Na Índia, tentando encontrar ordem no caos

Na India com RodrigoVocê já pensou em fazer um mestrado da Índia? Muitos não sabem, mas esse país se destaca no setor de Tecnologia da Informação (TI) e exporta tecnologia e mão-de-obra qualificada para o mundo todo. Ricardo não pensou duas vezes, se inscreveu e depois de aprovado para o mestrado, embarcou para a Índia em Julho de 2007.
Na sua entrevista ele nos conta como é viver em um país de história e cultura milenar, mas que ao mesmo tempo, aos olhos de um estrangeiro tudo pode parecer um caos…

– Nome:
Ricardo Lage

– Em que país e cidade você mora?
Bangalore, Índia

– Você mora sozinho ou com sua família?
Sozinho

– Há quanto tempo você reside nesse local?
Desde julho de 2007, pouco mais de 1 ano pois.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Sim, morei 1 ano em Oulu, cidade no norte da Finlândia, em 2002. Aquela ida à Finlândia foi minha primeira viagem ao exterior. Conto os detalhes aqui.

– Qual sua idade?
27 anos

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Gostei muito da experiência na Finlândia. O contato com novas culturas e diferentes visões de mundo passou a possuir valor inestimável para mim. Desde que retornei, já pensava em fazer meu mestrado no exterior. Em 2006, enquanto estudava os possíveis destinos, um de meus professores recomendou a Índia, país que se destaca no setor de Tecnologia da Informação desde a década de 1990.

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Não, uma vez aprovado no programa de mestrado, eu estudo no IIIT-B, o processo é bem simples e rápido. Enviei a documentação necessária à Embaixada da Índia no Brasil e em menos de 10 dias estava com meu visto pronto.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Fiz apenas para os primeiros meses, por segurança. Depois descobri as boas farmácias e os bons hospitais próximos de onde moro e vi que não era mais necessário. O preço não é alto. É preciso cautela, entretanto, quanto aos hospitais a recorrer. Eu perguntei a um bocado de Indianos sobre as melhores opções antes de definir as minhas.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Não trabalho aqui, faço um mestrado e tenho bolsa para tal. Entretanto, trabalho na área de Tecnologia da Informação é muito fácil de conseguir para profissionais qualificados. A renda varia de Rs. 30.000 (rúpias) podendo chegar até a mais de Rs. 100.000, o que hoje equivale a algo entre R$ 1.500,00 e R$ 5.000,00.

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Falo muito pouco do Kannada, uma das línguas mais populares no sul da Índia. Tento sempre que possível aprender a língua local e acho que não só aqui na Índia mas em qualquer país o gesto é muito apreciado. A língua é difícil de ler por conta do alfabeto diferente do nosso. Entretanto, suas regras se assemelham um pouco ao inglês. O problema é que a Índia sofre com suas centenas de línguas e acabo fazendo pouco uso do aprendizado.
No total, 24 línguas são faladas por mais de 1 milhão de indianos e 114 por mais de 10 mil (http://en.wikipedia.org/wiki/Languages_of_India ). O Google Indiano, aliás, ostenta em sua página inicial opções de busca em 5 diferentes línguas além do inglês. Aprecie os diferentes caracteres de cada uma delas aqui.

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
As diferenças de uma região para outra na Índia são muito grandes para qualquer generalização. Há grandes variações do interior para as grandes cidades, e de regiões no norte da Índia para regiões no sul. As atitudes dos Indianos também variam muito de acordo com a religião e até mesmo de acordo com a posição de cada indivíduo numa mesma religião.
Dá para dizer entretanto que nas regiões turísticas há muito pouco respeito por parte dos Indianos para com qualquer estrangeiro. O interesse deles é apenas financeiro e a insistência para que você compre algo ou aceite alguma recomendação de hotel ou restaurante é muito irritante.
Lidar com os motoristas de auto-riquixás também é uma experiência à parte. Em geral eles são muito mal educados, fazem questão de tentar te enganar cobrando bem mais que o devido (principalmente se for estrangeiro), e pouco se importam com as regras de trânsito. Falo deles e do trânsito caótico da Índia aqui.
Há um outro lado, claro. Tenho grandes amigos Indianos e sei que são de boa índole. Os Indianos podem ser extremamente amigáveis, prestativos e interessados nas experiências dos estrangeiros. Posso dizer que senti isto mais no sul do que no norte do país. Com meus amigos fiz várias viagens, ficando até hospedado na casa de alguns deles, tomando banho de balde, comendo com a mão direita (nada de talheres) e utilizando privadas embutidas no piso (Mas usei papel higiênico! Não é algo comum aqui então sempre carrego o meu).
Na India com Rodrigo

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Não

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sinto, muita. Os amigos e familiares fazem mais falta ainda em datas festivas. Supero esta dificuldade ocupando o máximo possível do meu tempo. Praticamente não paro.
Sobre a comida, também faz falta o tradicional feijão com arroz, além da carne de boi (que não é servida na maioria dos restaurantes por conta da religião), e de outros pratos de cozinhas ocidentais (italiana principalmente).
A cozinha indiana é bem específica, e varia muito de uma região para outra. As mais conhecidas no ocidente são bem apimentadas (quase ultrapassando os meus limites de tolerância) e ricas em molho curry, por demais condimentado.

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Viajo bastante. Conheço já várias regiões do país como Delhi e Agra, algumas cidades nos belos estados de Kerala e Goa, e parques nacionais e reservas ambientais próximas daqui de Bangalore. Por quase toda Índia existem importantes monumentos históricos e gosto muito de visitá-los. Próximo de Bangalore as cidades de Mysore e Hampi são imperdíveis.
Nos finais de semana costumo geralmente sair com os amigos. Vamos a algum bar ou restaurante no centro. Sempre que possível (e em Inglês), vou a concertos e peças de teatro, embora esta última tenha me decepcionado um pouco. A música clássica Indiana, entretanto, é belíssima.
Na India com Rodrigo

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Ainda não tenho planos, estou no meio do mestrado e concentrado exclusivamente nele.

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Moro numa residência do próprio instituto onde estudo e tenho bolsa para cobrir as despesas.

– Qual o custo de vida?
A Índia ainda é um país de mão-de-obra muito barata. Foi este um dos motivos para o crescimento da indústria de Tecnologia da Informação no país, por exemplo. Principalmente por este motivo, o custo de vida ainda não é alto embora dependa muito do padrão desejado.
Para uma família de 4 pessoas, morando em um apartamento de 2 quartos em um bairro bem cuidado e seguro de Bangalore, o custo total ficaria em pelo menos Rs. 40.000,00/mês (algo em torno de R$ 2.000,00/mês).

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Esta pergunta daria um livro. Em termos práticos, listando os 5 principais pontos positivos e negativos, eu diria que de positivo estão a qualidade de ensino do instituto onde me encontro; a rica cultura do país, completamente diferente da nossa; o custo de vida baixo; as ótimas opções de turismo; e o calor humano de parte de seu povo.
O último ítem entra como coringa e também se aplica como ponto de negativo. Parte do seu povo é extremamente desagradável e egoísta e é preciso cautela em locais movimentados e turísticos. Também entram na lista de pontos negativos o trânsito e a poluição insuportáveis dos grandes centros; as dificuldades com as línguas locais; e a falta de infraestrutura do país (eletricidade, saneamento, telefone, Internet, etc. são todos precários).
Não considero violência um problema tão grave assim, mesmo com os recentes atentados terroristas. Apesar de todo alarde, eles estão é diminuindo: Em 2007 foram mais de 2.500 mortes e este ano até agora perto de 500. A violência em geral também é baixa se considerarmos o total de habitantes do país.

46.660 foi o número de assassinatos no Brasil em 2006 e 32.719 foi o número Indiano. Se dividirmos isto pelo total da população, temos aproximadament 0,23 assassinatos para cada 1000 habitantes no Brasil e ínfimos 0,02 assassinatos para cada 1000 habitantes na Índia. Mesmo se duplicarmos o número Indiano (reconhecidamente subestimado dada a corrupção da polícia), o número por 1000 habitantes continua muito menor.

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Logo que cheguei, alguns hábitos dos Indianos chamaram logo a atenção. O balançar típico da cabeça, o fato de não se importarem em urinar em público, o descompromisso com o horário, dentre outros (mais aqui: http://laedevolta.com.br/blog/2007/08/23/mas-que-diabos )
Há muita coisa que aos poucos vai-se descobrindo morando na Índia e é impossível estar preparado para tudo. Poucos meses atrás fiquei sabendo que existe um grupo aqui denominado “Hijra“, considerado um terceiro sexo. Não se trata exatamente de homossexuais mas de homens ou intersexuais (algumas vezes eunucos) vestidos de mulheres e considerados abençoados. Há um bocado de diferenças entras as práticas e costumes deste grupo (um bocado de preconceito e intolerância também) mas em geral, o mais comum é encontrá-los nas ruas de grandes centros se propondo a abençoar homens em troca de dinheiro. O abençoado, neste caso, é o órgão sexual e se o sujeito se recusa a dar o dinheiro corre o risco de ser amaldiçoado.
Os hábitos das diferentes religiões também impressionam. Existe uma, o Zoroastrismo, onde os mortos não são exatamente enterrados. Ao contrário, eles são colocados no topo de torres denominadas Torres do Silêncio até que urubus e o próprio tempo consumam o corpo. Eles acreditam que a alma deixa o corpo por completo após alguns dias então o mesmo não passa de uma casca vazia descartável.
Mais curiosidades também são relatadas no blog de um amigo.

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Na Índia cautela nunca é demais. Na chegada sugiro combinar com alguém para esperar no aeroporto. Certamente ameniza o choque de lidar com riquixás no primeiro dia. Também evite conversar com estranhos e não acredite no papo de que o aeroporto ou seu hotel estão fechados por uma ameaça qualquer. Na grande maioria dos casos é golpe.
Ao andar de taxi/riquixá pergunte sempre a alguém antes o preço médio do trajeto para evitar abusos. Pouquíssimos motoristas usam o taxímetro. O mesmo vale nas lojas de artesanato e de roupas típicas, com o risco adicional de o produto ser falso. Por isto, procure lojas com selos de reconhecimento do governo ou recomendada por pessoas de confiança.
Também não vá a locais públicos entupidos de gente, principalmente no norte do país: Embora seja pequena, a ameaça de bombas é bem maior nestes locais. Finalmente, beba apenas água mineral e evite a todo custo comida servida na rua e/ou crua. Seu estômago agradecerá.
Fora isto, repito aqui uma dica que recebi de 2002 de um grande amigo e que carrego sempre comigo: “em terras estrangeiras, abra bastante os olhos, o nariz, os ouvidos. Mantenha, tanto quanto possível, a boca fechada. Assim você aprenderá mais.” Vale para qualquer país.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
– Para interessados em ler mais sobre a Índia e outros destinos que visitei ou morei, recomendo meu blog (esse blog eu escrevo com meu irmão atualmente morando na Dinamarca): http://www.laedevolta.com.br/blog/

– Também escrevi um post no blog do Pedro Dória com uma visão geral do país em termos sócio-econômicos.

– Para ainda mais sobre a Índia, recomendo os blogs: Indi(a)gestão (da Profa. Sandra Bose, moradora do país desde 1999) e o Um Mineiro na Índia (blog de um amigo, brasileiro, também morador de Bangalore).

Advertisements

16 Respostas

  1. Legal! Gostei muito do relato. Boa sorte por ai. 🙂

  2. Esta foi uma das entrevistas mais interesantes que ja li. Parabens e boa sorte!

  3. Muito legal, falou da realidade, não só das flores e cheiros !

  4. Muito obrigado aos dois pelos comentários! Gostei muito de ter escrevido o relato e ter compartilhado um pouco da minha experiência vivendo aqui.

    Abraços!

  5. […] Leia mais direto na fonte: expatriados.wordpress.com […]

  6. Adorei sua entrevista, informativa, bem escrita e bem humorada. Adorei a dica do “Mineiro na Índia”, vou já lá visitar o blog do seu amigo. Sucesso!!!

  7. […] uma entrevista para o blog Expatriados esta semana. Para os interessados, falo um pouco da vida aqui, […]

  8. […] Na Índia, tentando encontrar ordem no caos Você já pensou em fazer um mestrado da Índia? Muitos não sabem, mas esse país se destaca no setor de Tecnologia da […] […]

  9. Já encontrou ordem por aqui? Moro em Bangalore junto com minha esposa desde jun/2008 e desisti de procurar já a algum tempo! 😉
    Também temos um blog! http://www.perdidosnaindia.com

  10. […] – Ricardo [entrevista] [blog pessoal]: Do ponto de vista analítico, encaro a crise como um mal provocado pela ganância […]

  11. Deus te abençoe, nessa Jornada! Supere todas as dificuldades,seja sempre assim (SINCERO).
    Gostei muito do seu relato ( viageii, me senti na Índia)

  12. Oii, tudo bem? Li seus artigos, estão ótimos.
    Melhor ainda a sua experiência na India, eu suponho.
    Quem me dera!!!
    Bem, estou te escrevendo,porque na realidade, pretendo convidar você para conhecer meu novo perfil no orkut, que tem o seguinte endereço:
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=pv&uid=11145375613577867404 ou vc tecla you still have all… of me… me… me… (que vai me encontrar)
    Nesse profile,você encontrará informações sobre a India que desejo repassar para uma nova comunidade que criei.
    A comunidade já possui alguns tópicos sobre mantra, festividades, deuses, alimentação e outros, que eu gostaria que fosse lido e analisado por vc quanto a qualidade, veracidade e real importancia.
    Isso porque você ESTÁ na India e eu, somente em sonhos ha ha ha
    Bem, o nome da comunidade é Sanatana-dharma ou “O Caminho Eterno da Conduta”.
    O endereço é http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?rl=cpp&cmm=54861776 ou vc tecla Sanatana-dharma, que logo encontrará.
    A idéia surgiu do carinho que sinto pelos amigos indianos e do desejo de conhecer a India…
    Alguns moram em agra,varanasi,mumbai, mas os mais próximos moram em lucknow.
    Nos comunicamos pelo orkut e msn.
    Quanto a comunidade, gostaria que você lesse os tópicos e me ajudasse a torná-la mais interessante, e essencialmente interativa, para que não se torne chata, por ser apenas informativa, vai ficar extremamente cansativa.
    Bem, depois de tudo prontinho, vou convidar os friends indianos e também aos amigos virtuais brasileiros.
    Para tal fim, gostaria de sua colaboração.
    E ai? Aceita o convite?
    Também pode me informar um caminho mais próximo a você, pra que a gente troque idéias??
    Pode ser orkut, msn, email.
    PS: retorne-me brevemente, pelo sim ou pelo não, mas retorne-me!
    Agradeço antecipadamente e desejo Boa Sorte na caminhada.

    Maryfran

    Beijossssss
    Namaste!

  13. Ola, moro no Brasil e aoro o artesanato indiano, principalmente os pratos decorados.
    Vomos fazer umas trocas, pratos por arros e feijão, ou farinha, lembra daquela farofa????
    Escreva para mim e vamos trocar pelo menos papo furado.

  14. estou planejando uma viagem a índia para 2010. Sempre viajei só e fiz amigos onde cheguei, mas nunca fui a um lugar tão diferente quanto a índia. Estou com saudades de levar esse choque cultural novamente. 🙂 Só fico triste com o tema da lingua, em não aprender nada ou ao menos não me servir nem aí dentro do país.

    bom, sei que muitos potenciais viajantes vão ler esse post, então, meu contato é fernandes_pablo no hotmail (escrevo assim para não ser capturado robôs spammers. Mande um e-mail e vamos combinar de ir juntos. Estou pensando em New Delhi.

  15. Estou indo a Índia e gostaria de saber se existe um lugar especifico aonde posso encontrar Brasileiros e um bom Hotel….

  16. Saudações e obrigado pelo Blog. Estou indo morar ai e gostaria de levar a cultura brasileira através de produtos e serviços. Se tiver interesse em ajudar, gostaria de publicar no Blog um questionário rápido procurando saber o que os Brasileiros residentes na Índia mais sentem falta em termos de cultura e produtos.
    Gratidão. José Pedro Zereu contato@espacojaya.com;

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: