Um refúgio seguro… apesar de ser tao longe do mar do meu Brasil…

Edy na Austria Edy, casada, mãe de quatro filhos, resolveu morar na Austria por questao de segurança para os filhos. Com um marido austriaco e após viver seis anos no Brasil onde possuia uma escola de inglês, esta potiguar que já havia vivido muitos anos nos Estados Unidos, viu que a segunda chance dada ao país natal não estava funcionando… “ter que olhar por cima dos ombros a cada vez que se leva os filhos ao Ibirapuera, nao é fácil! É estresse puro!” No entanto não teria ido sem a segurança do visto…
Leia mais

– Nome:
Edy

– Onde nasceu e cresceu?
Natal, RN, mas passei a maior parte da adolescencia em Sao Paulo e depois nos Estados Unidos; vivi depois no Brasil de 94 a 2000.

– Em que país e cidade você mora?
Austria próximo a Graz
– Você mora sozinho ou com sua família?
Moro com minha família, marido (que é daqui) e quatro filhos (sendo duas americanas, um brasileiro e uma austriaca).

– Há quanto tempo você reside nesse local?
6 anos.

– Já residiu em outro(s) país(es) antes dessa experiência?
Sim, nos Estados Unidos, e antes de vir pra cá um ano e meio na Alemanha.

– Qual sua idade?
38

– Quando surgiu a idéia de residir no exterior?
Na adolescencia, sempre quis viajar e aprender línguas, em uma viagem para os Estados Unidos conheci meu marido e depois disso tentei morar no Brasil por um tempo, mas nao deu, acabei vindo pro outro lado do mundo…

– Foi difícil conseguir o visto de residência ou o visto de trabalho?
Nao, por que sou casada legalmente com cidadao austríaco.

– Você tem seguro saúde? Foi difícil obtê-lo antes ou depois da sua chegada?
Sim tenho. Nao foi difícil por que o sistema de saúde na Austria é igual pra todo mundo, sistema social. Adquirido quando se está morando aqui legalmente, seja como estudante, au pair ou por parentesco.

– Você trabalha? Como a renda familiar é obtida?
Sim trabalho, sou professora de ingles. Nao tive dificuldade em conseguir emprego, antes disso já havia tido uma escola no Brasil por seis anos. Além de ser mae tempo integral, tambem escrevo para meu proprio site e outros sites na internet sobre educaçao e relacionamentos.

– Se a resposta anterior foi sim, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor?
Mudei, antes de sair do Brasil eu era apenas estudante e fazia alguns bicos com fotografia, como modelo ou produçao de eventos

– Você fala a língua local? Você acredita que é importante aprender a língua local?
Sim falo, embora nao 100%, “me faço compreendida”. O alemao é uma língua difícil pra nós brasileiros, tenho mais facilidade por que falo ingles. Acho que é fundamental aprender a língua local o quanto antes, sem isso nao se pode aprender nada cultural, vivenciar momentos, participar de eventos (ativamente) e principalmente educar os filhos adquiridos (nem mesmo receber visitas do estrangeiro e mostrar o novo lar), sem conhecimento e condiçoes de se comunicar nao é fácil e muitas vezes a pessoa se desanima, se deprime e começa a nao valorizar o que tem em volta…
De qualquer forma na Estiria o “steirisch” nao é muito parecido com o alemao de escola… muito mais difícil, mas ninguém te cobra ou tira sarro se voce fala errado, nem finge que nao entendeu. Eles tentam te ajudar!

– O que você pensa sobre seu novo país e o local onde mora (e/ou onde morou)? Eles respeitam os Brasileiros e outros expatriados vivendo nesse país?
-Acho que a Austria ainda é criança em termos de receber e acolher expatriados. Eles tem muito o que aprender…Mas eles, por que é imposto pela sociedade e por motivos históricos: sao obrigados às vezes a engolir muito sapo de estrangeiros… que às vezes tentam “mudar” a forma de ser dos austriacos e impor seus pontos-de-vista… Quando isso acontece, os austriacos mostram, sem sombra de dúvida, que prefeririam que voce só estivésse aqui a passeio… sabe como é, país pequeno, pouca oferta de trabalho…costumes tradicionais… quem é visita aqui é voce, nao eles!
É sem dúvida um país maravilhoso, sem catastrofes naturais, cidades limpas, pessoas (geralmente) educadas e um sistema social muito eficiente. Mas eu recomendaria que o indivíduo viésse para cá com um compromisso financeiro e condicoes definidas: uma oferta de emprego, uma bolsa de estudo ou um casamento…

– Você tem filhos? Se sim, eles se adaptaram ao novo país? Estudam e têm amigos locais?
Sim, tenho 4. Eles se adaptaram muito bem a vida aqui. Estudam e tem muitos amigos.

– Sente saudades da família no Brasil? Sente falta de produtos, alimentos e outras peculiaridades?
Sim, sinto muita saudade de minha família e alguns amigos.
Também de lugares no Brasil…praia, parques, clubes, restaurantes, teatros, ruas…
Quanto a comida, sinto falta de alguns produtos mas sempre é possível comprar semelhantes ou mesmo artigos importados aqui de revendedores que se encontram em mercados variados, às vezes até através de chineses ou turcos…

– O que costuma fazer nas horas vagas, finais de semana e feriados? Quais as atividades recreacionais existentes?
Se faz muita disco-Brasil aqui, mas isso é mais para os solteiros…
Tem muito brasileiro aqui que acha que é artista e se passa por artista: dancarino, cantor, pagodeiro, e muitos, mas muitos capoeiristas, mesmo que às vezes no Brasil faziam algo bem diferente… Com execoes, é claro! (Temos sim também, muitos profissioais de verdade aqui!)
Mas a maioria é casada com austriaco(a) e as pessoas se adaptam a vida aqui, celebrando de vez em quando juntos as festas de aniversário, etc… bem no estilo brasileiro. Tem sempre aquela que sabe fazer coxinha, bolo e decoracao como fazemos lá no Brasil…
Eu por outro lado, nao sei esquiar, portanto para mim o inverno é mais “caseiro”, mas como tenho filhos, passeamos muito pelos inúmeros parques e montanhas durante todo o resto do ano. O país é bem pequeno, por isso é fácil ir de um lado a outro e ver locais de enorme valor cultural e histórico.
Minha vida por ter filhos de nacionalidades diferentes e nao só austriaca, é mais “complicada”, por que preciso também viver as outras culturas e interesses dos meus filhos e da vida anterior que eu havia adquirido…

– Você tem planos para o futuro? Pretende viver nesse país para sempre?
Minha casa é muito confortável, viverei aqui por muito tempo e nao tenho intençao de vende-la jamais, ou seja, vou provavelmente envelhecer aqui… mas pretendo viver fora ainda por alguns anos por questoes escolares e para que meus filhos mais novos possam aprender portugues. Talvez vá morar no Brasil por alguns anos daqui a algum tempo…

– Você comprou ou alugou o local que reside? Quanto pagou ou paga por isso? Comprar imóveis é algo comum nesse país?
Minha casa é própria, e ela é muito cara, principalmente depois das reformas que fizemos… Custa em torno de meio milhao de euros e tem 25 comodos.
Aluguel aqui também é caro. Para uma casa como a minha certamente de 4 a 5 mil euros por mes no mínimo…

– Qual o custo de vida?
No mínimo dois mil e quinhentos euros por mes, se nao se fizer este valor aqui voce está vivendo abaixo da média…

– Quais os pontos positivos e negativos de morar nesse país?
Negativo: Educacao em primeiro lugar! o sistema escolar é antiquado e muito ruim. Muito longo, muitos professores idosos, falta de organizacao, uniforme, métodos, etc…
Em contra partida:
Positivo: Seguranca em primeiro lugar! Ainda se pode dormir com janelas abertas e chave no contato do carro em pequenas cidades. E em cidades grandes ficar no ponto de onibus ou trem à noite sem temer ser violentado, assaltado ou queimado vivo…

– Qual a curiosidade que mais te chama a atenção nesse país?
Apesar do turismo, ainda se fecha tudo aqui aos sábados às cinco horas da tarde e nada abre aos domingos. Além disso, em pequenas cidades uma sirene toca ao meio-dia do sábado pra indicar o final dos barulhos altos e silencio obrigatorio para que algumas pessoas descansem…(início do fim-de-semana!)

– Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver nesse país?
Nao tente burglar o sistema. Nao tente dar “jeitinho”…
Dirija com cuidado: a carteira de motorista é cara, perder uma é um problema grave. Se nao tiver uma nao deixe pra fazer aqui: já traga a sua e a traduza nos primeiros seis meses que estiver morando aqui.

– Você gostaria de recomendar algum web site ou blog relacionado à esse país?
www.skreinig.com (em ingles)

Participe… Deixe seu comentário!!!

 

Anúncios

57 Respostas

  1. Edy, legal sua entrevista 🙂
    Qtos anos seus filhos tem?
    Um bjão

  2. Obrigada.
    Foi um prazer ter sido entrevistada.
    Meus filhos tem 16, 14, 10 e 5 anos de idade.
    Um beijo pra voce também!

  3. Edy! maravilhoso o seu artigo! é muito bom ter
    pessoas que saibam se expressar tao bem quanto voce e ajudar tantas pessoas que ao ler seu artigo possam refletir . Beijos Rosana!

  4. Edy, parabéns!
    Adorei a entrevista.
    Bjos Ana.

  5. Parabéns, sinto orgulho de ler esse artigo, e saber que além de batalhadora, vc é muito humana, no sentido de se dispor a ajudar o próximo.bjs e até breve.

  6. É muito bom poder causar alguma impressao positiva.
    Fico muito feliz que possa ter ajudado.
    A Austria é realmente um país muito bom, apesar das diferencas do maravilhoso Brasil.
    Gosto de dizer que “moro” aqui mas “vivo” lá… e uma hora destas, como já disse, vou fazer isto mesmo…rs
    Por enquanto é seguir adiante, afinal, é com amor e muita dedicacao que uma casa vira um lar!
    Beijos
    Edy

  7. Se eu pudesse ser aproveitado no Ministério Público da Áustria, me mudava para lá hoje mesmo, mas como não posso, fico aqui por Mossoró, mas que dá uma ânsia de viajar, lendo a sua entrevista, isso dá. Só a questão da segurança seria tudo para trocar. Parabéns pela sua adapatação, aliás, um grande sinal de inteligência. viver bem é isso, adaptar-se e colher o que há de melhor.
    armando ribeiro

  8. Oi Edy !
    Adorei! É sempre bom ter notícias…
    Beijos,
    Carla

  9. Parabéns!
    fico feliz por vcs, e a saudade é tanta…bjs

  10. Atendendo a um pedido especial, aqui vai mais uma dica:
    Se voce nao teve a oportunidade de estudar quando morava no Brasil, presentei-se com um “volta às aulas”!!! A Austria oferece cursos de vários tipos (muitos de graca ou bem em conta) para pessoas que nao tiveram a oportunidade de estudar no seu país de origem. Colocacao no mercado de trabalho, e o aprender da língua local óbviamente seguem o auxílio dado pelo AMS – órgao do governo para desempregados, em todas as cidades tem um!
    Abracos a todos,
    Edy

  11. Ainda, respondendo a alguns e-mails que tenho recebido:
    Nao, nao é minha visao que o Brasil seja um país completamente “sem seguranca”.
    É um lugar lindo e maravilhoso mas que custa muito caro pra se ter um estilo de vida simples e comum como se tem (e se pode ter) em outros lugares onde cada pessoa é valorizada pelo que faz, independente de seu status financeiro e ainda em um lugar onde todos tenham as mesmas oportunidades garantidas por um governo estável. Um povo justo e que preza valores éticos e morais.
    Moro fora do Brasil hoje por que acho que certos riscos nao valem a pena e que a vida de uma pessoa é muito valiosa pra ser perdida por causa de um relógio de plástico ou um celular…
    Infelismente nos falta no Brasil algo a mais, um berco de respeito e instrucoes (de casa) de como se comportar e se aceitar para que possamos nos tornar (fora de casa) cidadaos merecedores do título de “patriota”…

    • Cara Edy! encontrei por acaso, moro a 17 anos tambem aqui e penso exatamente como você, foi uma rerportagem bem feita ficaria feliz se pudessemos ficar em contato, tambe sou do Rn

  12. Nossa, pelo visto voce só tem coisas ruins pra falar do Brasil… E eu me identifico.
    Moro nos Estados Unidos a muitos anos e me envergonho de dizer que sou brasileira pois todo mundo sempre parece ter coisas ruins para falar do Brazil. Nao tenho coragem de levar meus filhos e marido para o Brazil. Tenho medo de violencia e tenho e pena da pobreza que lá só parece aumentar…
    Parabéns.

    • OI, Helena e Edy, olha eu nasci no Brasil sou paulista, descendo de italianos e espanhois, moro a 6 anos na Italia, tenho vontade de morar ou na Austria ou Suica, sou casada a 20 anos (Casei no Brasil), nao tenho filhos.
      O que eu quero falar e que a gente tem no Brasil todas as maravilhas que um pais pode ter, o brasileiro e o povo mais simpatico e alegre do mundo, a mulher brasileira foi eleita a mulher mais bonita do mundo etc…, so que vamos ser realistas e impossivel se viver la, pelo perigo o custo de vida insuportavel e sem qualidade nenhuma de vida.
      Eu e meu marido vivemos muito bem aqui em Milao, a Italia e belissima segura, apesar do pais estar passando um periodo de crise.
      Obrigada Edy pelas dicas muito uteis, e se for da vontade de Deus mudaremos para Austria, eu acho linda…
      bjs.

  13. Helena,
    Sinto se passei a impressao de que eu „nao confio ou gosto do Brasil“…
    De fato, seu comentário me fez, de certa forma, ficar preocupada com o que algumas pessoas possam pensar e que conclusoes possam tomar.
    Quando eu era mais nova eu tinha uma idéia diferente de cultura e “estilo de vida” em outros países em comparando com o nosso. Sempre achava “melhor” o “novo”, o “recente adquirido”, vivendo ou visitando um outro país, especialmente quando fui para os Estados Unidos.
    Às vezes eu também me sentia “um peixe fora d’água” e noutras vezes tinha um pouco de vergonha de ser “de onde” eu era, de ser uma brasileira… Afinal, em cada conversa sobre o Brasil eu ouvia as pessoas dizerem que éramos um “terceiro mundo” ou ainda que criminalidade corre solta por lá, além dos maliciosos sorrisos quando falavam do nosso governo e seu histórico de corrupçao.
    Era um contraste triste e me deixava mesmo sentida e eu evitava comentar detalhes, guardando minha alegria de me “mostrar” brasileira para jogos da copa ou eventos onde tinhamos uma representaçao brasileira quando eu, de remorso, chorava (ainda choro!) ao ouvir nosso hino cantado…
    E foi daí que tirei a conclusao que, é mesmo difícil se adaptar a morar no Brasil de hoje com pessoas (marido e filhos) com quem vivemos em outros países, outras realidades e modos de vida.
    Mas nem por isso deixa de ser válida a tentativa de viver lá, e visitar sim, com frequencia! Nem que seja por um período e mostrar aos nossos filhos e maridos que o povo brasileiro é um povo lutador à seu modo. E é um povo fantástico!
    Falar pra eles que nós temos o melhor humor do mundo, que nós somos pioneiros em “sobreviver” as adversidades e muitas coisas sem ter que com isso “explorar” as riquezas dos outros…
    Que nós somos um povo limpo em contraste com muito europeu que nao sabe o que é banho…
    Que nossa alimentaçao é farta e que de fato, no Brasil temos um leque de oportunidades e somos incansáveis em inovar!
    Apresente nosso país a seu marido e filhos com orgulho!
    Do sul – sudeste do país onde temos estadios homéricos e avenidas arborizadas, algumas com sete pistas em uma direçao (esta impressiona mesmo, na entrada de Sao Paulo, saindo do aeroporto…) sem contar que se “voa” mais de dois minutos sobre arranha-céus que sao (nao os mais altos mas nem por isso, menos importantes…) e todos os melhores e maiores bancos do mundo estao lá!.
    Temos avenidas bem pavimentadas sim! E claro, temos problemas como todos os outros grandes países tem também! Mas nada que nos envergonha ou deva envergonhar. O “segredo” é estar consciente de se estar dando o melhor de si, e nosso povo quando junto e, lutando por um objetivo, podem e vao chegar muito, mas muito longe!
    O Brasil como diz a música, é o país do futuro!
    Ah sim, acabamos de achar outros novos poços de petróleo, estamos entre os maiores produtores do mundo!
    Oops… Temos agora é que tomar cuidado com o Bush…rs!
    On top of that: Nossa medicina é de altíssimo nível. Nossos grandes hospitais sao como “hotéis” se comparados a alguns de outros países (daqui por exemplo) e o atendimento é de alta qualidade. ISO, ISO, ISO!!! rs
    Nos nossos “shoppings centers” temos parques imensos para as crianças. E em muitos deles já nao se fuma a muitos anos em contraste com a populaçao da Austria, por exemplo, que vive como se em uma constante chaminé…
    Nos restaurantes as pessoas nos atendem com gentileza e nao com mau humor esperando apenas gorgeta. Isso entre outras coisas em termos de comportamento de pessoas que vivem nas grandes cidades famosas e conhecidas pelo mundo.
    Entao, depois de mostrar as nossas metrópoles à sua nova família, leve-os ao coraçao do Brasil e mostre as belezas que nao nos deixa pra trás de ninguém no mundo! Apresente tudo de bom que temos: montanhas, rios, desertos , dunas, lagos, praias, flora e fauna. Leve-os ao pulmao do mundo!
    Fale ainda do nosso ótimo sistema de eleiçao, de nossa arquitetura, de nosso design premiadíssimo mundo afora e de nossas abundancias como a de talentos literários!
    Fale dos baixos custos para coisas que em outros países custam uma fortuna e sao às vezes artigos de luxo como frutas e verduras…
    Fale que nosso povo le e produz muitos novos autores anualmente, que nossa gente vai a teatros sim e que temos ótimos filmes de produçao nacional.
    Diga a eles que a Nestlé fez linhas só para adequar-se a culinária maravilhosa de nosso país, só nós temos certos produtos! Ninguém mais…
    Temos água em abundancia, nao precisamos de casas aquecidas pois temos o sol que doura nossas lindas praias.
    Do norte e nordeste que de tao bom que é, foi descoberto pelos estrangeiros e hoje em dia está cheio deles…e ainda avise a eles que os danados nao querem ir embora de volta pra suas terras nao!
    Diga ainda mais que comemos peixes quando queremos e nao por que precisamos de Omega 3… rs!
    Enfim, tantas coisas juntas em um só lugar é difícil encontrar!
    Fale especialmente de sua família e mostre que sao(provavelmente) um lindo mix de culturas que por muitos anos vem escolhendo o Brasil pra ser seu novo lar…
    Um lar sem guerra e que conseguiu chegar onde chegou em menos de 500 anos!!!
    Pobreza e violencia sao caracteristicas de muitas grandes metrópoles e, diga-se de passagem, os Estados Unidos tem muita também… aliás, os mau informados apenas as importam e imitam.
    Se hoje sou orgulhosa do meu país? Muito! E de ser brasileira também!
    De fato, utilizo o que hoje aprendo nao só apenas para passar pra meus filhos e pra quem nao sabe ou tem as mesmas oportunidades que eu, mas para a posteridade quando penso que poderei contribuir sim no Brasil para alguma coisa positiva – mesmo que mínima…- que talvez, por acaso, ainda nao tenha por lá…
    Tenho fé que os problemas serao resolvidos e creio na capacidade de nosso povo de se desenvolver (logo) pra fazer do Brasil um país que nao “exporte” tantos dos seus filhos pelo medo que expressei na entrevista…
    Pois é isso, como já disse: hoje “moro” aqui, mas viver… ah, isso eu faço lá!
    Em qualquer lingua e onde quer que voce esteja: Orgulhe-se de ser quem voce é e da terra onde voce nasceu. Ela é maravilhosa!!!
    So, be (you too), proud of being BRASILIEN!!!

    • Edy,

      Quando eu li o que você escreveu também tive a impressão que vc não gostava do Brasil. Achei legal a explicação que você deu. Eu moro na Alemanha e amo de paixão o Brasil, claro lá tem coisas ruins tem, mas também na Europa tem muita gente morrendo de depressão/tristeza com certeza muitos adolescentes envolvidos. Eu nunca teria vergonha do Brasil, pois morando lá não precisamos de muito para ser feliz. Deus nos deu vários presentes sol/praia/natureza.

      Parabéns você merece nota 10.

      Meire Bagoli

  14. encontrei uma coterranea. q legal… especial sua historia

    sucesso!

  15. Obrigada. Onde voce mora? Também na Áustria? BJs

  16. Adorei sua entrevista eo modo como responde aos comentarios, sempre com muita inteligencia e seguranca.
    Quando cheguei aqui a dois anos atras com minha familia. achava que nunca conseguiria me adaptar aqui, agora estou me sentindo mas segura e consigo ver as vantagens de morar em um pais como a Austria.
    Assim como voce tenho muito orgulho de ser brasileira e pretendo um dia voltar a morar la.
    Abracos

  17. Morar em um país distante, com hábitos, língua e costumes diferentes nos traz sempre sentimentos variados… às vezes até confusos, algo assim meio incerto, cheios as saudades e anseios…
    Precisamos mesmo é viver como se cada dia e cada coisa nova fossem páginas a serem viradas, capítulos novos a serem escritos para com isso através do novo aprendizado escrever o livro de nossas vidas…
    Saudade é algo que nao deixa de existir mesmo que venhamos a aprender a comer, vestir e falar a língua do “novo país”…
    Acho que aceitar as mudancas é sinal de crescimento e adaptar-se leva mesmo tempo…
    Bom mesmo é poder falar sobre esse processo com amigos que passam pela mesma experiencia, aprender sempre e aproveitar as oportunidades.
    E também nao perder a identidade, participando mesmo, sempre que possível de atividades culturais onde voce possa “por pra fora” (nostalgicamente falando) o que sabe, lembrar e valorizar também seu passado, falar de seu povo e sua cultura. Nao “impondo” sua “brasilidade” (nem mesmo comparando o Brasil com a nova terra – com ar de superioridade como muitos fazem quando nao aceitam as mudancas e diferencas…). Isso é importante pra sua nova e adquirida familia e amigos para que saibam que voce também tem berco (no meu caso: rede! rs)…
    Sua vida é sua licao de casa… depende de voce faze-la bem ou nao, nao de onde voce a faz…
    Beijao!

  18. Edy.
    Gostaria de viver na austria, porém é dai minhas origens.
    Estou preocupado em não conseguir a cidadania é dificíl.

  19. Monte Alto – Estado de São Paulo
    03/09/2008
    Boa Noite (Bom Dia) Sra. Edy

    Vendo essa matéria no seu site, onde a senhora diz que reside na Austria, tomei a liberdade de escrever pra senhora para saber da possibilidade se a senhora pode me ajudar no seguinte:
    Sou neto de cidadão austríaco e gostaria de solicitar a certidão de nascimento do meu avô!
    Na certidão de casamento dele, consta que ele nasceu em Gallezzia ( em alemão eu achei alguma cidade ou provincia de Gallizien, está correto?
    Pois bem, se a senhora puder eu gostaria de saber o Site e o E-mail da igreja e Diocese regional das igrejas da Provincia ou região, pra mim pedir a certidão de nascimento do meu avô. Eu sei que é dificil!!!!
    Sra. Edy, o meu avô nasceu em 1900 +-
    O nome dele Johannes ambrosi
    Na certidao de casamento do meu avô aparece o nome do seu pai como AMBROSI NOG

    Desde já muito obrigado – Deus abençõe

    Desculpa encomodar a senhora e sua família

    Moramos na cidade de Monte Alto, a 80 km de Ribeirão Preto.

    João Ambrosio e familia
    jmzerbi@uol.com.br

  20. Sr. Joao, vou me informar melhor e tentar ver como posso ajudá-lo, mas desde já posso lhe dizer que a melhor informacao o senhor conseguiria no consulado austriaco ou alemao local, no seu caso em Sao Paulo.
    Questoes de cidadania sao complicadas e nao tenho conhecimento suficiente para informa-lo neste momento aqui.
    Estarei lhe respondendo no seu endereco de e-mail.
    Obrigada. Deus lhe abençoe também!

  21. Geral para todos os interessados:

    Gallizien é uma cidade no distrito de Völkermarkt no estado chamado Carintia na Austria. Como a maioria das cidades daqui o ponto principal é a igreja!
    Questoes de cidadania devem ser levadas diretamente ao consulado ou embaixada do país em evidencia, neste caso o da Austria.
    A informacao conseguida por mim através da policia de imigracao local é que leva-se em questao o nível de parentesco, idade do interessado e condicoes de se provar documentacao relevante.

    Muito obrigada,

    Edy

  22. Ricardo, nao posso lhe dizer se é difícil ou fácil, depende muito das suas condicoes financeiras, sua decendencia, idade, se vc é casado com europeu, austriaco, se estuda…
    Veja se seu perfil se enquadra em uma destas condicoes e consulte o consulado austriaco local.
    Seja para um longo tempo ou apenas pra “conhecer” o país, vir pra cá “vale a pena”!
    Abracos,
    Edy

  23. Österreich!!!
    Nossa, como eu sinto saudades daí, Edy!!!
    Bom, eu morei na Austria por 3 meses, fiz um estágio em salzburg e morava em Bischofshofen, com meu namorado na época ( austríaco). Nossa… sinto muuuitas saudades de tudo daí, das pessoas, de tudo. Como fui no inverno , a adaptação foi terrível.. estava extremamente assustada, os dias eram curtissimos, e logo vinha a noite, onde, na cidadezinha de 10 mil habitantes, tuuuudo fechava !!!!Mas após as primeiras semanas, eu não queria mais sair de lá, e ainda sinto muuuita falta mesmo…Ano que vem pretendo dar um pulo para visitar meus amigos, estarei morando na Holanda…e espero poder passar na Austria novamente ^^

    Beijos querida e boa sorteeee!!!!

  24. Oi Nadja!!!
    Venha sim, e na ocasiao, se passar por Graz venha conhecer aqui uma grande comunidade que temos de brasileiros, que como eu, fizeram daqui seu novo lar. Os dias frios já estao aqui, mas regados por “maroni e sturm”… fazemos um mix interessante nesta época, alguns brasileiros já incorporaram até fazer “quentao, pamonha, etc” pra troca de estacao, é bem legal!
    Beijos pra voce também e boa sorte na Holanda!!!

  25. Oi Edy,

    Estaremos de volta a Austria entre os dias 06 e 16 de Novembro, só que desta feita não sei se iremos a Gratz, vamos a Viena ficar com o Laurinho e em Linz com a Fausta e Hanz.
    Suas opiniões a respeito do Brasil são positivas, chamo a atenção dos brasileiros que somos nós os responsáveis pela construção do Brasil, daí nunca ter cogitado sair do meu País, participo ativamente em muitas organizações, não fico a me queixar da vida, procuro fazer acontecer, se existe injusticas, batalho pela justiça, se existe insegurança vou a luta por segurança.
    Participo ativamente da politica, pois só através dela teremos condições de fazer um país diferente, temos de eleger e cobrar de nosso representantes posturas firmes no combate as falcatruas.
    Temos que entender que somos um país multiracial, buscando formar o padrão brasileiro, sem preconceitos, sem racismo, respeitando nossa diversidade racial.
    Lembro ainda as pessoas que estão fora do País, que ao contrário do que se apregoa, recebemos mais estrangeiros em nosso território do que mandamos para outros países. Só de Bolivianos recebemos mais de 500.000 mil, afora Chineses, Coreanos, Vietnamitas, todos em busca de oportunidades no Brasil e tem muitos deles se realizando e conseguindo uma vida digna.
    Conhecer outras culturas é importante, pois desta forma temos condições de fazer uma critica construtiva, saber onde estamos errado e no que podemos melhorar.
    Tenho a certeza e luto para construir um Brasil culturalmente forte, com mais justiça social e menos violência, principalmente nos grandes centros.
    Abçs,
    Juvêncio Ruy

  26. Oi Ju, que bom receber sua opiniao. Quando eu crescer mais quero ficar igual voce, cheio de coragem e desta determinacao. Mas, por coincidencia, a ligacao que recebi do motorista de minhas filhas (do onibus escolar) me dizendo em janeiro de 2001 que alguns bolivianos (sem brincadeira!) “estavam planejando sequestra-las quando houvesse a volta às aulas” me fez vir embora mais rápido! Penso que temos mesmo que lutar por um Brasil seguro e tenho fé que um dia desse o teremos. Pra mim, ainda nao é a hora…

  27. OOOiiii Edy, boa noite amiga!!!
    Ao fazer hoje meu passeio virtual em busca de alguma notícia sobre possíveis reflexos do “tsuname financeiro americano” que possam estar impactando o cotidiano aí da Áustria, tive o prazer de encontrar neste site, esta entrevista feita à tempos atraz. com voce. Foi realmente uma surpresa agradável para mim, pois com ela, tive a oportunidade de conhecer um pouquinho mais de você!!! Que, por sinal, continua brilhante !!!
    Beijo carinhoso à voce e toda família. Recomendações e abraços também, a todos os amigos comuns que, graças à você, tive o privilégio de conhecer quando aí estive em Junho passado.
    Até breve, linda !!!
    Franz e Lé

  28. Queridos Franz e Lé, que prazer receber seu comentário!!!
    Voces sao pessoas que tem um lugar especial no meu coracao e vao fazer para sempre parte da minha vida.
    Voces sao para mim parte de um ciclo pequeno e exclusivo que amo muito e considero ainda mais. Um ciclo de pessoas que fazem o “morar longe do Brasil” realmente “nao valer a pena” mesmo… Apesar do que tudo o mais faca-nos achar que sim.
    Voces sao muito mais que familia: Sao a “essencia” do que é ser família! Sao pais/avós apoiadores, compreensivos, participantes, atuantes. Gente que nao deixa a peteca cair e que todas as vezes que estao por perto enchem a vida dos presentes de alegria e amor. Esse amor lindo que voces tem um por outro e que por ser este tao grande, sobra – “vaza” pelos cantos e acaba tendo muito dele pra todo mundo. (rs) Verdade! Contagia e nos deixa com essa saudade louca e vontade de estar com voces sempre, de fazer parte, de se infiltrar nessa familia linda e ficar por aí, só aprendendo…
    Que saudades de voces! Nao vejo a hora de lhes ver de novo! Voces estao em minhas preces diárias e peco a Deus que nos de muitos re-encontros.
    Que privilégio seu o que??? Este é todo meu! Para voce e sua família faco daqui e de onde estivér tudo que possa ser necessário para lhes proporcionar um pouco do que recebo de voces. Agradeco a Deus por te me colocado no seu caminho.
    Só pra voces saberem: depois de conhecer voces, ficou ainda mais difícil “morar” longe do Brasil tendo voces como amigos/família. E por isso eu digo sempre: eu “vivo” aí… Aqui eu só “moro”…
    Mil beijos!
    Edy

    PS – Quanto a procurar notícias…
    O Brasil é mesmo maravilhoso – que povo fantástico esse nosso! Onde no mundo se encontra este carinho? essa proximidade? amor de verdade – ultra exposto por alguém que se encontra pouco, rápido mas que passa carisma, atencao, apoio e fraternidade gerando esta amizade, confianca, saudade… Num mundo como o nosso onde de todos os países só se ouve falar de injustica, problemas, falta de humanidade, fome e guerras… Daí “de casa” a gente exporta amor. Isso supera tudo! E é a imagem verdadeira de amizade, ternura e AMOR que só o nosso povo sabe deixar para o mundo.
    Que vejam nossos problemas sociais e comentem deles pelo mundo comercial… mas em todos os lugares que estive, todos os cantos por onde passei de quem ouvi falar do Brasil as últimas palavras eram sempre as mesmas:Que povo maravilhoso!!!
    É isso aí.

    PPS – está impactando sim. As coisas nao andam nada boas por aqui. Muito desemprego e muita instabilidade. O povo tá temeroso.

  29. Edy, doce amiga. Ao ler neste instante esse seu recadinho, foi impossível reter às lágrimas. Tudo porque, no decurso da leitura, pude sentir, na beleza da tua mensagem, a luz que emana dêsse seu coração, tão amoroso e generoso!!!
    Sabe, doce amiga: eu sempre acreditei que os anjos são seres especialmente abençoados, já que êles têm o dom divino do amor inconcicional e fraterno, ungidos pelo Pai Celestial. Êles são figuras de pura luz e, como tal, o brilho que refletem iluminam os nossos caminhos e acalentam as nossas almas. Êles, na minha humilde concepção de entender as coisas são, em síntese, a representação de Deus em nossas vidas, servindo por isso, de elo que nos possibilita sentir a presença desse Pai Celestial em nós, em nossos corações.
    E, por mais incrível que possa parecer minha querida, muitas vezes, esses “anjos”, não são sòmente esses sêres espirituais que citei agora!!! Há momentos em que êles se “materializam” e, surpreendentemente, surgem, em forma de amigos que, de perto ou de longe, chegam invadindo os nossos corações, de uma forma tão terna, tão mansa e tão carinhosa que, mesmo sem percebermos, já estão ocupando um lugarzinho especial em nossas vidas!!! E foi isso o que aconteceu com você em relação à nós, doce amiga !!! Você foi um desses anjos que, ao cruzar nossos caminhos, entrou em nossas vidas para nos encher das “sementinhas” de esperança, alegria, fé, amor!!! Ou seja, semeou o que há de melhor, em nossos corações!!!
    Por isso querida amiga, meu coração, ainda emocionado, agradecerá e reverenciará para sempre, a sua presença e o seu existir!!! E que você continue sendo em nossas vidas, essa pessoa tão especial e tão querida, tão atenciosa, carinhososa e tão AMIGA !
    Beijos do Franz e da Lé em seu lindo coração e até uma próxima vez.
    Tchauuuuuuu linda!!!!!!

  30. e depois voce diz que chorou…
    Amo voces!
    Beijao e obrigada!

  31. Edy, nossa me identifiquei muito com a sua historia. Achei muito legal da sua parte, ser totalmente sincera quanto aos seus sentimentos sobre o Brasil.
    Realmente é uma terra maravilhosa, linda mesmo, mas está cada vez mais dificil viver bem como brasileira. Viver em um lugar, onde a gente tem medo de andar nas ruas, tem medo de usar uma jóia mais cara na rua, realmente é tragico.
    Eu tenho 20 anos e sou casada com neto de austriaco,e gostaria muito de morar na Austria. Estou aprendendo a lingua e pretendo ir quando terminar a faculdade. Você sabe se é o campo de Jornalismo é bom ou é meio restrito? Nossa, tenho várias perguntas e dúvidas. Gostaria muito de conversar realmente contigo. bom se estiver interessada e dipuser de tempo, meu email é luanabenirschke@hotmail.com
    Obrigada!

  32. Oi Luana, que bom receber seu comentário!
    De fato essa é mesmo minha intencao: ir direto ao fato sem “enfeitar” muito. A verdade é dura e triste. Eu preferiria mil vezes morar no Brasil, mas nao me sinto segura aí.
    Morar fora do Brasil é uma coisa aparentemente fácil mas que compromete muitos aspectos que a princípio nao sao considerados. Voce conhece aquele ditado: “Tudo no comeco sao flores…”? É por aí…
    Com a chegada do inverno eu, que já dirigi uma pequena instituicao para brasileiros aqui, recebo muitas ligacoes de brasileiros que moram aqui – muitos deles muito bem por sinal – mas que se sentem muito deprimidos pelos dias curtos e escuros do hemisfério norte e também por causa do frio intenso que chega às vezes na nossa regiao a -25 C… Muitos querem ir embora ou “mudar” algo. No fundo eles quando vao visitar o Brasil a passeio acabam mesmo depois de 30 dias voltando para cá com um sentimento de estarem voltando “pra casa”…sabe como é, né? Afinal depois de algum tempo enquanto envelhecemos nao precisamos mais nos “forcar” a nos adaptar… é a adaptacao que nos envolve…nos assimila! Creio que é assim em todo o mundo. Mesmo para aqueles que ficam no Brasil sob certas condicoes e simplesmente “aceitam” a situacao da corrupcao, precos altos, injustica, etc…
    Sair do Brasil (e viver bem no exterior) requere muito mais que coragem, dinheiro ou disciplina. É um grande número de sentimentos e determinacao envolvido num manto de confianca em si mesmo e muita determinacao para sobreviver pequenas e grandes coisas.
    A Austria é ainda um país relativamente seguro e estável e isso é muito positivo e quando a oferta se mostra “melhor” do que o temos em casa e se prova “melhor” acaba “assimilando” aqueles que vem e ficam…
    De qualquer forma a Austria é bem complicada em termos de ensino e requere muito mais documentacao que a maioria dos países. Mais testes e provas, comprovantes, traducoes e ainda certas equivalencias para testes ainda no nível do segundo grau para nivelar certas matérias que no nosso país nao temos. Ex: Latim para certos campos profissionais…
    Nao tenho conhecimento da área de comunicacao mas tenho certeza que voce, uma vez que domine o idioma alemao bem (ingles, ao contrário do que se pensa, nao leva ninguém a nada nas escolas ou universidades daqui…) conseguirá sim um emprego ou no mínimo uma pós graduacao aqui com possibilidade de arrumar sim um emprego na área. Tudo vai da sua capacidade de se manter aqui ou como comprova sua permanencia. No seu caso por parentesco já valeria a pena a tentativa de vir mesmo que isso significasse apenas para conhecer as origens da sua família…
    Do meu lado eu acho que eles bem que poderiam usar melhores jornalistas…:)
    Um grande beijo e escreva para mim caso precise de mais informacoes. Meu e-mail é edy.skreinig@gmx.at

  33. Edy,

    Parabéns pela sua entrevista.
    E vc continue com muito sorte neste País.
    Moro na Alemanha a pouco tempo e não vejo a hora de voltar a morar no Brasil.
    Do que adianta morar em um País seguro tipo a Alemanha,. Pensei que morando aqui os meus filhos iriam brincar na rua, mas o frio é tanto e dura tanto tempo que não vejo nenhuma criança na rua.

    bjs/meire

  34. Helena,

    Não achei legal o que vc escreveu.
    No Brasil conheço mais de 30 casais que moravam na Alemanha/EUA/Londres e outros. Pois todos eles estão apaixonados pelo Brasil. Eles tem um ótimo salário/casa linda e moram em um bairro maravilhoso. Inclusive tem uma amiga que morava aqui na Alemanha e mora a 10 anos no Brasil, ela nunca mais quer voltar a morar na Alemanha. Então depende muita da sua situação financeira e de toda a sua vida. No Brasil você consegue fazer amizades, sol/praia/comidas maravihosas. Eu moro na Alemanha e tenho planos para voltar ao Brasil no final do ano que vem. Eu simplesmente jamais falaria mau do Brasil.

  35. […] – Edy [entrevista]: A crise foi premeditada e era evidente. Quem acompanhava diariamente estava sabendo da catastrofe […]

  36. Oi Meire, obrigado pelo comentário.
    Sempre que posso vou ao Brasil e reconheco que minha opiniao parece um pouca “fria” como o tempo da Alemanha (já morei na Bavaria, sei do que vc está falando, especialmente se vc mora mais pra cima…) e talvez também é, da minha parte até “egoísta” um ou outro comentário meu… Mas acho que nao estou falando “mal” do nosso país. Amo o Brasil! É o melhor país do mundo mas nao me oferece seguranca pra morar lá (agora). E por que este site fala do por que as pessoas se tornaram “expatriadas”, esta foi a minha razao. Creio que se nao tivesse filhos eu ainda moraria lá hoje e é pra lá que quero ir sempre quando quero ir “pra casa”…
    Tenho muita vontade de morar lá também.
    Embora aqui na Austria nao seja tao frio como aí é e as criancas podem brincar nas ruas, até mesmo no inverno!
    Os meus fazem, na minha forma de ver, algo muito mais importante do que brincar na rua – eles vao e voltam (de onibus comunitário) duas horas e meia diárias para a escola…pra mim isso quer dizer seguranca pois eu nao teria sossego se os mandasse de onibus pra escola morando em Sao Paulo…De fato, como já comentei acima, uma vez indo de “perua” pra escola (particular) eles foram ameacados de sequestro… e isso por que nao somos ricos!
    Espero que voce também seja feliz e tenha muita sorte nas suas escolhas. Por enquanto pra mim aqui está dando pra “agüentar”…
    🙂
    Beijao!

    • Edy,

      Eu entendi o que você quis dizer.
      Mas uma vez parabéns………………

      Quando puder acesse o site: http://www.brasilnaeuropa.com/
      e tente passar esta maravilhosa experiência de vida para a revista………….se você se interessar em sair na revista, pode dizer que eu te indiquei.

      Você com certeza ajudará esta revista a crescer mais ainda.

      Beijos/Meire

  37. Oiiii, comentarios interessantes Edy, gostei do tema. pontos como segurança, saude, emprego e diversão, são polêmicos. Se for citar exeplos de violencia pelo mundo, vamos achar em todo lugar. O ser humano é um ser especial que tem sentimentos, sonhos e desejos, cada um no seu quadrado. Independente de cidade, estado e pais, que vivemos temos que fazer escolhas, umas certas ou erradas, e isso depende somente de vc(individuo) a fazê-la. A felicidade existe e pra mim é viver aqui no Nordeste do Brasil, que aliais sou policial trabalhando na ordem e manutenção da paz. Diferente de vcs, com essa experiencia de “paises”, aqui pela nossa extenção territorial vivemos praticamente em outros paises, pela diversidade cultural, costumes e outras. Quem diria ir parar em Natal (capital do RN)e morar em (Mossoró alto oeste potiguar) quente pra danado. É dificil pois o que escutava e via pela TV e que outras pessoas diziam é que éra um lugar de pobreza e seca….Aiiiii como doi a ignorância. Pense num lugar maravilhoso, praia, lagoa, barragem, granjas, parques, cinemas, shoppings, bares, restaurantes e amigos. Tenho muita vontade sim de conhecer a Austria e até o Afeganistão. Sim, violência, haaaa, sou ser humano e ja foi provado cientificamente que todos nós temos(violencia) é só ser despertada. Então seja feliz aonde vc se sentir bem e feliz, porque isso é o nosso objetivo na curta passagem pela terra. Aproveite a vida. Saudade prima, Um beijão no maridão e nas crianças.

    • Oi Primo querido! Voce está certo. Violencia existe em todos os lugares e aqui entao, nem se fala! Nao preciso ir longe com o histórico da Austria que fala por si mesmo com “fantasma” de guerras, holocausto, etc…Hoje em dia com os diversos casos de pedofilia e casos de reféns (familiares) mantidos por anos no porao…, impunidade e racismo.
      Ter vindo pra cá nao foi minha primeira opcao mas sair do Brasil quando “eu” saí foi uma alternativa tomada com o coracao por amor e por cuidados com meus filhos, (como voce pode ler nas respostas que dei acima) principalmente.
      Eu costumo dizer: “eu moro aqui, mas vivo lá”…esse é mesmo meu motto! Verdadeiramente, aqui tenho uma casa, conforto, e por enquanto, seguranca – esta que, como voce disse, precisamos controlar nós mesmos…
      Mas ao ter voltado pra Natal depois de 23 anos sem ter estado lá, senti que gostaria mesmo de poder viver aí… Embora creio que na “sua” Sampa, jamais quererei morar de novo… nem no Rio e isso falo, nao por reputacao, mas por experiencia!
      Minha estadia aí reforcou mais ainda a minha vontade de ensinar meus filhos a ser independentes pra que possam, no futuro, saber tomar suas próprias decisoes – conhecendo o que tem à mao pra ter base de comparacao antes de fazerem suas escolhas…- tendo vivido no exterior nos deu um leque de oportunidades e conheceimento muito grandes. Certamente há muito ainda a ser descoberto no Brasil…um país maravilhoso e cheio de belezas – especialmente quero estar lá pelo “meu” povo. 🙂 Opcao temos de sobra hoje em dia, aqui e aí e isso, tenho certeza que ninguém discorda, é muito valido!
      Beijao pra voce!

  38. Oi Primo querido! Voce está certo. Violencia existe em todos os lugares e aqui entao, nem se fala! Nao preciso ir longe com o histórico da Austria que fala por si mesmo com “fantasma” de guerras, holocausto, etc…Hoje em dia com os diversos casos de pedofilia e casos de reféns (familiares) mantidos por anos no porao…, impunidade e racismo.
    Ter vindo pra cá nao foi minha primeira opcao mas sair do Brasil quando “eu” saí foi uma alternativa tomada com o coracao por amor e por cuidados com meus filhos, (como voce pode ler nas respostas que dei acima) principalmente.
    Eu costumo dizer: “eu moro aqui, mas vivo lá”…esse é mesmo meu motto! Verdadeiramente, aqui tenho uma casa, conforto, e por enquanto, seguranca – esta que, como voce disse, precisamos controlar nós mesmos…
    Mas ao ter voltado pra Natal depois de 23 anos sem ter estado lá, senti que gostaria mesmo de poder viver aí… Embora creio que na “sua” Sampa, jamais quererei morar de novo… nem no Rio e isso falo, nao por reputacao, mas por experiencia!
    Minha estadia aí reforcou mais ainda a minha vontade de ensinar meus filhos a ser independentes pra que possam, no futuro, saber tomar suas próprias decisoes – conhecendo o que tem à mao pra ter base de comparacao antes de fazerem suas escolhas…- tendo vivido no exterior nos deu um leque de oportunidades e conheceimento muito grandes. Certamente há muito ainda a ser descoberto no Brasil…um país maravilhoso e cheio de belezas – especialmente quero estar lá pelo “meu” povo. 🙂 Opcao temos de sobra hoje em dia, aqui e aí e isso, tenho certeza que ninguém discorda, é muito valido!
    Beijao pra voce!

  39. Edy, você poderia, POR FAVOR, entrar em contato comigo? Minha namorada e eu queremos morar na Áustria mas não temos auxílio em relação as leis de ninguém. Ela tem nacionalidade austríaca além da brasileira. Tem os dois passaportes. Será que eu posso entrar com ela? Devo me casar aqui ou aí??? Por favor, me ajude. Não sabemos se é seguro ir ao consulado perguntar. Estamos com medo de eles não nos deixar ir por qualquer motivo!

    meu e-mail é “raphaelrsn@yahoo.com.br”

    Obrigado a Edy e a todos que se interessarem!

  40. Oi Raphael, eu acho mais fácil casar no Brasil já que ela mora aí, depois é só reconhecer o casamento no consulado austriaco (junto com a cópia da traducao em alemao) e também levar as certidoes no ministério de relacoes exteriores no Brasil e trazer pra cá depois. Abracos

  41. Olá Edy

    Possuo passaporte austriaco e gostaria de te escrever pedindo algumas informações se possivel através de algum endereço de email seu se não for incomodo.

    obrigado

  42. Ola, Edineide! Gostaria de me comunicar com vc ja que nos encontramos na infancia em Natal sou sobrinha de Maria Ribeiro e um primo em comum me falou que vc mora em Graz. Moro na Italia. A proposito se tiver noticias de Jaqueline e seu bebe lhe seria grata em saber. Um abraço, Eliane Pessoa

  43. Ainda a tempo (menos de um ano…) Pedro meu e-mail é skreinig_edy@gmx.at

  44. Oi Liliana! Só agora vi seu recado e por agora já estamos em contato! 😉 Beijao!

  45. Oi Edy, eu estou morando em Dublin e tenho passaporte e certidão de nascimento austriaco, gostaria de saber se eu consigo arrumar um seguro desemprego, mesmo nunca tendo trabalhado com carteira assinada (sou musico) e se eu consigo um seguro saude, mesmo vivendo aqui na irlanda…
    obrigado

  46. roberto, me desculpa a imensa demora! achei que nao tinha mais comentários pra mim aqui! (risos)
    mas vamos lá às respostas: nao há possibilidade de seguro de saúde pra nao residentes na Austria (mesmo que sejam austriacos). Se voce nunca trabalhou nao conseguirá seguro desemprego mas conseguirá apoio pra se empregar e durante o tempo que fizer os cursos designados receberá auxilio para os custos de vida (como um desemprego) mas com duracao máxima do tempo do curso…todo mundo tem chance mas pra isso tem que morar aqui!Boa sorte, abracos!

  47. Achei a sua reportagem interessante, pena que ainda nao te conheci moro na Austria a mais de 18 Anos metade em Viena e metade no interior de Burgenland, ficaria feliz em te conhecer.

    • Cara Nubia,
      li seu comentario na pagina da entrevista da Edy. Meu marido e eu estamos pensando em ir morar em Viena. Ele é austriaco mas saiu da Austria pra estudar nos Estados Unidos (onde nos conhecemos) e ate hoje nao voltou. Atualmente estamos morando na Suica (francesa) mas por causa das criancas ele que voltar pro pais de origem. Eu nao falo nada de alemao. Terei que comecar do zero. Voce poderia me falar um pouco sobre a comunidade brasiliera em Viena e alguns aspectos gerais de se viver ai. Obrigada,
      Thelma

  48. Cara Edy,

    Acabei de ler sua entrevista e tambem os varios comentarios. Meu marido e eu estamos pensando em ir morar na Austria. Ele é Austriaco mas fazem mais de 10 anos que saiu da Austria. Moramos nos Estados Unidos (onde nos conhecemos), depois na Inglaterra e fazem 4 anos que estamos morando na Suica (francesa). Ele porem nao se sente confortavel com nossos filhos terem que aprender 4 liguas sendo que o alemao que se fala aqui nao é o mesmo que ele fala. Ele tem medo de nao conseguir se comunicar bem com as criancas e gostaria de voltar pra Austria pra ter certeza que isso nao aconteceria. Eu entendo o medo dele pois vejo que os meninos tem um grande desafio pela frente. Em casa eu falo portugues com eles, na creche eles ouvem apenas frances, meu marido fala alemao, mas quando estamos todos juntos falamos apenas ingles (meu marido e eu nunca aprendemos a lingua um do outro pois ate 4 anos atras so moramos em paises de lingua inglesa e mesmo aqui na Suica so falamos ingles em casa e no trabalho, com algumas excecoes). Meu maior receio em ir morar na Austria é a completa falta de dominio do idioma, pois tenho sentido na pele o isolamento cultural devido ao nosso parco frances. Vi na sua entrevista que vc mora em Gratz, porem vc saberia me dizer algo sobre a comunidade brasileira em Viena? E sobre os desafios em viver por la sem falar alemao? Thanks in advance,
    Thelma

    • Thelma, desculpe a demora imensa… nao recebi notificacao do seu recado.
      Em Viena tem muitos brasileiros que viveram experiencias semelhantes e tem filhos multi-lingue também. Além do que temos também escolas bilingues (com ingles como base) Você vai logo aprender e se sentir em casa. Procure contatos pelo facebook! Eu mesma estou lá! 😉 Beijao!

  49. Pelo visto só vai para Austria quem nao quer. Estou esperando chegar mais vez, há quase 10 anos espero por isso, acredito que um belo dia chega.
    Quanto a problemas de idiomas, as criancas sao rápidas para isso, e nós também aprendemos a quebrar o galho com jeitinho brasileiro.
    Infelizmente estou cansada do Brasil, é muita inseguranca, infelizmente. Espero morar em Graz também, cidade muito bonita e completa. O povo austríaco tem mais é que aguentar o brasileiros, pois nós trabalhamos e constituimos familia, já o africanos que vao pra lá estao quase todos mexendo com drogas, e fora alguns árabens que vivem do auxilio governo, essas sim sao parasitas.

  50. Fiquei um pouco longe do site e perdi o contato. Voltei pra verificar se ainda estava no ar e vi que fiz alguns “amigos!!!” 🙂
    Fico muito feliz.
    Espero que todos estejam bem! Desculpe nao ter respondido antes…
    Em termos de Brasil – minha saudade continua igual. Fui em 2009 pra visitar Natal, fiquei 23 anos sem ir à Natal. Como amei a viagem! Pena que nao dá pra ir todo ano ou pelo menos a cada dois anos…
    Aliás, tenho um comentário engracado… quando eu morava no Brasil conseguia ir para o exterior todo ano. Hoje em dia morando na Austria (em doze anos) só fui ao Brasil duas vezes…rs A grana nao rende aqui! A gente até ganha bem mas gasta….
    Abracos à todos.
    Caso eu nao responda logo. E vcs quiserem falar algo ou comentar. Se eu puder, sempre daria dicas pra quem precisa!
    Podem tbm me encontrar no skype ou no facebook com meu nome. Me mandem mensagem, quem sabe a gente nao fica amigos por lá…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: