intercambio na universidad de León (México).
Larissa na Espanha

Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Não, nestes momentos estou vivenciando essas expectativas. Em Janeiro estou indo fazer meu ultimo semestre da faculdade com uma bolsa de intercâmbio no México. E agora dia 16 de novembro estou indo fazer um curso de inglês em NY com outra bolsa que obtive pelo MEC aqui da España. E quando terminar a faculdade sou aspirante para me tornar expatriada da Espanha e viver 1 ano de “expedição idiomática”, quero morar 4 meses na Itália (Roma), 4 meses na Inglaterra (Londres) e os últimos 4 meses da expedição na França (Paris).

– Qual sua idade?
25 anos

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Aos 15 anos de idade quando estive nos Estados Unidos (Florida) pela primeira vez tanto tempo fora de casa, já aflorou a vontade de viver experiências fora do Brasil, em 2004 vim com a idéia de passar apenas 3 meses pois teria que voltar para terminar a faculdade, e aí uma força chamada destino chegou e mudou tudo, com isso a decisão em dar continuidade aos meus estudos por aqui.
Larissa na Espanha

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Felizmente não, sou descendente de espanhóis e tenho dupla cidadania Européia.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Utilizo os serviços da “seguridad social”, ou seja da admistração pública, acho que funciona muito bem, não tenho queixas e em algumas áreas de especialização busco um particular. Amigas españolas do meu entorno e outras pessoas que conheço não tem seguro privado, acredito que em toda a Europa esses serviços funcionam bem. Apesar de que meu namoro utiliza o seguro privado e tenho certeza que marcar uma simples consulta acaba sendo mais burocrático para ele do que pra mim que utilizo a “seguridad social”.

Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sou estudante e bolsista, ter bolsa em uma universidade española não é só não pagar matricula, mais sim receber uma ajuda para tudo. Atualmente estou estagiando em uma empresa de comunicação, mais apesar de ser bolsista sempre conciliei os estudos com trabalho e não é fácil, muitos finais de semana são dedicados para estudar.
Meu primeiro trabalho foi como “camarera” Garçonete, digo que foi uma escola porque foi trabalhando que conseguir aperfeiçoar o idioma.
Confesso que me limitei muito devido ao idioma, depois que me aperfeiçoei, consegui melhores postos de trabalho, fui evoluindo depois de ser “camarera” eu passei a ser gerente do local mais não é fácil trabalhar com “hosteleria” porque você sempre trabalha quando todo mundo se diverte.
Comecei a trabalhar na área comercial da “Redcom”, depois trabalhei 1 ano no Carrefour onde comecei no caixa e depois finalmente trabalhei em atenção ao cliente e alguns trabalhinhos no departamento de comunicação. Benetton e Blanco foram duas lojas que também já trabalhei conciliando com os estudos. Sempre que posso faço eventos também o último faz uma semana e foi para Mallboro.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Sim, drasticamente, pois passei a exercer função de subemprego. Da mesa de um escritório para carregar uma bandeja, foi difícil aceitar, levei na esportiva e sem falar do desastre que eu era na minha nova profissão, tenho tantas anedotas nesse tempo que hoje olho para trás e vejo um filme de comédia. Graças a Deus agora as coisas estão normais e sigo exercendo algo que realmente tenho vocação e sempre gostei.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim, acredito que é imprescindível para uma boa convivência. Não cometam o erro que muitos Brasileiros comentem achando que o castelhano é parecido com o Português e que da para dar um “jeitinho”. É certo que pode ser compreendido mais acho uma falta de tempo e oportunidade você morar em um país e não se dedicar a aprender o idioma

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
Acredito que existe uma admiração pelo Brasil e por Brasileiros, mas é claro que existem algumas exceções dos mais conservadores, já algumas vezes por discriminação por ser Brasileira, e olhe que tenho dupla cidadania.
Em modo geral os Espanhóis berram por natureza, e algumas vezes é difícil se adaptar a estas situações, uma vez passei a maior vergonha em uma quitanda, tava lá escolhendo os pêssegos e a senhora começou a gritar comigo de uma maneira tão histérica que não era para eu tocar nas frutas. Agora imagine, como é que eu ia escolher e colocar na minha cesta se eu não tocasse, mágica? E olhe q eu estava com a luva, e também não estava amassando as frutas e nem nada anormal. Eles são assim mesmo, não generalizo mais existe um alto nível de estupidez no sistema nervoso dos espanhóis.

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não. Filhos só depois dos 30.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sim, demais e esses é um dos fatores que me faz pensar se vale a pena continuar aqui. É engraçado porque já imaginei seriamente alguns valores culturais e peculiaridades em caso de decidir formar uma família aqui.
Sou muito observadora e a verdade é que não consigo imaginar a infância de minha filha(o) sem dançar quadrilha, sem subir nas árvores, sem se fantasiar de baiana, Carmen Miranda, festinha sem brigadeiro, sem bagunça e coisinhas brasileiras. É claro que aqui também existem coisas bem divertidas e diferentes que no Brasil não tem, mais é diferente.
Sou baiana nata e às vezes a saudade é tanta que chego a sentir o cheiro de acarajé pelas calles (calçadas). Em relação aos produtos de alimentação hoje em dia com a globalização encontra-se quase tudo.
Larissa na Espanha

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Passeio nos parques, festas, trilhas, a Espanha possue lugares belíssimos. Aqui também existe a natureza e posso dizer que não deixa a desejar.
Meus domingos são dedicados para estudar e organizar a bagunça de toda a semana do meu quarto, é nesse dia que aproveito para dar aquela varridinha debaixo da cama, fazer comida para congelar e coisas assim. De tarde adoro sair para tomar sorvete, faça chuva ou faça sol. Também adoro passear pela praia.
E quando os brazukas se juntam é aquela bagunça que só agente sabe fazer. Tenho amigos de várias nacionalidades, não me fecho em círculos onde só existam Brasileiros, pois estaria me distanciando do meu objetivo ao sair do Brasil, que foi expansão cultural e aprender idiomas.
Foto 4 (playa de Mataleñas-Santander)

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Ainda não tenho claro, me da um pouco de medo utilizar a palavra “para sempre”. No momento estou nas expectativas do intercambio que irei fazer no México. Mais acredito que a Europa é um bom lugar para morar e vejo como um grande país cheio de possibilidades e oportunidades.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Aluguel, finalmente depois de alguns anos pagando aluguel de quarto e compartilhando apartamento com outros tantos e diferentes estudantes, hoje moro em um apartamento alugado com minha irmã. Alicante é uma cidade barata comparada com Madrid, Barcelona, Bilbao e Valencia.

– Qual o custo de vida?
Acredito que com 2.000 euros uma família de quatro pessoas pode viver bem aqui em Alicante. Isso é, se não tiver que pagar a hipoteca. Acho que o salário da Espanha é muito baixo em relação a outros países da Europa. Rezo todos os dias para não cair na lista dos mileuristas (Termo utilizado para jovens recém ou não graduados que recebem um salário de 1.000€).

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Posso resumir os pontos positivos em qualidade de vida, por diversos fatores tais como: Saúde Pública, educação e segurança. Quer mais o que? Em outras palavras na espanha se vive bem e no verão é melhor ainda pelo pôr do sol as 21:30? Comida boa e relativamente barata em relação ao Brasil, gente simpática e Alegre. Porque os espanhois assim como nós, adoram celebrar a vida. Aqui encontrei a Bahia Europeia, acredito que a Espanha é o país mais alegre da Europa e depois vem a Italia.
O bom também de morar na Espanha é que possuimos quatro estações bem definida, ao contrario do Brasil. (acostumada a uma unica estação chamada verão, foi dificil me adaptar que isso se resumiria a três unicos meses, Me adaptei e posso dizer que é maravilhoso viver as quatros estações do ano).

Pontos Negativos: salários baixos, discriminação contra estrangeiros, os jovens bebem, fumam e utilizam muitas drogas, é dificl encontrar amigos por aqui sanos. Burocracia as vezes penso que aqui é pior que o Brasil e a informalidade chega a superar a fama de todos os baianos. No mais uma coisa que me icomoda e tenho certeza que muita gente se queixa do mesmo é da comida gordurosa, os espanhóis AMAM azeite de oliva, já devo ter consumido alguns quantos litros entre paellas, tortillas e tapas. Fora de mim falar mal da gastronomia española, amo! mais o execesso de azeite não favorece a convivencia, as batatas fritas aqui sao servidas em uma pouça de azeite.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
A preguiça assumida española; “la siesta”. Como podem interromper uma jornada de trabalho para dedicar duas horas para dormir? Acho a siesta um fenômeno social muito interessante, eles encaram com a maior naturalidade. É claro que algumas tantas empresas multinacionais não aderiram a moda espanhola e outras quantas para melhorar a lucratividade tiveram que cortar essa retribuição de energias para o resto da jornada.
Outro ponto é o pensamento nacionalista que possuem os Espanhóis, tive a oportunidades de morar em quatro estados diferentes e todos querem se tornar independentes. Não entra na minha cabeça que um país do tamanho da Bahia possa gerar esse pensamento nas pessoas, só fui capaz de respeitar (não compreender), depois de estudar bastante a história da Espanha.
As festas gastronômicas também me encantam como já disse antes, aqui também tudo é motivo de festa. Existe a festa do feijão branco, preto, marrom, tomate e por ai vai, enquanto houver comida haverá sempre um bom motivo para celebrar, isso também só fui entender depois de conhecer sua história.
Larissa na Espanha

– O país que você reside tem alguma coisa que é usado no dia a dia que você acha que seria interessante ser implementado no Brasil?
Sistema de segurança pública, educação e saúde.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Venham preparados com o idioma e todas as questões legais resolvidas, seja o visto de trabalho ou estudos. Atualmente está muito difícil a vida aqui na Europa para os clandestinos, devido as novas regras da união européia e a crise, a Espanha no momento não está liberando visto de trabalho como antes.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?

Meu blog: http://www.eljardindelamariposa.blogspot.com/, nele você encontrará minhas experiências e opiniões sobre diversos temas e aspectos da Espanha,

– Espanha completa, tudo e um pouco mais você encontra aqui: http://www.la-moncloa.es/default.htm

Para os que vem estudar: http://www.mepsyd.es/index-mec.html

Para os que vem nos visitar: http://www.spain.info/

Para os curiosos que querem saber o que acontece por aqui: http://www.elpais.com

E para todos que já estão aqui buscam a página do ayutamiento da sua cidade, lá você encontrara muitas informações legais tais como: atividades culturais, cursos, concursos e muito mais.

Advertisements

8 Respostas

  1. Larissa muito interessante sua entrevista, acredito que o melhor investimento que podemos nos dar e dar aos nossos filhos e a oportunidade de viajar e vivenciar outras culturas. Eh fascinante como culturas sao tao diferentes e ao mesmo tempo tao iguais. Aproveite muito suas viajens, muito sucesso! Parabens pela entrevista!

  2. Parabéns pela entrevista e sucesso!
    um abraço
    Márcia

  3. eu so decedente de esanhol ai eu to eu duvida eu tenho um paraente morando na espanha barcelona ele tah la ah 10 anos eu se eu for pra espanha é mais facil eu coseguir um visto de trabalho??

    ps: sua entrevista foi otima

    ameii!!

  4. Adorei sua entrevista, seu blog também esta de parabéns.
    Um abraço e sucesso!
    Mônica

  5. Menina você é batalhadora e merece todo sucesso.Parabéns e também é linda.
    Adorei sua entrevista e em relação aos cuidados dos jovens nessa era de globalização evitando o consumo de drogas e bebidas…isso é maturidade.Valeu!!!

  6. Oi,
    Adorei sua entrevista, parabéns!!
    Mas, seu blog está fora do ar?

    Um abraço

    Fernanda

  7. Ola,
    gostei muito da sua entrevista. Parabens!!
    eu tenho a cidadania alemã e tenho vontade de morar um tempo na espanha para trabalhar…
    Gostaria de saber se eh possivel trabalhar na espanha com o passaporte alemão, se eu teria dificuldades para conseguir um trabalho, eu falo espanhol e ingles.
    Muito obrigado pela atencão!
    Tudo de bom pra vc. Sucesso!!

  8. Larissa adorei a sua entrevista! sera que teria como vc me indicar lugar pra alugar ou dividir apartamento em uma boa localização tanto perto do centro e da universidade de Alicante, sei la algum site ou alguma forma de contato? estou indo este mes estudar la na universidad. E estou a procura de lugar pra morar.

    Muito Obrigada.
    Camila

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: